Alerta: baleia azul! Saiba tudo sobre o jogo da morte que chegou ao Brasil fazendo vitimas - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas

Blog | Maternidade Colaborativa, por Joelma Leite

19/04/2017 11:28

Alerta: baleia azul! Saiba tudo sobre o jogo da morte que chegou ao Brasil fazendo vitimas

O game Blue Whale que tem como objetivo final o suicídio, é supostamente responsável por mais de 130 mortes na Rússia.

Você já ouviu falar no jogo da Baleia Azul ou Blue Whale, como é originalmente conhecido? O game criado na Rússia só existe em grupos fechados da internet, principalmente na rede social russa VKontakt . O jogo tem 50 missões que são dadas aos membros diariamente pelos “curadores”, como são chamados os administradores dos grupos. As tarefas vão de automutilação, fazer algo doloroso a si mesmo, ficar doente, arriscar-se no alto de prédios, pontes, telhados e guindastes, ouvir horas de músicas psicodélicas, assistir a filmes de terror e por fim tirar a própria vida. Os “curadores” passam as tarefas sempre as 04:20 da manhã e os participantes precisam enviar fotos ou vídeos para comprovar que a missão foi cumprida. A hora não foi escolhida ao acaso, segundo especialistas, 04:20 da manhã é o horário em que mais ocorre suicídios no mundo.

Os perfis dos jogadores, geralmente, são de adolescentes com idade entre 12 e 17 anos, portadores de transtornos mentais, especialmente depressão e bipolaridade, dificuldades de socialização, introvertidos e reclusos. Na maioria das vezes os participantes são aliciados nas redes sociais, onde após ingressar no grupo tem a sua vida e de seus familiares investigada pelos administradores, além de endereço de IP do computador rastreado e número de telefone que também é repassado pelos próprios jogadores aos “curadores”. Essas informações são utilizadas posteriormente para coagir o membro a permanecer no grupo em caso de desistência antes do cumprimento de todas as tarefas. Além de pressão psicológica e ameaça.

O jogo virou febre há mais de um ano em países europeus, mas ganhou destaque recentemente, após o caso de duas amigas viralizar nas redes sociais. Yulia Konstantinova, de 15 anos e Veronika Volkova, de 16 anos, eram amigas e juntas se suicidaram pulando de um prédio de 14 andares. Na Rússia ao menos uma pessoa foi detida por envolvimento com o game e há relatos de mais de 130 mortes de adolescentes russos que participaram do jogo. O game chegou ao Brasil recentemente e tem sido jogado em grupos secretos do Facebook e Whatsapp, e de acordo com as suspeitas já fez suas primeiras vítimas. Um dos casos que estão sendo investigados é o de Maria de Fátima Silva Oliveira, de 16 anos, que morava em Vila Rica, uma pequena cidade a 1.270 km de Cuiabá (MT). A adolescente foi encontrada morta numa represa na região central da cidade. Ela saiu de casa por volta das 3:15 da madrugada, enquanto os pais e os irmãos dormiam. De acordo com o delegado da Polícia Civil, André Rigonato, que investiga o caso, há fortes indícios de que a adolescente participava do jogo. Ela deixou duas cartas onde falava sobre as regras e cronologia das ações a serem cumpridas e também apresentava sinais de automutilação, como cortes no braço e nas coxas.

Maria de Fátima era uma das melhores alunas da classe, mas nos últimos dois meses estava mais reclusa e chegou a falar para o namorado no dia em que cometeu o suicídio que morreria afogada. Ela também enviou no mesmo dia para a irmã o áudio de uma música do Trem Bala, de Ana Vilela, onde um dos trechos a música diz: “Segura teu filho no colo, sorria e abraça os teus pais enquanto estão aqui, que a vida é trem bala, parceiro, e a gente é só passageiro prestes a partir”. Cinco dias antes, ela postou uma foto em uma rede social com a legenda “última foto” ao lado de um emoticon chorando. Há investigações em andamento de outras vítimas nos estados de Minas Gerais, na Paraíba, Espirito Santo, São Paulo e Rio de Janeiro. Os administradores do game podem responder por diversos crimes, como associação criminosa e responsabilidade por lesão corporal promovida pelos participantes do jogo, além de tentativa de homicídio. Sendo aplicável a pena de dois a seis anos de reclusão, se o suicídio se consumar; ou reclusão, de um a três anos, se a tentativa de suicídio resulta em lesão corporal de natureza grave.  As penalidades também se aplicam a quem compartilha e convida pessoas a participarem do game.

Missões Blue Whale (Baleia Azul)

1. Com uma navalha, escreva a sigla “F57” na palma da mão e em seguida enviar uma foto para o “curador”.

2. Assista filmes de terror e psicodélicos às 4:20 da manhã, mas não pode ser qualquer filme, o “curador” indicará, lembrando que ele fará perguntas sobre as cenas, pois ele quer saber se você realmente assistiu.

3. Corte seu braço com uma lâmina, “três cortes grandes”, mas é preciso ser sobre as veias e o corte não precisa ser muito profundo, envie a foto para o “curador”, e seguirá para o próximo nível.

4. Desenhe uma baleia azul e enviar a foto para o “curador”.

5. Se você está pronto para se tornar uma baleia escreva “SIM” em sua perna. Se não, corte-se muitas vezes “Castigue-se”.

6. Tarefa em código.

7. Escreva “F40” em sua mão, envie uma foto ao “curador”.

8. Em sua rede social, escreva “#i_am_whale” (“Eu sou uma Baleia”) no seu status do VKontakte (Rede Social Russa) ou no Facebook.

9. Ele te dará uma missão baseada no seu maior medo, ele quer fazer você superar esse medo.

10. Acorde as 4:20 da manhã e suba em um telhado, quanto mais alto melhor.

11. Desenhe uma foto de uma baleia azul na mão com uma navalha e envie a foto para o “curador”.

12. Assista filmes de terror e psicodélicos todas as tardes.

13. Ouça as músicas que os “curadores” te enviarem.

14. Corte seu lábio.

15. Fure sua mão com uma agulha muitas vezes.

16. Faça algo doloroso, “machuque-se”, fique doente.

17. Procure o telhado mais alto, e fique na borda por algum tempo.

18. Suba em uma ponte e sente-se na borda por algum tempo.

19. Suba em um guindaste ou pelo menos tente.

20. No próximo passo o “curador” irá verificar se você é de confiança.

21. Encontre outra baleia azul (outro participante), o “curador” te indicará.

22. Pendure-se novamente em um telhado alto, e apoie-se na borda com as pernas penduradas.

23. Outra tarefa em código.

24. Tarefa secreta.

25. Reunião com uma baleia azul que o “curador” indicará.

26. O “curador” indicará a data da sua morte, e você aceitará.

27. Acorde as 4:20 e vá a uma estrada de ferro.

28. Não fale com ninguém o dia todo.

29. Fazer um voto de que você é realmente uma Baleia Azul.

30-49. Todos os dias, você deve acordar às 4:20 da manhã, assistir a vídeos de terror, ouvir música que “eles” lhe enviam, fazer um corte em seu corpo por dia, falar “com uma baleia”. Durante o intervalo dos desafios entre 30 e 49.

50. Tire sua própria vida.

                                                   Vídeo recomendado pelos "curadores" aos jogadores de Blue Whale 

 

Versão do bem

Alguns internautas brasileiros decidiram transformar o desafio da baleia azul em zoeira e criaram uma versão do bem para incentivar o amor próprio aos adolescentes. É a Baleia Rosa, que já tem mais de 90 grupos no Facebook difundindo 50 desafios “fofos”. Dentre as tarefas estão escrever na mão que é lindo, assistir filmes engraçados, abraçar um amigo, comer doces, ler um livro e desenhar Kawaii – adjetivo japonês que significa bonito – nos braços.

Como ajudar

Estudos comprovam que a cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo. Os números da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que 804 mil pessoas cometem suicídio por ano. A Índia lidera o ranking com 258 mil casos. O Brasil está em 8° lugar na lista, com 11.821 mortes. O número de suicídios entre jovens tem aumentado em todo o mundo e, na maioria dos casos, há algum transtorno mental associado, em geral, a depressão. Por isso, pais e responsáveis, muita atenção com seus filhos adolescentes, especialmente quando apresentarem mudanças bruscas de comportamento.

Monitorar o uso da internet, frequentar as redes sociais dos filhos, observar comportamentos estranhos e, sobretudo, conversar e conscientizar os adolescentes a respeito das consequências de práticas que nada têm de brincadeira. Atenção redobrada com os jovens que apresentem tendência a depressão, pois eles costumam ser especialmente atraídos por jogos como o da Baleia Azul. Também as escolas devem colocar o assunto em pauta e incorporar no currículo, cada vez mais, a educação para a valorização da vida, o respeito pela vida dos outros e o uso consciente das mídias e tecnologias. Nunca se sabe o que o outro está verdadeiramente sentindo. Muitas pessoas deixam de falar de questões emocionais por falta de conhecimento ou por vergonha. Não tenha medo de buscar ajuda e respeite a condição psicológica do próximo. Observe o modo como você se refere a assuntos de saúde mental. O preconceito ainda é o que mais afasta os doentes da ajuda necessária. 

Algumas instituições oferecem ajuda gratuita como o Centro de Valorização da Vida (CVV) que realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. O serviço funciona 24 horas por dia pelo telefone 141, chat, e-mail ou Skype. Em Maceió as pessoas também podem buscar apoio no CAVIDA (Centro de Amor à Vida), o centro funciona de segunda a sexta, de 08h às 12h e das 14h às 17h30, no endereço Av. Comendador Gustavo Paiva, 2889, Mangabeiras. O contato também pode ser feito por telefone no número (82) 98879 2710 e no e-mail contato@cavida.org  O projeto é voluntário e oferece apoio psicológico as pessoas que apresentem características de comportamentos de risco para o suicídio, pessoas com depressão, dependentes químicos, problemas familiares, conflitos de relacionamentos e dificuldades emocionais. E há também a Linha de Prevenção ao Suicídio 0800-273-8255.

Facebook