Blog do Dresch

17 de outubro de 2017

Alambrado pode evitar novos suicídios

                 Local escolhido por muitos para tirar a própria vida, ou pelo menos tentar, a Ponte do Vale do Reginaldo pode ganhar em breve um alambrado em toda a sua extensão. A proposta foi apresentada pelo vereador Siderlane Mendonça (PEN) e foi aprovada por unanimidade em discussão única. O local, próximo ao Terminal Rodoviário João Paulo II, é palco de diversos suicídios desde que foi construído e o alambrado dificultaria a sequência destas mortes. “O alambrado protegeria o local e impediria estes casos extremos. Colocando a proteção podemos evitar novos casos “explicou o autor da ação.

 

Juiz italiano critica Moro

                 Ex-magistrado italiano e um dos principais articuladores da Operação Mãos Limpas (que inspirou a Operação Lava Jato por aqui), Gherardo Colombo, disse que na Itália não seria possível o juiz Sérgio Moro conduzir a investigação e julgar sozinho o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O magistrado italiano concedeu entrevista no último Domingo ao jornal o Estado de São Paulo. “Notei que o juiz [Sérgio Moro] que fez a investigação é o mesmo da sentença e isso me surpreendeu, porque aqui na Itália isso não poderia acontecer”. Na Europa existe uma separação entre quem investiga e quem julga. “E também não pode emitir sozinho a sentença, que tem que ser feita por um colegiado de três pessoas. Moro conduziu só um processo que na Itália seriam necessários cinco juízes diferentes” afirmou Colombo. Disse também que a delação premiada não é permitida em casos de corrupção da Máfia e no terrorismo. “Não se pode colocar na cadeia uma pessoa para fazê-la falar” defende o italiano.


Sífilis volta a ser epidemia

                 Uma doença que era considerada coisa do passado volta a fazer parte do cotidiano dos brasileiros. Em cinco anos, o número de casos de sífilis aumentou em mais de 5.000 %, segundo dados do Ministério da Saúde. A doença passou de 1.249 casos em 2010 para 65.878 em 2015. Por conta disso foi criado o “Dia D” de combate à doença, sempre no terceiro sábado de Outubro. O aumento de casos se justifica porque as pessoas perderam o medo de contrair doenças sexualmente transmissíveis por conta do avanço dos tratamentos, que na maioria dos casos são simples e de baixo custo.

Sífilis volta a ser epidemia 2

                 Se obtiver um diagnóstico na primeira fase da doença, com tratamento à base de penicilina os pacientes ficam curados rapidamente. Caso contrário a sífilis pode trazer graves consequências.  A doença desenvolve lesões na pele, nos ossos, nas articulações, podendo causar aneurisma, meningite, paralisia geral e demência. Infecções congênitas (passadas da mãe para o bebê) acarretam alta morbidade, abortamento, prematuridade e baixo peso de nascimento, deformações ósseas, articulares e neurológicas como meningite, surdez e dificuldade de aprendizado.

Violência contra indígenas

           Um relatório divulgado pelo Conselho Indigenista Missionário (Cimi), apontou que 118 indígenas foram assassinados no Brasil, em 2016. No mesmo período outros 106 índios se suicidaram e 735 crianças indígenas morreram por causas diversas, como a desnutrição infantil. O maior número de vítimas, 44, foi registrado em Roraima, onde vive o povo Yanomami. No Ceará foram contabilizados 11 assassinatos e no Maranhão, sete. As mortes, aponta o relatório, mostram a continuidade das agressões aos povos tradicionais. Em 2015 foram 137 assassinatos e em 2014, 138.

Violência contra indígenas 2

                   A situação dos povos indígenas no Brasil tem preocupado a sociedade civil e também órgãos internacionais. Das 246 recomendações feitas ao Brasil pelas Nações Unidas, no processo de Revisão Periódica Universal, 34 tratam especificamente dos direitos dos índios: avanço na demarcação das terras; proteção para lideranças e fortalecimento da Fundação Nacional do Índio (Funai) e do Ibama. O governo brasileiro comprometeu-se com o cumprimento das medidas. Relatores internacionais criticaram a situação dos povos indígenas no Brasil e o que classificam como “ataques aos direitos ambientais”.

Justiça seja feita

                  O registro foi cobrado pela assessoria da vereadora Tereza Nelma (PSDB) e com razão. Além da vereadora Fátima Santiago (PP), Nelma também se posicionou contrária ao pronunciamento do vereador Ronaldo Luiz (PMDB) sobre homossexualidade, na semana passada, no plenário da Câmara Municipal de Maceió. Lembra ainda a assessoria da vereadora Tereza Nelma, que ela já presidiu o Conselho de Direitos Humanos da própria Câmara, além de ter participado da luta em defesa do pessoal LGBT e de outras minorias. Tribuna Livre é testemunha dessas atividades e se desculpa pelo lapso.

 

 

  • O governador Renan Filho, juntamente com o secretário de educação e vice governador Luciano Barbosa, entregou ontem a quinta escola destinada ao ensino integral.
  • A Escola Estadual professora Edleuza Oliveira da Silva, localizada em São Miguel dos Campos iniciou suas atividades com as obras ainda em andamento, sem prejudicar a qualidade do ensino ministrado.
  • Agora, totalmente concluída, a escola oferece uma estrutura com 12 salas de aula, 2 auditórios, biblioteca, sala de professores, laboratório de informática, laboratório de ciências e de robótica, sala de idiomas, espaço administrativo, recreio coberto, além de quadra poliesportiva, vestiários e campo society.
  • O governador Renan Filho salientou a consolidação do ensino integral na rede pública de ensino, com cinco novas escolas construídas com esta finalidade (as outras estão em Coruripe, Quebrangulo, Murici e Arapiraca), e outras 30 que estão sendo adaptadas para ministrar o novo tipo de educação escolar.