Edmilson Teixeira

5 de dezembro de 2017

Aeroporto, rota para desafogar!  

fatima satiago 600x300 c - Aeroporto, rota para desafogar!  

Com o intuito de ampliar as opções para o escoamento do trânsito, a vereadora por Maceió, Fátima Santiago apresentou indicação que sugere a utilização da Rua Alameda da Paz no Conjunto Village Campestre II – Cidade Universitária, como uma nova opção de rota para acesso ao Aeroporto Zumbi dos Palmares, situado já no município de Rio Largo.

Argumento

Para Fátima Santiago, o fluxo de veículos nas vias que ligam o Benedito Bentes, Village Campestre e Aeroporto, têm aumentado gradativamente, e a drenagem e ligamento asfáltico da referida via, contribuirá para melhorias na mobilidade urbana do município. “A pavimentação asfáltica vai facilitar a chegada ao aeroporto e desafogar o tráfego naquela região, beneficiando a população de Maceió e o grande número de turistas que visitam o nosso Estado”, defende, Santiago.

Campo Grande

O “império político” dominado pelo prefeito de Campo Grande/AL, Arnaldo Higino ao que parece agora desmoronou por completo. O homem foi preso em flagrante desde o dia 24 do mês passado; onde uma microcâmera mostrou imagens dele recebendo dinheiro de um esquema fraudulento. E como se não bastasse, o MPE/AL detectou que existe um rombo de quase meio milhão na Prefeitura.

Outros

Além de Campo Grande, Arnaldo Higino até na gestão passada estava com a Prefeitura de Olho d’Água Grande nas mãos, onde a mulher era a prefeita; e tentou, mas sem sucesso empurrar um parente na Prefeitura de São Braz.

Jaramataia

Com seu açude agora topado de água, graças às chuvas de junho e julho deste ano, Jaramataia é só alegria com a generosidade da natureza que não deixou o açude tido como um dos maiores do estado secar por completo, visto que até então ele chegou atingir apenas 5% de sua capacidade de armazenamento, por conta de cinco anos seguidos de estiagem. É tão favorável a situação do açude agora, que na última sexta, a Codevasf fez um repovoamento de 120 mil peixes juvenis das espécies matrinxã, xira, piaba e pacamã.

Argumento

De acordo com o prefeito de Jaramataia, Jeferson Barreto, o açude é fonte de renda para centenas de famílias que sobrevivem da pesca e da criação de peixes – por isso foi encaminhado à Codevasf o pedido de peixamento. Para se ter uma ideia da importância social desse açude, as atividades desenvolvidas com ele representam cerca de 25% da economia local. São cerca de 300 famílias que integram uma associação, que trabalham no açude e serão diretamente beneficiadas – fora os empregos indiretos e a movimentação da economia local”, afirmou o prefeito.

Origem

Os peixes juvenis utilizados no repovoamento foram produzidos no Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Itiúba, centro científico e tecnológico da Codevasf localizado no município de Porto Real do Colégio. “A Codevasf produz alevinos e desenvolve pesquisas de ponta na área de recursos pesqueiros e aquicultura, por meio de seus seis Centros Integrados de Recursos Pesqueiros e Aquicultura” afirma o diretor da Área de Revitalização da Codevasf, Inaldo Guerra.

Dimensão

Com obras concluídas em 1967, o açude do Dnocs em Jaramataia é um dos maiores do estado de Alagoas, e, como o nome indica, foi implantado no município pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas. O reservatório possui capacidade para armazenar cerca de 19 milhões de metros cúbicos de água, que é represada do riacho Sertão, afluente do rio Traipu.

Feira interiorana

Como de hábito toda primeira terça-feira do mês, ocorre a tradicional Feira Orgânica da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh). Será na sede do próprio órgão, por trás da Delegacia-geral de Polícia Civil, em Jacarecica. Com o propósito de incentivar o consumo de alimentos saudáveis, a Feira, que será a último do ano, contará com a participação dos assentamentos Dom Hélder Câmara, de Murici e Aldeia Verde, do Benedito Bentes.

Cardápio

Os assentamentos vão disponibilizar uma variedade de frutas como abacaxi, laranja, acerola, além das polpas e saladas de frutas. Ervas, mel, macaxeira e inhame também constam na lista de produtos.

Bronca

 

O procurador Francisco Gerson Marques, do Ministério Público do Trabalho no Ceará (MPT-CE), alertou que a maioria dos municípios brasileiros não cumpre as leis trabalhistas, pois “não há punição aos gestores públicos infratores”. A análise foi feita na quinta-feira última em Brasília, durante o 24° Congresso da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil. Entidade declara que existem mais de três mil processos coletivos em andamento contra municípios por quebra de acordos.

Sem regra

“Como não há uma punição ao gestor público, mas ao órgão, ele acaba criando dificuldades para fazer um acordo com seus servidores e cumprir a lei. Após a judicialização dos processos, o administrador aproveita o tempo e a burocracia para empurrar o problema até a próxima gestão. Além disso, um prefeito ou secretário tende a fazer uma interpretação diferente do que está realmente na lei, seja por um problema financeiro ou fiscal”, avalia Gerson Marques.