Flávio Gomes

25 de julho de 2017

Estímulos contraditórios

Vinicius Mota, na “Folha de S. Paulo”: “Demorou, mas aconteceu. A necessidade de fechar as contas de 2017, de assegurar que o buraco depois de quitados os compromissos não financeiros da União fique ‘apenas’ em R$ 139 bilhões, levou o Planalto a autorizar uma pequena derrama no mercado de combustíveis. De cada R$ 100 que o governo deu com uma mão às famílias brasileiras, ao autorizar o saque das contas inativas do FGTS, pretende agora subtrair R$ 25 com a outra, por meio do arrocho no posto de gasolina. Como se comportará o consumo diante de estímulos contraditórios? Há sinais de que a economia brasileira possa ter perdido marcadores da previsibilidade com que operou ao longo dos últimos 20 anos. Nesse período, aumento de tributos levava, quase como um relógio suíço, ao cumprimento, muitas vezes com folga, dos objetivos de engorda fiscal. Naquele tempo, taxar combustíveis de baciada, como foi feito agora, também era caminho certeiro para atiçar a inflação, o que recomendava, como antídoto, a subida dos juros pelo Banco Central. As coisas parecem mais duvidosas agora. O choque tributário nos combustíveis talvez não retire os índices de inflação da surpreendente rota de desaceleração. O mercado está perto de financiar o Tesouro até 2024 aceitando juro real abaixo de 5% ao ano, o que não se vê há um bom tempo. A questão é se, nesse ambiente esquisito para nossos padrões, elevar imposto dará à União a receita estimada ou se, ao contrário, o efeito depressivo sobre a atividade será mais forte.”

Única opção

Ex-governador Téo Vilela: “Apesar de liderar em todas as pesquisas de opinião (nenhuma delas encomendada por mim ou meu partido), só vou decidir se serei ou não candidato no mês de fevereiro de 2018. Não existe a mais remota possibilidade de uma candidatura minha que não seja ao Senado da República.” 

Drama

A situação pessoal de João Lyra é difícil, segundo revelou, na Rádio Correio, o radialista França Moura. Justificando que falava a pedido de um dos filhos do empresário, explicou que, com a crise do Grupo JL e sem a família retomar as empresas, além de doente João Lyra precisa dos filhos até para adquirir remédio.

Dificuldade

O senador Renan Calheiros disse ontem que o sistema tributário entrava as receitas dos municípios e que alterações no pacto federativo geram conflitos entre União, Estados e Municípios: “A queda na atividade econômica, o aumento do desemprego e o contingenciamento do orçamento da União favorecem a crise”.

Registro

Na semana passada Renan Filho entregou, em Arapiraca, totalmente reformada, a Escola Estadual Professor Moacir Teófilo, que vem a ser pai do prefeito Rogério Teófilo, adversário do governador. Rogério, que esteve presente, junto com o homenageado, se diz grato, mas nega que isso tenha qualquer conotação política.

In loco

Christian Teixeira, secretário da Saúde, na próxima semana irá transferir o seu gabinete para o HGE. Pretende, assim, agilizar as melhorias no hospital, que dispõe de serviço de tomografia que oferece diagnósticos resolutivos de emergência e quadruplicou o atendimento diário de hemodiálise, dentre ouras melhorias.

Ataque

Da ex-senadora e ex-vereadora Heloísa Helena, sobre o bloqueio judicial de R$ 9,6 milhões do ex-presidente Lula, dinheiro que ele alega ser fruto de trabalho: “É muito cinismo, pois nós mortais que já trabalhamos muito sabemos o real significado disso e das impossibilidades legais disso ser honestamente concretizado”.

Reação

Ricardo Barbosa, presidente do PT/AL, reagiu a Heloísa Helena: “Criminalizar a política e tudo o que ela representa, querer elevar-se ao patamar da moral inatingível e ser a porta voz da língua dos anjos, postando-se ao lado dos inquisidores, pode ser uma posição insegura aos que, outrora, também foram vítimas da inquisição.” 

 

*A Federação das Indústrias de Alagoas reuniu ontem empresários e contadores, para tirar dúvidas sobre o Fundo de Equilíbrio Fiscal do Estado de Alagoas, cujos efeitos sobre a aplicação nos incentivos fiscais. O recolhimento começa no dia 9 de agosto próximo.

*A Fecomércio/AL alerta que débitos junto à União de natureza tributária e não tributária vencidos até 30 de abril deste ano, inclusive os débitos negociados e não pagos, podem ser beneficiados com o Programa Especial de Regularização Tributária, até 31 de agosto.

*O Arquivo Público de Alagoas recebe hoje, pelo projeto “Chá de Memória”, o professor e historiador Douglas Apratto Tenório. Ele vai falar sobre “Enforcamento de Calabar e sua presença em Alagoas”. Das 16 às 18 horas, com acesso gratuito do público.

*Também hoje, 16 horas, o Arquivo Público inaugura o primeiro laboratório de Alagoas, e um dos primeiros do Nordeste, com equipamentos modernos que permitem restauração de documentos, monitoramento de ambiente e desinfestação dos acervos. 

*A Academia Alagoana de Cultura e a Academia Pilarense de Letras comemoram hoje o Dia do Escritor, com o “6º Encontro dos escritores alagoanos”, no Pilar. Haverá exposição “Os 200 anos de Alagoas” com obras de Dênis Oliveira, Alex Costa e Anderson Paes.

*Acontece hoje o workshop Corpo-Onda, para quem pretende conhecer a dança de salão, iniciativa da T&W. Às 9 horas, na sede do grupo, no Pinheiro. A oficina será ministrada por Priscila Patta, profissional de dança contemporânea. Contato: 99665.4791.

 

“O diesel impacta o custo operacional do transporte público”

João Dória

Prefeito de São Paulo, ao pedir a Michel Temer para cancelar o reajuste do preço do óleo diesel