Um processo a mais para Bolsonaro - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas

Blog | Blog do Dresch

             A declaração racista e vergonhosa que foi dada pelo deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) lhe valeu um novo processo movido pelo Ministério Público Federal. Procuradores ingressaram com uma ação civil pública por causa de uma fala do deputado reacionário durante um evento no Clube Hebraica do Rio de Janeiro na semana passada. Disse Bolsonaro na oportunidade: “Eu fui a um quilombo. O afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada. Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano é gasto com eles”.

Um processo a mais...2

             Para o MPF a fala de Bolsonaro “ofendeu e depreciou a população negra e os indivíduos pertencentes às comunidades quilombolas, bem como incitou a discriminação contra esses povos. É evidente que não podemos entender que o réu está acobertado pela liberdade de expressão, quando claramente ultrapassa qualquer limite constitucional, ofendendo a honra das pessoas citadas, com base em atitudes inquestionavelmente preconceituosas e discriminatórias” afirmam os procuradores na ação.

 

A vez do golpe trabalhista

             O relator da proposta de reforma trabalhista, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) revelou que o seu relatório vai mexer em 100 pontos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Para o deputado, as mudanças significam “a modernização da legislação trabalhista”. A reforma retira o poder de decisão dos sindicatos e das centrais sindicais e deixa o trabalhador vulnerável. O projeto estimula os acordos coletivos negociados entre empresas e trabalhadores, para uma jornada de 12 horas diárias, com limite de 48 horas semanais, remuneração por produtividade e registro de ponto. O relatório defende também o fim do imposto sindical. A proposta ainda contempla duas salvaguardas ao trabalho terceirizado e que não constavam do projeto aprovado pela Câmara. Marinho também pretende incluir várias mudanças relacionadas aos direitos das mulheres. Uma delas é permitir que grávidas e lactantes possam trabalhar em locais insalubres, desde que apresentem um atestado médico. Hoje isso é proibido pela legislação trabalhista.

 

Incentivos ás confecções

             O Estado de Alagoas vai conceder incentivos fiscais à cadeia produtiva de confecções no Estado. A garantia foi dada pelo governador Renan Filho durante as ações desenvolvidas pelo Governo Presente, no último final de semana na região da Zona da Mata. O governador lembrou que atitude semelhante foi colocada em prática pelo governo de Pernambuco há alguns anos e tornou cidades como Caruaru, Toritama e Santa Cruz do Capibaribe polos de confecções, porque não se paga ICMS na produção de roupas.

Incentivo às confecções 2

             Com a desoneração das confecções pernambucanas, a produção aumentou, as vendas seguiram no mesmo nível e o número de empregos no setor cresceu e muito. “Vamos conceder incentivos fiscais à cadeia produtiva das confecções e desonerá-la. Isso vai induzir o crescimento do setor e trazer de volta os alagoanos que estão produzindo em Pernambuco” afirmou Renan Filho, lembrando que o estado conta com polos têxteis em Murici, Delmiro Gouveia, Palmeira dos Índios, Arapiraca e Maceió.

Exame normal é desperdício

                Ao participar de um evento sobre o Brasil elaborado pela Universidade de Harvard, o Ministro da Saúde do governo Temer, Ricardo Barros, afirmou que “80% dos exames de imagem do SUS têm resultado normal e significa que são desperdícios que precisam ser controlados”.  A informação é da BBC. Disse o Ministro: “Temos que ter controle da demanda que os médicos fazem destes exames e passar a avaliar como utilizam sua capacidade de demandar do SUS. Se o médico solicita muitos exames que dão resultado normal, ele não está agindo de forma correta com o sistema” disse ele.

Exame normal é desperdício 2

                 Segundo Barros, exames de imagem, como as ultrassonografias que não identificam problemas, sugerem que os médicos não acertaram no diagnóstico clínico. “Mas os médicos não podem pedir exame como forma de transferir sua responsabilidade de emitir diagnósticos. Os exames devem ser usados na necessidade, não como rotina” disse o Ministro, que defendeu ainda a integração do profissional com o sistema e não querendo ser o centro do sistema.

 

  • Começa na próxima segunda feira, dia 17, a campanha de vacinação contra a gripe influenza em todo o estado de Alagoas. 
  • Ela vai se estender até o dia 23 de Maio, segundo determinação do Ministério da Saúde. 
  • Para a vacinação deste ano, Alagoas recebeu 735.987 doses da vacina, quantidade segura para imunizar 662.388 pessoas, o que equivale a 90% do público alvo.
  • De acordo com o Programa Nacional de Imunização (PNI), deverão ser vacinados este ano em Alagoas, os profissionais da área da saúde, crianças maiores de 6 meses e menores de 5 anos, gestantes e puérperas (que realizaram parto até 45 dias).
  • E ainda os idosos com mais de 60 anos, portadores de doenças crônicas, população indígena, população carcerária, agentes penitenciários e professores.

Facebook