Blog do Dresch

20 de Março de 2018

Thereza Collor assume candidatura, por São Paulo

A empresária Thereza Collor resolveu assumir sua candidatura rumo à Câmara dos Deputados nas próximas eleições. Em entrevista, ela assumiu que é pré-candidata pelo PSDB, mas dificilmente consegue “tocar” a campanha, sem falar no período que a marcou como a “musa do impeachment” (1992), quando o seu então marido, Pedro Collor de Mello (que morreu em 1994), denunciou um esquema de corrupção que envolvia o próprio irmão, o então presidente da República, Fernando Collor de Mello. “Ser considerada musa foi uma honra. Mas agora não posso ser musa de uma nova política, não é?” diz ela bem-humorada. Há 18 anos vivendo em São Paulo, sairá candidata pelo estado onde vive, e não por Alagoas onde já foi secretária de estado e desenvolve campanhas de preservação ambiental com certa frequência.

Musa alagoana é candidata 2

Na entrevista concedida ao Estado de São Paulo, Thereza garante que vai adotar o combate à corrupção como o seu principal discurso. Diz não concordar com as ideias do pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL) e considera a ex-ministra Marina Silva (Rede) uma “pessoa maravilhosa, mas ausente dos grandes debates nacionais”. Sobre uma possível candidatura do ex-cunhado, Fernando Collor, Thereza diz que “ele tem o direito de querer ser presidente, mas se antes teve problemas com Fiat Elba, agora vai ser com uma Maserati, uma Ferrari. Achei que com o tempo e a maturidade, ele poderia ter aprendido um pouco mais, mas cada um escolhe suas opções” disse. Hoje Thereza é casada com o empresário Gustavo Halbreich e está disposta a dar voz ás suas aspirações políticas.

 

12 ativistas mortos este ano

Até este momento, neste ano de 2018, doze ativistas sociais foram assassinados no Brasil, por crime de mando. O dobro das vítimas de 2017. Nos últimos cinco anos, o número de lideranças eliminadas chega a 194, segundo levantamento feito pelo Estadão. O último caso, um dos mais emblemáticos, em função do período que o país atravessa e pela intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro, é a morte da vereadora Marielle Franco. Uma liderança atuante na defesa de mulheres, negros, homossexuais e favelados. Ativistas que atuam contra o excesso de tropas legais e milícias na cidade ou no campo sempre estiveram nas estatísticas. A novidade é que eles passaram a predominar, nesta década, na lista de mortos ou marcados para morrer. E a proteção dada a estas pessoas é quase nula. Dos 342 beneficiados pelo programa de Proteção dos Defensores de Direitos Humanos, do governo federal, apenas três atuam no combate à violência policial. A maioria está ligada à militância pelo direito à terra (54) seguido por defensores de povos indígenas (43).

Novo censo para servidores

Um novo recadastramento para os servidores da administração direta e indireta do Poder Executivo estadual será realizado, para uma atualização de dados. Uma portaria que disciplina o recadastramento já foi publicada no Diário Oficial do Estado. O processo será obrigatório para todos os servidores, e as informações preenchidas e confirmadas pelos servidores públicos ficarão armazenadas em um banco de dados temporário e serão cruzadas com o banco de dados do Sistema de Folha de Pagamento. Caberá à Secretaria de Planejamento, Gestão e Patrimônio definir o calendário de convocação do recadastramento e orientar órgãos e entidades sobre o seu cumprimento.

Casa Branca arma escolas

Um plano para reduzir a violência armada nas escolas norte-americanas, foi anunciado pela Casa Branca. Entre as medidas está a de capacitar funcionários das escolas no uso de armas, com o intuito de “endurecer nossas escolas”, estabelecendo procedimentos de segurança comparáveis aos dos aeroportos, estádios esportivos e prédios governamentais. Segundo a Casa Branca, a ideia é usar subsídios do Departamento de Justiça para capacitar o pessoal da escola a transportar armas “de forma voluntária”. O plano do governo foi elaborado na sequência do tiroteio que deixou 17 mortos em uma escola na cidade de Parkland, na Flórida.

Ministério confirma verba

O Ministério da Saúde confirmou a liberação de recursos para a construção de um laboratório na Universidade Federal de Alagoas, que realizará pesquisas com células-tronco na busca por resultados mais efetivos no tratamento das vítimas da Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA). Atualmente a única forma de tratamento é através do uso de Riluzol que age para diminuir o desconforto dos pacientes. A montagem do laboratório sempre foi um pleito liderado pelo médico Emerson Casado, que sofre com a doença e que recentemente conseguiu realizar um seminário internacional para discutir a enfermidade.

Ministério confirma verba 2

O recurso liberado é na ordem de R$ 2,3 milhões e o laboratório também poderá investigar novos produtos e medicamentos para o tratamento da doença. Desde 2009, o Ministério da Saúde através do SUS, oferece assistência e medicamentos gratuitos para os pacientes com ELA. Em 2014, foi instituída a Política Nacional de Atenção Integral ás Pessoas com Doenças Raras, incluindo a Esclerose Lateral Amiotrófica. No Brasil, 277 hospitais estão habilitados com unidade ou Centro de Referência de Alta Complexidade em Neurologia /Neurocirurgia. Segundo o Ministério, também é garantida a oferta de 44 procedimentos (clínico ou de reabilitação) para doenças relacionadas a esclerose (múltipla ou lateral).

 

 

  • Mais um desportista morreu atropelado no último Domingo, quando pedalava com um grupo de amigos em um dos trechos da rodovia AL-220, já na altura de São Miguel dos Campos.
  • O subtenente aposentado da Polícia Militar de Alagoas. José Ronaldo de Souza, 57 anos, adepto da prática do ciclismo, foi atropelado por um carro, modelo Ônix, segundo dados de policiais que estiveram no local. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado, mas a vítima já estava em óbito.
  • O corpo foi recolhido ao Instituto Médico Legal de Arapiraca, onde o subtenente José Ronaldo residia. Peritos do Instituto de Criminalística estiveram no local para os devidos levantamentos.
  • O condutor do veículo permaneceu no local.