Rússia tem informações comprometedoras sobre Trump, diz documento vazado - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas

Mundo

10 Janeiro de 2017 - 20:59

Rússia tem informações comprometedoras sobre Trump, diz documento vazado

Relatório cita 'atividades sexuais pervertidas' e diz que presidente eleito recebia informações de espionagens do Kremlin
G1
Donald Trump Reprodução Donald Trump

A imprensa americana divulgou nesta terça-feira (10) um documento supostamente secreto que afirma que a inteligência russa vem "cultivando, apoiando e ajudando" Donald Trump por anos, além de ter reunido informações pessoais comprometedoras sobre o presidente eleito.

A CNN divulgou a informação primeiro, citando fontes oficiais com conhecimento direto do documento. Já o Buzzfeed afirmou que o relatório tem circulado entre funcionários do governo, agentes de inteligência e jornalistas há semanas e que as informações não são verificadas. O site também divulgou uma cópia do relatório.

Segundo o documento, Trump e seu círculo direto aceitaram um fluxo regular de informações do Kremlin, inclusive sobre o Partido Democrata e outros rivais políticos. Agentes russos também disseram que possuem informações suficientes para chantagear Trump, a respeito de suas atividades sexuais "pervertidas" em Moscou, providenciadas por órgãos da inteligência russa

O relatório diz também que a Rússia coletou por anos informações comprometedoras de Hillary Clinton, por meio de chamadas telefônicas interceptadas e conversas que ela teve em visitas à Rússia, controladas por um subordinado direto ao presidente russo Vladimir Putin.

Segundo a CNN, a sinopse com essas informações foi anexada ao relatório sobre a interferência russa na eleição de 2016, apresentado a Trump recentemente. O FBI está investigando a credibilidade e a precisão dessas alegações, que são baseadas primariamente em informações de fontes russas.

Os relatórios secretos foram apresentados a Trump na semana passada por quatro chefes da inteligência americana. Uma das razões para incluir o anexo sobre o presidente eleito foi para torná-lo ciente de que essas informações que o envolvem estão circulando entre agências de inteligência, membros do Congresso e outros funcionários governamentais em Washington, disseram as fontes à CNN.

A sinopse também foi incluída para demonstrar que a Rússia compilou informações potencialmente prejudiciais aos dois partidos políticos principais dos EUA, mas só divulgou informações negativas de Hillary Clinton e dos democratas.

A emissora afirma que tentou falar com a equipe de transição de Trump, mas eles não quiseram comentar.

Comentários

O Tribuna Hoje coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

Digite o código abaixo para enviar seu comentário.