Flávio Gomes

2 de novembro de 2017

Valei-nos, Santo Ivo

José Maria Couto Moreira: “O magistrado que deslocou o réu Sérgio Cabral para penitenciária federal, sob fundamento de que estaria ele sendo indevidamente informado onde cumpria pena, não assentou-se em prática usual. Sob a luz intensa dos holofotes o juiz não mediu nem pesou. É que, estando Cabral depondo, comparou situação que supostamente vivera como lavagem de dinheiro ao também suposto conhecimento da autoridade a características do mercado de pedras semi-preciosas, dado o fato de o juiz ter parentesco próximo com agentes que atuam naquela atividade. Daí, partiu o réu do Rio para a penitenciária federal de Campo Grande, um deslize na percepção filosófico-humanitária da execução penal. Ora, convenhamos, embora o procedimento de Cabral mereça punição exemplar (enriquecimento ilícito, concussão, prevaricação, peculato, corrupção ativa e passiva e quejandos), incorreu o juiz em clamoroso erro. Primeiro, não se pode afirmar que tenha havido informação de terceiros, pois tais atividades dos familiares do juiz não são exercidas secretamente, são de conhecimento público; segundo, por isto, o comentário não representou desrespeito ou desacato à autoridade; terceiro, o comentário não contém ameaça ao juízo ou à garantia de encarceramento do interrogando, que já recebeu pena que sobeja à sua existência. Valei-nos, Santo Ivo!”

Torcida

Há simpatizantes de Rui Palmeira que torcem para ele desistir da ideia de ser candidato ao governo e concluir seu mandato como prefeito de Maceió. Argumento: há muitas obras e ações ainda a realizar e, não concluindo a gestão, deixaria projetos no meio do caminho, para uma disputa difícil com Renan Filho.

Hipótese
Além disso, colocam que, saindo para concorrer ao governo, Rui sofreria desgaste pela renúncia e talvez não tivesse apoio do vice, Marcelo Palmeira, que concluiria o seu mandato. Entendem que Marcelo privilegiaria as reeleições do deputado Arthur Lira e do senador Benedito de Lira, seus parentes e correligionários.

Detalhe
Essa hipótese inclui um ingrediente a mais: se Rui Palmeira não for candidato, quem seria o candidato de oposição ao governador Renan Filho? Rui, que nunca se declarou candidato, até agora, é o único nome oposicionista a figurar nas pesquisas como capaz de concorrer, em condições de ganhar, com o atual governador.

Repúdio

O senador Renan Calheiros (PMDB/AL) criticou o governo federal por adiar de 2018 para 2019 o reajuste salarial de servidores públicos e alterar, de 11% para 14%, parte da contribuição previdenciária dos funcionários com salários acima de R$ 5,5 mil. “O Congresso não pode apoiar esse massacre”, desabafou.

Troco

O deputado federal Ronaldo Lessa sempre teve boas relações, inclusive políticas, com Marcus Vasconcelos e Israel Lessa – seu parente. Mas não gostou da indiferença deles quando assumiram a Arsal e a Superintendência do Ministério do Trabalho. Isso explica porque ambos sobraram no acordo PDT/Renan Filho.

Nada a opor

A evolução patrimonial de políticos, mesmo quando incompatível com os rendimentos auferidos, é de domínio público, na grande maioria dos casos. O interessante, contudo, é que, apesar do aparente enriquecimento ilícito, bens e aplicações financeiras de origem duvidosa são declarados e aceitos pela Receita Federal.

Dúvida

De Rodrigo Janot, ex-Procurador Geral da República, sobre o ministro Gilmar Mendes: “Eu não sei qual é o problema deste senhor. Qual é a razão deste comportamento, o que se quer esconder com este comportamento? Ninguém tem essa capacidade de odiar gratuitamente várias pessoas a não ser que tenha um problema de saúde.”

 

*Uma indagação bastante pertinente do site “Migalhas”: “O cenário político para 2018 é de terra arrasada. Bolsonaro, Lula, Alckmin, Ciro, Marina, Doria, Luciano Huck… Quem será o comandante da nau pátria no quadriênio 2019/22?”

*Cidadão que desembarcou ontem, às 11 horas, no Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares se deparou com a escada rolante parada. Queixou-se também que lá não existe mais livraria. E reclamou do ar condicionado, com refrigeração insuficiente.

*A Aliança Comercial informa que hoje, Dia de Finados, o Centro de Maceió abrirá em horário especial, das 9 às 13 horas. E a Fecomércio anuncia que os shoppings e supermercados funcionarão em horário normal, em Maceió e no interior.

*A Secretaria da Fazenda disponibiza aos contribuintes alagoanos consulta da existência de pendências quanto a infrações tributárias. Trata-se de uma oportunidade para que os empresários se autorregularizem antes de a Fazenda iniciar novos procedimentos.

*A banda Skank se apresenta amanhã no Café de La Musique, à margem da Rodovia AL 101 Norte, em Ipioca. A partir das 19 horas haverá apresentação do grupo alagoano Sifrão, precedendo o show da Skank. Mais informações: 3357.8007

*Amanhã e sábado, sempre às 20 horas, no Teatro de Arena Sérgio Cardoso, a atriz Ivana Iza apresenta seu mais novo espetáculo, dirigido por Fávio Rabelo e com supervisão do diretor Amir Haddad. O ingresso em o preço fixado em R$ 40,00.

*Em busca de um milagre. É o que se pode dizer do difícil jogo do CRB contra o Internacional, amanhã, às 18h15m, em Porto Alegre. São mínimas as chances de o CRB voltar para Maceió ainda fora da zona de rebaixamento da Série B do Brasileiro.

 

“Reeleição rima com corrupção no mais alto grau de depravação”

Sebastião Nery

Jornalista, na “Gazeta de Alagoas”