Sérgio Toledo

26 de dezembro de 2017

Crianças que andam na ponta dos pés

Andar de bailarino. Andar em equino dos pés.

Algumas crianças corrigem mostrando só ser um hábito passageiro a maneira de andar na ponta dos pés.

Persistindo há necessidade de uma melhor avaliação procurando algo que possa representar uma deformidade fixa.

O profissional pediatra pode verificar se o equino é fixo ou não. Não podendo ser verificado o especialista será o ortopedista. Já dispomos de ortopedista pediátrico.

Temos que afastar a possibilidade de uma paralisia cerebral ou uma retração do tendão de Aquiles.

Nas duas situações o tratamento inicial será através de exercícios com fisioterapia. O profissional da fisioterapia poderá conseguir através de movimentos o alongamento e a diminuição da contratura.

Caso não sendo possível a indicação será cirúrgica. No encurtamento simples do tendão de Aquiles o alongamento do mesmo resolverá. Já no caso da contratura e espasticidade da paralisia cerebral é mais delicado o tratamento. Deverá ser liberado também o nervo responsável.

Sobre a paralisia cerebral o acompanhamento e ou tratamento conjunto com a (o) neuropediatra será de muita valia. Às vezes também a deformidade citada vem acompanhada de outras dos membros inferiores como também dos membros superiores.

Mesmo tendo o nome de paralisia cerebral a patologia não afeta na maioria das vezes, o cérebro dos pacientes tendo uma evolução mental boa.