Ailton Villanova

3 de fevereiro de 2018

Judas novamente!!!

ilustracao 03 02 18 rpt 02 11 12 600x300 c - Judas novamente!!!

      Na tranquilidade do paraíso celestial, Jesus Cristo observava as confusões aqui na Terra: políticos sendo presos sob a acusação de roubo e corrupção, ricaços perseguidos pelos federais por sonegação do imposto de renda, polícia matando bandido no estrito cumprimento dever legal e bandido matando policiais impunemente; milhões de assaltos, estupros e a droga dando no meio da canela…

      Mas um detalhe lhe chamou mais atenção ainda: num pontinho inserido no mapa mundial, destacava-se uma cidade chamada Maceió, onde a violência campeava, em que pese suas autoridades andarem alardeando que “tudo está sob o controle!” Jesus Cristo preocupou-se. Aí, o que fez? Chamou ao seu gabinete todo o seu “staff” para uma reunião de emergência e determinou:

      – Precisamos acabar com a violência na Terra, principalmente na cidade de Maceió, que fica no Brasil, país bonito, mas tomado pelas drogas! Chamei-os aqui para discutirmos uma maneira de solucionarmos esse problema, já que os governos não estão fazendo nada!

       Depois de muita discussão, organizaram uma comissão de apóstolos para, prioritariamente, dar um basta no consumo de drogas que, na opinião de todos, era a geradora de toda a violência que havia se instalado no Brasil. Os demais problemas, como o da corrupção, por exemplo, Jesus Cristo encarregaria o Supremo Tribunal Federal, para resolvê-los.

       A comissão celestial baixou na terra, tomando como ponto de partida para suas ações, a cidade de Maceió, e meteu mãos à obra. A operação foi feita em dois dias. Afinal, os missionários eram todos santos, autorizados, portanto, a operarem milagres, caso houvesse necessidade.

       Cumprida a tarefa, os apóstolos começaram a voltar e na portaria do céu Jesus Cristo os aguardava. Chegou o primeiro e Ele foi logo perguntando, assim que escutou as batidas na porta:

       – Quem é?

       – Sou eu, Paulo!

       Jesus abriu a porta:

       – Que novidades me trazes, Paulo?

       – Trago pó de uma certa Colombia, mas que é bastante consumido em Maceió!

        – Muito bem filho, entre!

        Então, chegou o segundo apóstolo:

        – Quem é?

        – Sou o Pedro! Trago maconha. Maceió está infestada dessa droga, Mestre! Ah, trago muito crack, também. Esse, a turma está comendo como farinha…

        – Entre, filho.

        E assim foi, sucessivamente, até chegar o último apóstolo:

         – Quem é?

         – Judas, o Escariotes!

         Jesus abriu a porta:

         – O que tu trazes, Judas?

         E ele, metendo o pé na porta:

         – Polícia Federal! Todo mundo contra a parede! Você aí, cabeludo, mãos na cabeça!

Um barato maneiro no céu

Consumidor contumaz de maconha, o Astrigunifaldo entrou numa de exagero e esticou as canelas ligeirinho. Doidão, ele havia misturado, numa só cachimbada, maconha, cocaína, crack e uma droga novíssima intitulada “XPT-O-380”. Maior barbaridade.

      Como era gente boa, Astrigunifalfo foi direto para o céu. Chegando lá, foi recepcionado por São Pedro:

       – O que você fazia na Terra, meu filho?

       – Quem? Eu?

       – Sim, você mesmo!

       – Eu era maconheiro, São Pedro.

      – E o que vem a ser maconheiro, meu filho?

      – Maconheiro, é o cara que fuma maconha, se ligou agora?

      – E o que é maconha?

      – Maconha é um “mato” que tira a gente do sério, deixa o cara baratinadão… mas é boa pacas!

       E São Pedro:

       – Espere aí que eu vou chamar Nosso Senhor. Não escape, hein?

       – Fique frio, São Pedro. Vá tranquilo!

       Não demorou muito, São Pedro voltou com Jesus Cristo e o apresentou ao recém-chegado:

       – Senhor, este é o cristão que fuma maconha. O mestre sabe o que vem a ser isso?

       – Não sei, Pedro. O mundo avançou muito, tudo está mudado, a juventude está transviada; é sexo livre se expandindo… Nós estamos desinformados. Sabe, Pedro, acho conveniente você descer à Terra para fazer uma sondagem e se inteirar das coisas, a fim de que possamos julgar este cristão convenientemente. Por enquanto, ele vai ficar aguardando no Purgatório.

       – E que vai ficar aqui na portaria, Mestre?

       – Chame Nossa Senhora Aparecida, porque ela não está fazendo nada, por enquanto.

        Pedro mandou um pombo-correio avisá-la e ela veio feliz da vida.

      – Olha,  Aparecida – avisou São Pedro – de ordem do Senhor, você vai ficar aqui na portaria, no meu lugar, enquanto vou dar um pulinho na Terra, para fazer umas averiguações…

      – Vá tranquilo, Pedro!

       Pedro desceu à Terra e demorou para dar sinal de vida. Um mês e meio mais tarde, bateu um fio para Nossa Senhora Aparecida, que atendeu ansiosa:

       – Alô? É o Pedro?

       – É, Cidinha! Tá tudo joia aí pelo céu, gata?

       – É o Pedro mesmo?!

       – Qualé, Cidinha? Não está reconhecendo a voz do Pedrão aqui?

       – Ah… sim, claro. Como vão as coisas na Terra?

       – Boas pra cacete! Olha, gatinha, diz aí pro chefão que pode liberar o magrelo. Guentaí porque não sei quando volto, se ligou?

Com Diego Villanova