Blog do Dresch

14 de julho de 2017

Condenação de Lula fere a democracia, diz Dilma

                   Utilizando as redes sociais, a ex-presidente Dilma Rousseff se manifestou sobre a condenação do ex-presidente Lula. Para ela a atitude do juiz Sérgio Moro, “é um escárnio. Uma flagrante injustiça e um absurdo jurídico que envergonham o Brasil. Lula é inocente e essa condenação fere profundamente a democracia” assinalou a ex-presidente. Disse ainda que está sendo cumprido um roteiro “pautado por setores da grande imprensa”. Para ela, Lula sofre uma perseguição há anos.

Dilma: “Democracia ferida” 2

                   Dilma Rousseff também manifestou sua indignação pela aprovação, por parte do Senado Federal, a proposta de reforma trabalhista. Para ela, o processo significa “uma monumental perda para os trabalhadores brasileiros”. Segundo ela “Agora assistimos a essa ignominia que está sendo exercida contra o ex-presidente Lula com o objetivo de cassar seus direitos políticos. O país não pode aceitar mais este passo na direção do Estado de Exceção. As garras dos golpistas tentam rasgar a história de um herói do povo brasileiro”. E conclui defendendo a inocência de Lula: “o povo brasileiro saberá democraticamente resgatá-lo em 2018. Nós iremos resistir”, finalizou.

Condenação acirra confronto

                   A condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo juiz federal Sérgio Moro, na opinião de vários cientistas políticos, deve acirrar o confronto político que já existe no país. Como Lula poderá recorrer em liberdade, é óbvio que a situação vai ficar ainda mais delicada. “É o maior líder do partido (PT) e isso terá repercussão na legenda e entre os seguidores de Lula” explica o cientista político Cristiano Noronha. Outro cientista, Ricardo de Oliveira, da Universidade Federal do Paraná, também acredita no acirramento do confronto, e critica o juiz Moro, afirmando que a condenação revela “a instrumentação politiqueira da Lava Jato. Só vai acirrar os ânimos e desacreditar ainda mais as instituições. Eles estão passando a mensagem de que não há mais democracia no Brasil, e isso só piora a crise que o sistema já vive, com as denúncias contra o presidente Temer, a liberação do Aécio Neves e do Rodrigo Rocha Loures, mostrando que ainda existe uma casta privilegiada no país, que usa as instituições de maneira aparelhada” completou o professor paranaense.

 

Prêmio de finanças públicas

            A Secretaria de Estado da Fazenda em uma parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), lançam o Prêmio de Finanças Públicas Graciliano Ramos, com o objetivo de estimular as pesquisas acadêmicas voltadas a administração pública e financeira. Nesta primeira edição, o prêmio busca por monografias e trabalhos técnicos inéditos, trabalhos sobre parcerias público-privadas, transparência e sustentabilidade fiscal, orçamento estadual e novas tecnologias. Independente do assunto escolhido e sugerido pelo edital, é necessário que o enfoque seja atual e aplicável ao Estado de Alagoas.

Prêmio de finanças públicas 2

            Serão aceitas inscrições de estudantes de graduação, mestres e doutores. Podem ser submetidos trabalhos técnicos especializados ou não, e Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) desde que não publicados em periódicos acadêmicos ou imprensa. A premiação varia entre R$ 250 e R$ 15 mil e as inscrições podem ser feitas até o dia 29 de Setembro, na sede da Fapeal. A homenagem a Graciliano Ramos deve ao fato de que o célebre escritor, ter adotado uma política financeira transparente e inovadora, quando assumiu o cargo de prefeito de Palmeira dos Índios, em 1928.

Morte do líder extremista

              Informações desencontradas não permitiram até agora a confirmação da morte do líder extremista do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi. Apesar da certeza da ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos da sua morte, a coalização internacional liderada pelos Estados Unidos disse que não pode confirmar a informação. O próprio diretor da ONG, Rami Abdel, afirmou que autoridades de Deir Ozor, província onde o Emir do EI estaria vivendo nos últimos meses, confirmaram a sua morte. “Mas não sabemos quando e como ele morreu” disse o diretor.

Morte do líder extremista 2

           Desde 2014 que os boatos sobre a morte de Al-Baghdadi circularam com certa regularidade, mas nunca foram confirmados. Os Estados Unidos ofereciam 25 milhões de dólares por sua captura. Até agora a milícia radical Estado Islâmico não negou nem tampouco confirmou a informação. O líder não dava sinais de vida desde uma gravação de áudio divulgada em Novembro passado, logo após o lançamento da ofensiva em Mossul. No áudio ele exortava seus homens a lutarem até o martírio. Ele teria deixado a cidade no início do ano.

  • O presidente da República sancionou a lei que altera o Estatuto do Idoso e estabelece uma prioridade especial para pessoas maiores de 80 anos.
  • De acordo com a alteração feita no Estatuto, a partir de agora, os maiores de 80 anos sempre terão suas necessidades atendidas com preferência em relação aos demais idosos.
  • A modificação cita em um trecho que “em todos os atendimentos de saúde, os maiores de 80 anos terão preferência especial sobre os demais idosos, exceto em casos de emergência” diz a lei de número 13.466.
  • O Estatuto considera idosa uma pessoa acima de 60 anos de idade.
  • O projeto foi da senadora Regina Souza (PT-PI), alertando para a vulnerabilidade das pessoas com mais de 80 anos. Ela ressaltou ainda que, em contendas judiciais, é ainda mais importante a preferência para os octogenários. “Porque não adianta atender ao direito depois que a pessoa morre” diz a senadora.
  • Para ela, os precatórios são o principal ponto em que pessoas acima de 80 anos devem ter prioridade.