Gerônimo Vicente

28 de janeiro de 2018

Expectativa de vida no Brasil cresceu em um século mais que o Reino Unido em cinco

Em um século e quinze anos, a expectativa de vida no Brasil cresceu de 30 para 74 anos, o que representa uma evolução de 44 anos entre 1900 a 2015. Os dados foram divulgados neste domingo (28) pelo Our World in Data, site inglês especializado na divulgação de dados no mundo. Para comparação de resultados, vale salientar que na Inglaterra, em 1543, a média de vida era de 40 anos e subiu em cinco séculos para 80 anos em 2015.

No nosso país em apenas 20 anos, a expectativa de vida subiu de 30 (1900) para 50 anos (1950) e, segundo pesquisadores, as campanhas de vacinação contra doenças tropicais como, a febre amarela (essa a mesma que está de retorno), sarampo, rubéola e outras, tenham contribuição para o processo de ampliação vital dos brasileiros, especialmente nas regiões sul e sudeste do país. Tanto que o resultado da pesquisa aponta que de 1950 a 2015, a evolução na expectativa de vida ocorria cada ano e, não mais em um intervalo de 20 anos como havia ocorrido no início do século 20.

No entanto, estamos perdendo em dados sobre esse assunto para países da América do Sul, como Uruguai (77 anos), Argentina (76), Chile (78). Já os da América Central, Panamá (77), Costa Rica (79), México (76) e Cuba (79) superam as nossas expectativas. Um dado interessante é que, com toda a desgraça propagada pela mídia especialmente a brasileira, a Venezuela esta apenas a um ponto a menos que o Brasil com 74 anos de expectativa de vida.

Em toda a América, Canadá lidera a expectativa de vida com 81 anos, seguidos dos Estados Unidos com 78. No entanto, as maiores taxas de qualidade de vida estão na Espanha (82,6), Itália (82,4), França (82), Suécia (81,97) e Noruega (81,69).

Os primeiros dados sobre expectativa de vida começaram a ser apurados pelo Reino Unidos que apontaram 30 anos, depois surgiu pesquisa na Suécia (39 anos) em 1743, logo depois, em 1758 a Finlândia com (37 anos) e na França em 1803 que indicou (40 anos).

Contudo, a evolução do Brasil sobre a expectativa de vida não justifica a comemoração do governo federal com base na expectativa de vida para empurrar goela abaixo da população, a reforma da previdência que aliada à reforma trabalhistas e a falta de investimentos em educação, saúde e moradia retrocedem o país aos primeiros anos desta modalidade de pesquisa, o que significa afirma que pode haver, nos anos seguinte, uma involução nesses dados.

Confira os dados