Alternativas para uma Páscoa doce e que não pese no bolso - Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas Tribuna Hoje - O portal de notícias que mais cresce em Alagoas

Blog | Maternidade Colaborativa, por Joelma Leite

O carnaval já passou e 40 dias após a maior festa de rua do Brasil é comemorado a maior e mais importante festa da Cristandade, a Páscoa. Para os cristãos, a Páscoa é o momento para celebrar a ressureição de Jesus Cristo, renovar a esperança e valorizar a vida. Porém, tirando as crenças pessoais e religiosas, essa se tornou uma época de intenso consumismo para a maioria da população, onde o real significado da data se perdeu para o comércio.

Já parou para pensar em como uma data religiosa virou motivo para pagarmos até 500% mais caro em chocolates com formato oval? Você sabia que os lucros oriundos das vendas de Páscoa são tão grandes que algumas empresas de chocolate conseguem pagar as despesas de todo ano apenas com os ganhos dessa festividade? Não é à toa que as grandes fabricantes de ovos de chocolate investem pesado em publicidade para tornar a data atrativa para muitas pessoas e as crianças são alvo fácil. Antigamente, era somente o chocolate. Hoje, a maioria dos ovos (com preço devidamente inflacionado quando comparado a uma barra) trazem consigo os brinquedos. Assim, a criança é seduzida por diferentes fatores: o doce e a diversão. Como as empresas de chocolate não são bobas e seu principal objetivo é o lucro, eles investem alguns centavos a mais em caixas de papelão e embalagens bonitas para colocar os ovos e deixam o preço mais elevado para que o ovo se torne um presente valioso. No caso das crianças, ainda compram brinquedos baratos da China para valorizar o quilo do chocolate. Isto fez a Páscoa se tornar mais uma data onde todos são obrigados a comprar presentes e brinquedos. Uma data inicialmente religiosa se transformou uma data culto ao consumismo.

 

Para aqueles que querem fugir do consumismo desse período, apresentamos aqui algumas dicas, que garantirá uma Páscoa doce, sem agredir o bolso.

 Faça cenouras de papel e “recheie” com frutas secas e bolinhas de chocolates.  

 Compre bolas de isopor em formato oval, pinte ou decore e coloque um presente dentro, pode ser um coelhinho de pelúcia, brinquedos educativos,chocolates. Embale com papel colorido e coloque um laço. A criançada vai amar!

 

Encomende mini ovinhos e espalhe pela casa, fazendo uma caça aos ovos.Faça várias pegadas pela casa e espalhe os ovinhos e deixe as crianças livres para se divertirem na busca.


E, caso opte por comprar realmente um ovo, faça uma escolha mais consciente! Prefira um ovo caseiro em vez de um industrializado. Assim, você está ajudando algum pequeno empresário. 

 

Informações importantes

 Evite oferecer chocolate para crianças abaixo de 2 ano de idade e controle a oferta dos ovinhos de chocolates para as crianças acima dessa idade. O chocolate quando oferecido precocemente pode favorecer manifestações alérgicas como manchas na pele, tosse e secreção em vias aéreas. O uso de doces na primeira infância favorece a mudança nas papilas gustativas da língua, alterando precocemente o paladar e induzindo a recusa alimentar de alguns alimentos não adocicados. É recomendado o consumo de chocolates com alta concentração de cacau, os chamados chocolates amargos, por sua menor quantidade de açúcar e gordura. A recomendação de consumo para crianças acima de 2 anos são de 15 a 20 gramas ao dia e para os maiores são 30 gramas/dia. Mesmo os chocolates meio amargos ou amargos devem ser consumidos nesta quantidade.

Facebook