Ailton Villanova

10 de março de 2017

Eita leão danado!

São Paulo sempre foi esperança para os nordestinos. Em assim sendo, não poderia ser diferente para o atalaiense Veneziano Belo, cuja vida no seu torrão natal andava um bocado difícil. Desempregado, barriga roncando de fome, ele pegou carona num caminhão e se mandou para São Paulo. Gastou seis dias e seis noites nessa viagem, porque […]

9 de março de 2017

Aos pedaços, nem no céu!

      Perguntem ao gordo Oberaldo Cardoso por que, repentinamente, ele largou a mania de montanhismo que tinha. Hoje em dia, ele não quer nem mais ouvir falar nesse barato.       Segundo sua esposa Vanilda, a última incursão do Oberaldo se deu na serra Cherneca, município de Água Branca, 700 metros e um pouco […]

8 de março de 2017

Melhor que ser traído por uma cenoura!

  Enfiada numa calça jeans arrochadissima, a curvilínea morena, muito jovem, ainda, entrou timidamente na Delegacia de Defesa da Mulher. Parou diante da agente da recepção e disse:       – Eu gostaria de falar com a delegada… Ela está?       A policial respondeu que naquele momento a doutora Maria Aparecida Araújo, então titular da especializada, […]

7 de março de 2017

Apuros de um bêbado em Itu

De tanto ouvir falar que em Itu (famosa cidade paulista) onde tudo é exageradamente grande, o pontagrossense Crisanto Bonfim sentiu  a imperiosa “necessidade” de ir até lá, para conferir essa história direitinho. De modo que, belo dia, com a grana folgada do 13° salário no bolso, ele pegou um ônibus no terminal rodoviário do Feitosa […]

4 de março de 2017

Coisa de louco

      Por estas bandas, existiu um psiquiatra chamado Arinaldo Lúcio, que, vez ou outra, não se limitava apenas ao exercício de sua especialidade médica. Quando cismava da parada, ele costumava dar uma de motorista de ônibus, quando não estava exercitando o seu lado excêntrico de vendedor de chapéus de palha no mercado público. […]

3 de março de 2017

O jeito foi morrer!

O Alderóido Botelho passou 35 anos (vejam bem: 35 anos) de sua vida ligadão na morenaça Maria Hepatina. Amor roxo. A paixão começou quando ele e a viu pela primeira vez, no grupo escolar. Hepatina era a garota mais bonita de todas. Falava pelos olhos, ria com os olhos. De modo que é perfeitamente compreensível […]

2 de março de 2017

Sonhos e ilusões de dois mendigos

 Estavam lá, os dois mendigos, costas apoiadas no mármore da fachada do shopping. De repente, um deles, o intitulado Milton, levantou o queixo e avisou:       – Aí vem a burguesa! A vez é tua, Antiógenes.       A mulher foi passando pela dupla pisando firme, afundando o chão, na maior empáfia. Antiógenes estendeu a mão […]

26 de fevereiro de 2017

O defunto vivo

       Melhor teria lhe assentado o apelido de “Morto-Vivo”. Entretanto, a galera preferiu cognominá-lo de “Defunto”. E, Defunto, o Erisbaldo ficou sendo chamado até hoje.        A história do Erisbaldo Nemésio é inusitada.        Numa manhã quentíssima de muito sol, ele passou mal em pleno centro da cidade e caiu estatelado no asfalto. […]

24 de fevereiro de 2017

“Ela te mata, filho!”

      Filho único de um cinéfilo, o distinto Franco Sumatra praticamente foi criado, como se diz na gíria, “no rabo da saia da mãe”, dona Jucundina. Vivia sufocado. Na primeira oportunidade que teve, se livrou do jugo materno. Pegou a namorada Silicônia, a sua “Silinha”, deu um grau seguro nela e, depois, os […]