Sérgio Toledo

25 de julho de 2017

Cirurgia bariátrica.

Assim chamada a cirurgia que reduz o tamanho do estômago.

Não sou especialista na área. Farei colocações pertinentes no que diz respeito a uma notícia que li sobre a “reengorda”.

Um competente cirurgião da nossa capital que realiza a cirurgia bariátrica faria reunião sobre o fato de que pacientes operados para redução do estômago estão voltando a engordar. Sei da capacidade do esculápio e não discuto a técnica, nem tão pouco a indicação.

Discutirei a mutilação. O porquê das pessoas chegarem ao extremo de uma obesidade mórbida. O porquê de não se tratar o sobrepeso com exercícios físicos e dieta saudável e sim com ressecção de dois terços (2/3) de um órgão vital e cuja volta não existe.

A dieta saudável falada e festejada por muitos além de não ser difícil não é também impossível. Muitas vezes as pessoas vão procurar a dieta do sangue, da lua, da água, do horóscopo, etc. Não existe milagre na área. Um detalhe muito importante: a dieta tem que ser feita por todos que moram na mesma casa. Explico melhor. Não adianta o pai e a mãe de um obeso obrigar o mesmo a comer “folhas” se os genitores comem massa e mais massa! Os profissionais da nutrição estão capacitados a indicarem as dietas mais corretas para cada caso.

Atividade física! Desde a infância. Ensinar aos seres “humaninhos”, que vida saudável se consegue, primordialmente, com atividade física. Aquela que mais gosta. Não gosta de nenhuma? Aquela que é mais indicada para o caso.

Assim com dieta saudável e atividade física constante, mínimo de três vezes por semana, sobrariam então, os casos de obesos por doenças endócrinas, etc. Que então seriam submetidos ao tratamento de redução do estômago se for o caso.