Blog do Dresch

1 de setembro de 2017

Prêmio de Jornalismo Científico vai para 2ª edição

                   A segunda edição do Prêmio de Jornalismo Científico José Marques de Melo começou a ser discutida esta semana pelos entes envolvidos. O Secretário Régis Cavalcante, da Ciência, Tecnologia e Inovação, reafirmou o compromisso de manter o projeto, cuja primeira edição aconteceu neste ano. Durante o encontro, que reuniu ainda representantes da Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas (Fapeal) do Sindicato dos Jornalistas Profissionais, e da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), foram discutidos aspectos característicos da premiação e as alterações que porventura necessitam ser feitas.

Prêmio de Jornalismo Científico 2

                   Para o secretário Régis Cavalcante, que também é jornalista e radialista, “vale acreditar muito no projeto, porque é uma forma de mostrar o que está sendo desenvolvido em termo de pesquisa em Alagoas e ao mesmo tempo valorizar os profissionais da comunicação do estado” afirmou. Na primeira edição do Prêmio, além de contar com a presença do professor José Marques de Melo, teve 101 trabalhos inscritos, com a participação de 32 veículos de comunicação além de 57 estudantes e profissionais da área.

 

TCU isenta Dilma

           Técnicos do Tribunal de Contas da União (TCU), em tomada de contas especial que investiga a compra da refinaria de Pasadena, pela Petrobrás em 2006, isentaram o Conselho de Administração da estatal, então presidido por Dilma Rousseff, de ter cometido qualquer “ato de gestão irregular” no episódio. O Tribunal já havia isentado a ex-presidente de responsabilidade no caso em 2014, mas Nestor Cerveró e o ex-senador Delcídio do Amaral, disseram em delação que Dilma havia chancelado a negociação e estava ciente de todo o processo. O relatório do TCU e do Ministério Público de Contas contraria a versão dos delatores, segundo o jornal Folha de São Paulo. A Petrobrás pagou US$ 360 milhões pela metade da refinaria de Pasadena, nos EUA.

 

A ameaça de ecocídio

                   O Ministério Público Federal do Amapá, moveu uma ação pedindo a revogação do decreto presidencial que extinguiu a Reserva Nacional do Cobre e seus Associados (Renca). Seguindo o MPF “o decreto é uma afronta à Constituição e mantém o meio ambiente sob a ameaça de ecocídio”. O novo texto, que alteraria o primeiro decreto “não representa real modificação do teor do decreto revogado”. A extinção da Renca é apenas a ponta do iceberg em meio ao ataque que o governo está promovendo, em vários flancos ao sistema de proteção ambiental do país.

Uma multa de R$ 10 bilhões

                          O acordo de leniência firmado entre a J&F (controlador da JBS) e o Ministério Público Federal, prevê uma multa de R$ 10,3 bilhões, para ser paga em 25 anos, corrigida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Com isso o Ministério Público acredita que no final, a multa deverá chegar a R$ 20 bilhões. Segundo o acordo, o dinheiro será destinado a órgão públicos prejudicados pelos atos criminosos (R$ 8 bilhões), e o restante (R$ 2,3 bilhões) destinados a projetos sociais. O acordo foi homologado pela Câmara de Combate à Corrupção, que decidiu de forma unânime a favor do acerto.

Uma multa de R$ 10 bilhões 2

                O argumento favorável ao acordo é que os dados apresentados pela J&F são “esclarecedores” porque explicam como funcionava o esquema de corrupção. Para o MPF a empresa trouxe fatos novos com elementos concretos que “permitirão a produção de provas nas esferas de responsabilização criminal, civil, administrativa e eleitoral”. A Câmara do MPF também retirou o sigilo do acordo, já que as próprias colaborações premiadas de executivos como Joesley Batista, Wesley Batista, Ricardo Saud e Francisco de Assis e Silva já se tornaram públicas.

O enfermeiro assassino

         Já condenado pela morte de dois pacientes, o enfermeiro alemão, Nils Högel, é suspeito agora de pelo menos outros 84 assassinatos na Alemanha, entre 2000 e 2005, anunciou a polícia. O caso foi revelado em 2005, quando um colega de trabalho flagrou Högel aplicando uma injeção letal em uma paciente de uma clínica em Delmenhorst. A polícia passou a investigar outras mortes e o envolvimento do enfermeiro em todas elas. Ele teria assassinado a maioria dos pacientes com a administração de overdoses de medicamentos durante a recuperação dos doentes. O número de 84 vítimas teria sido confessado pelo criminoso em tratamento psiquiátrico. O número certo de vítimas jamais será estabelecido, admite a polícia alemã.

 

 

  • O Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) e o Ministério do Desenvolvimento Social, iniciaram a convocação dos aposentados por invalidez, para a realização de perícias médicas.
  • A intenção é detectar irregularidades e fazer um pente fino nos benefícios concedidos. O governo acredita que poderá economizar R$ 10 bilhões.
  • Em Alagoas o INSS pretende revisar 16.421 benefícios. Serão convocados aqueles com menos de 60 anos e que estão com o benefício sem ser revisado há mais de dois anos.
  • As primeiras perícias médicas devem começar em Setembro, considerando o prazo de correspondências e do contato dos beneficiários para agendar o procedimento.
  • Os beneficiários que receberem a carta do INSS, devem contatar com o número 135 e agendar a perícia.
  • Os que recebem o auxílio-doença também estão sendo convocados. Até o início do mês de Agosto foram realizadas 210.649 perícias, e foram cancelados 168.396 benefícios.
  • A ausência de convocados levou ao cancelamento de outros 20.304 benefícios. Ao todo o governo pretende revisar 530.191 benefícios.