Aécio e Jucá são os líderes da corrupção - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas

Blog | Blog do Dresch

             Os presidentes do PSDB, Aécio Neves, e do PMDB, Romero Jucá, são os dois políticos que acumulam o maior número de pedidos de investigação, cinco cada um. Eles foram citados nos depoimentos da delação premiada dos executivos da Odebrecht, no âmbito da Operação Lava Jato. Aécio foi citado nos depoimentos de Marcelo Odebrecht, Benedito Barbosa da Silva Júnior, Sérgio Luiz Neves, Cláudio Melo Filho e Henrique  Valladares. Nas delações, o líder tucano praticou corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

Aécio e Jucá lideram corrupção 2

             Já a situação do presidente do PMDB, senador Romero Jucá (RR) não é diferente. Ele é citado por ter recebido R$ 4 milhões para atuar de acordo com os interesses da Odebrecht no Congresso Nacional, auxiliando a aprovação de uma resolução que reduziria a disputa fiscal entre os estados, para o desembarque de mercadoria nos portos. Ele também teria recebido cerca de R$ 10 milhões para ajudar na licitação da Hidroelétrica de Santo Antônio, vencida pela construtora Andrade Gutierrez. Além disso, Jucá será investigado por outros episódios de corrupção envolvendo diversos políticos do seu partido.

Temer escapa, por enquanto

             A decisão do STF em autorizar a abertura de inquérito contra os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e Moreira Franco, da Secretaria Geral, cita a impossibilidade de se investigar o presidente Temer, porque, embora haja a “menção de participação” do mesmo nas investigações do Ministério Público, o presidente possui imunidade temporária enquanto ocupar o cargo. O inquérito investigará várias situações que envolvem o nome do presidente e seu “núcleo forte” citado nas delações dos executivos da Odebrecht. A acusação contra Padilha e Franco envolvem crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e corrupção ativa. O ministro Fachin autorizou ainda a quebra do sigilo dos autos. São vários os episódios delatados, como o de um jantar em 28 de Maio de 1984, no Palácio Jaburu entre Temer, Padilha e o empresário Marcelo Odebrecht. Na ocasião foi solicitado o valor de R$ 10 milhões para a campanha eleitoral, sendo que R$ 6 milhões iriam para o presidente da Fiesp Paulo Skaf, e R$ 4 milhões para Padilha. O fato foi relatado pelo próprio Marcelo Odebrecht com riqueza de detalhes. A informação é do jornal Valor Econômico.

 

Hospital em Porto Calvo

             A região Norte do Estado será atendida por um hospital regional, a ser construído na cidade de Porto Calvo. Ontem, aniversário da cidade (381 anos), o governador Renan Filho autorizou o início do processo licitatório da obra. A unidade vai atender casos de urgência e emergência, atendimentos clínicos e materno/infantil para pacientes do SUS. Serão ofertados serviços de média complexidade em seus 110 leitos. O valor estimativo da obra é de R$ 37.964, 311,17.

Qual o valor da cultura?

                Um Atlas Econômico da Cultura Brasileira foi lançado recentemente, para estabelecer uma padronização para medir a participação da cultura no produto Interno Bruto. O Ministério da Cultura lançou os dois primeiros volumes, de um total de seis. Eles trazem a estimativa de que os setores culturais brasileiros representavam, em 2010, cerca de 4% do PIB anual do país. “O fato de termos a dimensão econômica da cultura pouco contabilizada leva a certa descrença do próprio governo de que o setor tenha um grande impacto econômico” justifica o Ministro Roberto Freire.

Qual o valor da cultura? 2

                Segundo o ministro da Cultura, o Atlas pretende mostrar o quanto do que se produz da riqueza vem da área cultural, e isso vai mostrar ao governo, que em vez que de cortar recursos da cultura em um momento de crise, é importante fazer o contrário: investir em cultura para movimentar a economia e fazê-la crescer, defendeu Roberto Freire. A pesquisa para elaboração do Atlas começou em 2013 e foi desenvolvido em cooperação com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Qual o valor da cultura? 3

               A medição do chamado “PIB da Cultura” já existe em 21 países do mundo, sendo sete na América Latina (Colômbia, Chile, Uruguai, Argentina, Peru, Bolívia e Equador). No Brasil, segundo o Ministério, os dados não são construídos com periodicidade. O Atlas pretende suprir estas carências se apoiando em 4 eixos principais: empreendimentos culturais, mão de obra do setor cultural, investimentos públicos e comércio exterior. As cadeias produtivas prioritárias são audiovisual, games, mercado editorial, música, museus e patrimônio.

 

  • O Ministério Público Estadual deverá entrar com uma ação contra a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, em função dos resultados da auditoria realizada pela Fundação Osvaldo Cruz.
  • As distorções encontradas na folha de pagamento do legislativo estadual impressionaram o MPE.
  • Foi encontrada uma relação de 45 pessoas que ainda não tinham 18 anos quando ingressaram no quadro efetivo da casa, até a promulgação da Constituição de 1988.
  • Também foram encontrados 84 servidores recebendo salários normalmente, tendo falecido há anos.
  • A auditoria detectou ainda 34 pagamentos indevidos como se fosse auxílio funeral, sendo seis casos com benefícios pagos com mais de dez meses depois do óbito. Um caso foi detectado que o servidor havia falecido há 33 meses.
  • A Assembleia Legislativa de Alagoas parece mesmo um caso sem solução. Morreremos todos, e tudo continuará do mesmo jeito!

Facebook