Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /var/www/html/wp-content/themes/tribuna-2017/header.php on line 34
Warning: implode(): Invalid arguments passed in /var/www/html/wp-content/themes/tribuna-2017/header.php on line 40
class="post-template-default single single-post postid-105090 single-format-standard">

Flávio Gomes

2 de junho de 2018

Eleições em risco

Eduardo Giannetti: “O Brasil não passou por algo equivalente à Revolução Francesa e à Americana. Ainda estamos vivendo numa espécie de antigo regime em que os governantes acreditam que as pessoas existem para servi-los, e não o contrário. Eles lidam com a sociedade civil como se ela fosse um ente servil e tutelar, que existe para render tributos e prestígio. E acho que estamos caminhando para uma situação, que eu espero que seja resolvida nas urnas, quando vamos questionar a prevalência desse antigo regime caracterizado por duas realidades que foram muito bem explicitadas pela Lava Jato. A primeira é um patronato político que usa o poder para se perpetuar nele e age como se o poder fosse um patrimônio. Aí entra a noção de patrimonialismo de Raymundo Faoro [1925-2003]. E isso vale para todos os grupos políticos que passaram pelo Palácio do Planalto. Aliado a esse grupo existe um segmento muito relevante do setor privado, do empresariado brasileiro, que, em vez de buscar o crescimento de seus negócios no mercado, criando valor pela inovação e pela eficiência, busca crescer por meio de acesso privilegiado a governantes, num jogo de caça às rendas. Acho perigoso que o quadro se complique a tal ponto que coloque em risco até mesmo a realização de eleições em um clima minimamente civilizado, que permita o debate e o uso dessa oportunidade para tentar melhorar o país.”

Controle

Apesar das dificuldades gerais, o governador Renan Filho tem transmitido bastante confiança aos seus interlocutores. Demonstra controle absoluto sobre a sua gestão e dá a impressão de que já tem um planejamento definido para eventual segundo mandato. Em sua opinião, Alagoas continua muito bem – exceção à regra nacional.

Concordância

Renan Filho: “Se o Brasil decidir fazer nova política de ICMS, reduzindo o imposto para todos os Estados, Alagoas não será contra. Agora, não podemos fazer nada sozinhos na esfera fiscal porque qualquer decisão agora fragiliza as finanças públicas justamente num momento em que o governo federal balança, mas não cai.”

 

Na mira

Pré-candidato a senador pelo PSDB, o deputado estadual Rodrigo Cunha passou a ser alvo preferencial dos seus concorrentes, especialmente de Benedito de Lira e Renan Calheiros, os dois senadores que concorrem à reeleição. Vale tudo para que a proposta de renovação, defendida por Rodrigo Cunha, não prevaleça.

Caso a parte

O prefeito de Maceió, Rui Palmeira, tem dito que Benedito de Lira e Rodrigo Cunha são os seus dois candidatos ao Senado. Na prática, não é bem assim. Maurício Quintella, também candidato ao Senado, passou ao grupo do governador Renan Filho quando Rui decidiu ficar na prefeitura, mas mantém duas secretarias no município.

Suspeição

Nessa fase de pré-campanha eleitoral, vivemos um momento de divulgação constante de pesquisas. Mas, infelizmente, não dá para acreditar em todas elas. Não é fácil para o cidadão comum, mas é preciso, por exemplo, saber se há ligações pessoais e políticas entre quem contrata a pesquisa e quem tem o dever de executá-la.

Violência

Empresários do setor estão preocupados com assaltos a ônibus de turismo em viagem ao Litoral Norte, especialmente Maragogi. Pior que isso, com a omissão oficial na apuração dos casos. Há ocorrência de assaltos constantes num quebra mola próximo à Usina Santo Antônio, sem que os responsáveis sejam sequer identificados.

Opinião

Ministro Marco Aurélio Mello, do STF: “Deve-se atuar com a lei e dentro da lei, porque fora dela não há salvação. O apego maior precisa ser ao arcabouço normativo. Nada mais gratifica o homem do que servir aos seus semelhantes e quando se atua julgando conflitos de interesse, a satisfação é ímpar quanto a ser útil para os cidadãos”.

* A necessidade de um registro compulsório de câncer e a regulamentação do prazo máximo de 30 dias para diagnóstico na rede pública serão temas de debate público na 2ª feira próxima, 14 horas, na Assembleia Legislativa. Proposta da deputada Jó Pereira.

* O Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 05 de junho, motiva a prefeitura a realizar a Semana Maceió Mais Sustentável, deste domingo, 3, até 10 de junho, com atividades no Maceió Shopping, no bairro de Mangabeiras. Aberto ao público.

*O grupo Roupa Nova, um dos mais tradicionais da música popular brasileira, terá sua carreia enfocada no programa “Aplauso” deste final de semana. Sábado, das 15 às 17 horas, na Difusora AM; domingo, das 10 horas ao meio-dia, na Educativa FM.

*Neste domingo, dia 3 de junho, o Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas realiza mais uma etapa do projeto Concerto aos Domingos, às 10 horas, com entrada franca. A atração do dia é o CORETFAL,  sob a batuta da Maestrina Fátima Menezes.

* O Circuito Penedo de Cinema abriu inscrições para filmes em curta-metragem. As produções podem ser inscritas gratuitamente até 23 de julho, em uma das três mostras competitivas dos eventos que integram o Circuito programado para este ano.

* A Sedetur lança nova oportunidade para os artesãos, com o edital para selecionar profissionais para feiras nacionais no segundo semestre: 19ª Fenearte (Recife), Salão do Artesanato (São Paulo) e a 29ª Feira Nacional do Artesanato (Belo Horizonte).

*Ainda estamos no início do Campeonato Brasileiro da Série B, mas para o CRB, na zona de rebaixamento, a situação é de “tudo ou nada”. Isso inclui o jogo desta tarde, às 16h30m, no Trapichão, quando o clube enfrenta o Brasil de Pelotas.

 

“Michel Temer é um pato manco, não tem voz de comando”

Roberto Romano

Professor de ética da Unicamp – Universidade Estadual de Campinas