Edmilson Teixeira

2 de novembro de 2017

Chã Preta, otimismo futuro!

Prefeita Rita Tenório (no centro com seu vice Tó Teixeira e demais secretários) está otimista quanto à retomada do crescimento econômico do Brasil. Espera que as coisas comecem a mudar a partir de 2018, sobretudo na esfera municipal, onde as dificuldades , segundo ela, têm sido maiores em todos os sentidos. “Estamos numa batalha constante, a fim de alcançarmos nossos direitos junto ao Governo Federal; pois muitas coisas devem ser corrigidas, principalmente  na repartição do bolo federativo”, disse, explicando que foi forçada recentemente a demitir cargos comissionados e contratados, devido o aperto financeiro que vem enfrentando quando ao minguado repasse do FPM.

Chã Preta II

Ao contrário de muitas administrações pelo interior alagoano, a de Chã Preta anda de bem entre todos os poderes; principalmente em se tratando de confiabilidade existente entre a prefeita Rita Tenório e seu vice, Tó Teixeira.  É que um levantamento feito pela nossa Coluna aponta que raros são os municípios alagoanos em que prefeito e vice andam de bem.  

Cemitérios

Um grande problema que as Prefeituras de Alagoas estão enfrentando; além da crise econômica, é claro; é a questão de seus cemitérios. Têm cidades; inclusive Maceió, que não há mais espaço para construir catacumba. Muitos prefeitos atribuem o problema pela falta de terreno adequado. Na verdade, o drama dessa questão será sentido nesta quinta-feira, oportunidade em que milhares de alagoanos estarão visitando as covas de seus entes queridos.

Exemplo

Na região do Baixo São Francisco, após um longo período em situação de abandono, com muita sujeira e matagal entre as sepulturas, os cemitérios de Penedo passaram por uma série de reparos esta semana, para que possam receber nesta quinta-feira, Dia de Finados, as homenagens de familiares e amigos de entes queridos que partiram para a morada eterna. 

Cajueiro

Deputado Bruno Toledo (PSDB) tem sido presença constante em Cajueiro, sobretudo criticando o atual prefeito Palmery Neto (PMDB), que segundo ele, tem trabalhado de forma acanhada e sem ímpeto para resolver as demandas existentes.

Demissão

Como entidade de maior prestígio em seu segmento no Brasil, a Associação dos Municípios de Alagoas, AMA, bem que poderia divulgar os números de cargos comissionados e contratados de pessoas que foram demitidas pelas 102  Prefeituras alagoanas. O pior é que têm muitas Prefeituras que estavam há meses sem pagar esses servidores; pois dispensaram sem dar a mínima.   

Penedo

A Prefeitura  disponibilizou para o público  penedense  o Portal do Contribuinte. “Hoje proporcionamos comodidade ao contribuinte. Com o Portal as pessoas poderão ter acesso a suas taxas e seus impostos, tudo em uma ambiente web”, garante o Coordenador de Tributos, Geovane Nunes.  Disse que  com essa nova ferramenta, que já está em pleno funcionamento, os contribuintes poderão acompanhar os processos sem precisar ir à Prefeitura.

Penedo – outros

 “Com o serviço, os contribuintes de Penedo poderão ver extratos de débitos, emitir boletim imobiliário e guias para quitação de débitos, solicitar segunda via de documentos e ver seu histórico como contribuinte sem precisar ir até a Coordenadoria de Tributos”, acrescentou Geovane Nunes.     

Piranhas

A Canoa de Tolda, maior símbolo do Baixo São Francisco, encontra-se em estado de abandono pela Prefeitura de Piranhas. Adquirida e recuperada pelo município há mais de 10 anos e considerada um patrimônio cultural dos moradores que vivem ao longo do Velho Chico na região que compreende o município de Piranhas a Penedo, a canoa   está desprezada no rio, na comunidade da Vila de Entremontes, que fica numa distância aproximada de 25 km da cidade.

Historiador

“Este abandono é uma falta de compromisso e zelo para com o bem público e que tem uma simbologia única para o Baixo São Francisco, pois a Canoa de Tolda relembra o período áureo da navegação no rio quando se dava o transporte”, lamentou o deputado Inácio Loiola (PSB) que também é um historiador.

 

Delmiro Gouveia

A situação tem sido de pior a pior em Delmiro. É que ontem, o Ministério da Saúde suspendeu o repasse de recursos destinados a ações de Vigilância Sanitária para o município. A medida foi tomada após ter sido constatada supostas irregularidades; cuja decisão está publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira.

Outras

 De acordo com a publicação no Diário, deixarão de receber as parcelas de setembro, outubro, novembro e dezembro de 2017, as Prefeituras de Delmiro Gouveia e Passo de Camaragibe. A publicação também informa que os municípios apresentaram irregularidades quanto ao cadastro dos serviços de vigilância sanitária no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde e quanto à informação da produção da vigilância sanitária no Sistema de Informação Ambulatorial.