Blog do Dresch

4 de outubro de 2017

Universitários discutem o jornalismo policial

universitarios discutem o jornalismo policial 600x300 c - Universitários discutem o jornalismo policial

            Mais uma vez o Centro Universitário Tiradentes realiza o já tradicional “Conversa de Jornalista” que chega a sua 8ª edição abordando, este ano a reportagem policial. Serão várias palestras e mesas redondas, salientando a presença do jornalista e escritor Domingos Meirelles, que vai abordar o tema central do evento: “Jornalismo: é caso de polícia”. O evento acontece nos dias 9,10 e 11 deste mês, sempre ás 18h no Centro Universitário. No primeiro dia a pauta será sobre “A presença da mulher no jornalismo policial” com a presença das jornalistas Marina Rossi, do El País Brasil, e Jana Garcia do portal UOL, que vão falar das experiências adquiridas em coberturas policiais.

Sobre jornalismo policial 2

                 No mesmo dia, outro painel contará com a participação dos jornalistas alagoano Oscar de Melo e Carlos Madeiro. No segundo dia do evento a discussão é sobre “Jornalismo e Segurança Pública” com os jornalistas Cal Galvão, Deraldo Francisco e Rafael Alves. Também será abordada a violência contra negros e o grupo LGBT, com os sociólogos Carlos Martins e Sergio Santos, além do jornalista Jorge Vieira e Marcelo Nascimento, do movimento LGBT. No último dia, além do jornalista Domingos Meirelles, também será realizado um debate com o deputado Rodrigo Cunha sobre marketing político e a correlação com a segurança pública.

 

Censo pesquisa vias rurais

                 O censo agropecuário, iniciado Domingo em todo o país pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), pretende aproveitar as informações da zona rural, para avaliar os caminhos do campo. A coleta de dados vai abranger 5,3 milhões de propriedades rurais, seus acessos e estradas vicinais em todo o país, para gerar estatísticas sobre a produção agrícola nacional. São 19 mil pesquisadores que utilizarão um tablet com um aplicativo desenvolvido pelo IBGE para indicar as propriedades sob responsabilidades de cada um deles. As rotas serão fiscalizadas, para que o IBGE possa saber onde estão e se os questionários foram respondidos dentro das propriedades. Este censo era para ser realizado em 2015, mas atrasou e sofreu cortes: chegou a ser orçado em R$ 1,6 bilhão, com a contratação de 80 mil pessoas, mas será feito por 26.010 pessoas a um custo de R$ 785 milhões.

 

Provas proibidas nos sábados

                   A Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados, aprovou o Projeto de Lei que proíbe a aplicação, aos sábados, em todo o território nacional, de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e de concursos públicos. O projeto estabelece que as provas do Enem sejam realizadas, a partir de agora, em dois domingos consecutivos, não mais em um final de semana como acontecia antes. O projeto de lei é de autoria do deputado Moisés Diniz (PCdoB-AC), e teve como relator junto à comissão, o deputado Orlando Silva (PCdoB-SP).

Provas proibidas aos sábados 2

                 A justificativa apresentada pelo autor e corroborada pelo parecer do relator, é deque o projeto dá “respaldo legal” aos fiéis da Igreja Adventista do Sétimo Dia e aos praticantes do judaísmo, que por sua fé, não podem realizar este tipo de atividades nos sábados. Até o ano passado, estes candidatos começavam a fazer as provas após as 18h. Para este ano, o Ministério da Educação já havia determinado que o Enem seria realizado em dois domingos consecutivos, depois de uma consulta pública. Agora terá o respaldo legal para a mudança.

A ONU em Alagoas

               A Organização das Nações Unidas (ONU), através do seu braço voltado para Assentamentos Humanos, a ONU Habitat, instalou seu escritório em Maceió para desenvolver seu trabalho junto as comunidades que habitam as grotas na capital. O escritório servirá para intermediar ações que envolvam a própria ONU, o Governo do Estado, ONGs, universidades, movimentos sociais e lideranças comunitárias. Este núcleo vai acompanhar o Programa Vida Nova nas Grotas, implantado pelo Governo de Alagoas e que já atendeu a 26 grotas na capital. Em Dezembro passado, o embaixador da ONU, Elkin Velasquez acompanhou a inauguração das obras da Grota da Iraci, no Benedito Bentes, e concluiu que o trabalho se identificava com a proposta desenvolvida pela ONU Habitat, e que havia a possibilidade de um trabalho conjunto.

A ONU em Alagoas 2

                  O escritório em Alagoas está instalado na Secretaria de Planejamento, Gestão e Patrimônio, e contará com uma equipe técnica para buscar soluções direcionadas ás demandas das comunidades das grotas. O Programa Vida Nova nas Grotas já chegou a 26 grotas na capital alagoana e a meta é chegar a 40 até o final do ano. Para 2018, outras 36 grotas serão atendidas, alcançando todas as 76 comunidades de Maceió. Até agora já se chegou a mais de 12 quilômetros de escadarias construídas, 14,6 quilômetros de passeio, mais de 200 metros lineares de pontilhões e 17,5 metros lineares de corrimãos. Também foram iniciados trabalhos de contenção nas encostas para evitar desmoronamentos e quedas de barreiras nos períodos de chuva.

 

 

  • Pela primeira vez na história, as ondas gravitacionais previstas na Teoria da Relatividade de Alberto Einstein, foram detectadas de maneira conjunta por uma rede global criada para “escutá-las”. A parte europeia do estudo, está situada na cidade italiana de Cascina, perto de Pisa.
  • Até então, o fenômeno havia sido visto pelos dois detectores do Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferômetro Laser (Ligo, em inglês), localizados em Livingston (Louisiana) e Hanford (Washington), nos Estados Unidos.
  • Vale destacar que foram três pesquisadores norte-americanos do Ligo, que foram laureados ontem com o Prêmio Nobel de Física.
  • O sinal das ondas gravitacionais foi detectado em 14 de Agosto de 2017, apenas duas semanas depois de o Virgo (nome do projeto europeu) ter colocado em funcionamento o maior captador desse tipo de fenômeno já construído em todo o mundo.
  • Previstas por Einstein há mais de 100 anos, as ondas gravitacionais foram detectadas pela primeira vez em Setembro de 2015, mas apenas pelo Ligo, e são ondulações no tecido tempo-espaço provocadas por eventos cósmicos violentos, como a fissão de buracos negros. Mal comparando, é como atira uma pedra em uma lagoa.