DF: hospital alega superlotação em pronto-socorro e suspende atendimento - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas

Brasil

11 Janeiro de 2017 - 14:30

DF: hospital alega superlotação em pronto-socorro e suspende atendimento

Gerência do hospital do Paranoá avisou aos pacientes que suspenderia atendimento das 18h às 7h do dia seguinte
Graziele Frederico / G1
Sede do Hospital Regional do Paranoá, no Distrito Federal (Foto: Lucas Nanini/G1) Sede do Hospital Regional do Paranoá, no Distrito Federal (Foto: Lucas Nanini/G1)

O Hospital Regional do Paranoá, no Distrito Federal, suspendeu temporariamente o atendimento aos pacientes do pronto-socorro alegando superlotação, entre as 18h desta terça-feira (10) e as 7h desta quarta. Segundo a direção da instituição, a capacidade de internação é de 22 pacientes e havia 46 pessoas internadas. A direção do hospital informou que o atendimento foi regularizado ainda nesta quarta.

Um paciente informou que chegou ao hospital na terça à noite e recebeu do recepcionista mostrou um aviso assinado pelo gerente dizendo que o atendimento seria restrito. “Informo que no dia de hoje a partir das 18h, está restrito o atendimento da Clínica Médica, Cirurgia Geral e Ortopedia por total falta de espaço físico para internação e observação de pacientes”, diz a nota. Ao final do aviso o gerente pedia que o Samu e os bombeiros também fossem avisados sobre a suspensão no atendimento.

Aviso direção do Hospital do Paranoá suspendendo atendimentos (Foto: Arquivo pessoal)

“Fomos atrás da direção do hospital e não achamos ninguém. Ontem chegou um neném que caiu e machucou a cabeça, tinha que fazer cirurgia e não deixaram nem entrar”, conta o paciente.

No hospital de Brazlândia, o atendimento também há restrição no atendimento. A direção informou que o atendimento está restrito a pacientes graves, classificados como vermelho e laranja, devido ao excesso de pacientes esperando por atendimento.

Na nota encaminhada às 12h desta quarta, a Secretaria de Saúde reiterou que realizaria os pagamentos para as empresas de limpeza e vigilância "nas próximas horas" e que espera que o atendimento seja normalizado. O grupo tinha entrado em greve cobrando pagamento na segunda-feira.

Comentários

O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

Digite o código abaixo para enviar seu comentário.