Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /var/www/html/wp-content/themes/tribuna-2017/header.php on line 34
Warning: implode(): Invalid arguments passed in /var/www/html/wp-content/themes/tribuna-2017/header.php on line 40
class="post-template-default single single-post postid-106834 single-format-standard">

Flávio Gomes

8 de junho de 2018

O governo Temer acabou

Márcio Coimbra: “A greve dos caminhoneiros é mais uma herança dos anos em que se tentou reinventar a economia brasileira por meio de um nacional-desenvolvimentismo terceiro-mundista calcado em uma visão tacanha e limitada de mundo. Subsídios, incentivos, empréstimos. Mecanismos arquitetados sem qualquer planejamento. Se a intervenção do governo faz mal para economia, uma intervenção sem plano consegue ser ainda mais danosa, pois gera desdobramentos ao longo dos anos, como estamos vendo e vivendo. Isto não exime o atual governo de culpa. Longe de ser reformista, como pretendido, ou ético, como a população demanda, o Planalto primou também pelo amadorismo. Na política as nuvens movem-se rapidamente e aquele governo que, apesar de impopular, recuperava a economia e possuía uma ampla base no Parlamento, se dissolveu em questão de semanas. Com a economia desandando e sua política desacreditada nos corredores do Congresso Nacional, esta administração entrou em estado terminal. O governo acabou. Chegará até dezembro respirando por aparelhos.”

Outro quadro

Em 1994, Divaldo Suruagy obteve seu 3º mandato de governador, alcançando 81% dos votos, recorde nacional. Há expectativa que Renan Filho supere essa marca, pela sua condição de favorito absoluto na eleição deste ano, mas dificilmente isso irá ocorrer. A análise fria do quadro atual leva a essa constatação.

Razões

Renan Filho, apesar de ter uma gestão muito bem avaliada, não passa de 35% das intenções de voto no Estado, mesmo na condição de ser praticamente candidato único. Perde para a soma de votos nulos, brancos e provável abstenção. É vítima também do desinteresse geral do eleitorado brasileiro pelas questões políticas.

Estilo

O senador Fernando Collor (PTC/AL) tem seu espaçoso gabinete no Congresso sempre lotado, especialmente agora, pré-candidato à Presidência da República. Mas sempre dá um jeito de proporcionar atenção especial aos seus conterrâneos de Alagoas. Diferente de outros parlamentares que também integram a bancada alagoana.

Anfitrião

O presidente da Federação das Indústrias de Alagoas, José Carlos Lyra de Andrade, recebe hoje integrantes das bancadas federal e estadual, além de gestores públicos e da sociedade civil. Lyra fará exposição das atividades desenvolvidas pelo sistema Sesi/Senai em favor do desenvolvimento econômico e social de Alagoas.

In loco

O TRE/AL realiza hoje, em Santana do Ipanema, reunião com juízes, promotores e representantes de órgãos de segurança pública. “Nossa ideia é descentralizar esses encontros para conhecer melhor os problemas específicos de cada região e nos integrar melhor”, diz o presidente, desembargador José Carlos Malta Marques.

Vexame

Do juiz federal Marcelo Bretas, ouvindo por videoconferência o ex-presidente Lula, preso em Curitiba: “Sua história é relevante para todos nós e, para mim inclusive, que aos 18, 17 anos estava aqui no comício na Presidente Vargas, com 1 milhão de pessoas usando boné e camiseta com o seu nome”. Faltou pedir autógrafo.

Lula, sim

O PT vai lançar hoje, em Contagem, Minas Gerais, a candidatura do ex-presidente Lula ao Palácio do Planalto. A estratégia foi acertada em almoço da presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR), com quatro dos cinco governadores do partido. Gleisi cobrou a defesa pública de Lula, sepultando um “Plano B” para substituí-lo.

*Foi sepultado ontem à tarde, no Parque das Flores, o ministro aposentado do Superior Tribunal Justiça Pedro da Rocha Acioli. Natural de Murici, tinha 93 anos e também foi juiz federal, além de ter atuado no Tribunal Superior Eleitoral.

*“Criança não se desenvolve trabalhando. Criança se desenvolve estudando e brincando”, é o tema de hoje do projeto Papo de Mestre, que visa estimular o combate à exploração do trabalho infantil. Às 9 horas, na Biblioteca Pública Graciliano Ramos.

*Adélia Magalhães e Maria de Jesus homenageiam hoje Camões e Portugal, cantando fados de Amália Rodrigues, eterna representante da música portuguesa. A partir das 19 horas, no Museu da Imagem e do Som, na Praça Dois Leões, em Jaraguá.

*A cantora Irina Costa se apresenta hoje no restaurante Tasca Portuguesa, em noite de fados, antecipando as comemorações do Dia de Portugal. Irina será acompanhada por Willbert Fialho (violão) e Wellington Pinheiro (guitarra). Contato: 3436.0316.

*O projeto Sesc das Artes recebe hoje o show “Transparências”, com os músicos Júnior Almeida e Almir Medeiros, dois grandes nomes da música alagoana. A partir das 20 horas, no Teatro Hermeto Pascoal, no Sesc Arapiraca, com entrada franca.

*O show Oxente Stand-up ocorre hoje, com os humoristas David Oliveira, Jurandir Bozo, Cláudia Helena, Eduardo Roseno, Gi Silva, Romário Steven e Rafael Costa. A partir das 20 horas, no Zeppelin Bar e Restaurante, Centro. Contato: 98715.8009.

*Com o tema “Alagoas nas Copas do Mundo, os jogadores e o jornalismo alagoano em Mundiais “, o Arquivo Público de Alagoas realiza hoje mais um Chá de Memória. Às 16 horas, com Lauthenay Perdigão, diretor do Museu dos Esportes, e Antônio Torres.

“Não tem estresse. Tem divergências em partido grande”.

Geraldo Alckmim

Pré-candidato do PSDB à Presidência da República, sobre as divergências internas no partido por conta da estagnação da sua candidatura