Blog do Dresch

11 de julho de 2017

Alagoas e a reunião anual da SBPC

             A 69ª Reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), terá uma grande participação do estado de Alagoas. Aproximadamente 80 trabalhos científicos, além de representantes institucionais, representarão o nosso estado, ocupando três estandes do evento, que acontece em Belo Horizonte.

A presença alagoana está sendo organizada pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Alagoas (Fapeal), e segundo o diretor-presidente, professor Fábio Guedes a participação da comitiva é fundamental, uma vez que Alagoas, vai sediar a 70ª reunião da SBPC, marcada para 2018, em Maceió. A expectativa é receber até 10 mil pessoas, entre inscritos, representantes da ciência e tecnologia do país e visitantes em geral.

Alagoas na reunião da SBPC 2

           De acordo com Fábio Guedes, a Fapeal já trabalha na integração das diversas instituições para 2018. Daí a importância da participação de Alagoas na reunião deste ano em BH. Irão alunos da Ufal, Uneal, Uncisal, Cesmac e Unit, além de coordenadores e cientistas alagoanos. O estande faz parte de um trabalho de divulgação para o evento do próximo ano, em Maceió, que ganhou marca própria, elaborada por Rafael Leite Faustino, bolsista de desenvolvimento institucional da Fapeal. “Vamos convidar o público em Belo Horizonte para comparecer em Maceió. Vamos realizar um evento com uma grande programação científica, cultural e artística digna do nosso Estado” salientou Fábio Guedes.

 

Desmonte do setor elétrico

           Mesmo sob risco de perder o mandato, o presidente Michel Temer determinou a maior reforma do setor elétrico desde 2012, quando foi implantado o controverso plano de redução das contas de luz no país. Em um documento de 57 páginas o Ministério de Minas e Energia propõe mudanças a serem discutidas com investidores para elaboração de uma medida provisória a ser encaminhada ao Congresso. A consulta pública, com propostas que desmontam o ordenamento deixado por Dilma Rousseff, vai até 4 de Agosto. O esboço atinge o marco legal. Usinas hidrelétricas da Eletrobrás, que cortaram 70% dos valores do megawatt-hora, em 2012, devem ser privatizadas e poderão cobrar tarifa de mercado.  O parque gerador dessas usinas, totaliza 14 mil megawatts. Quando vendidas o valor obtido será dividido em partes iguais entre o Tesouro Nacional, a Eletrobrás e a Conta do Desenvolvimento Energético (CDE). Especialistas acreditam que seja possível obter até R$ 53 bilhões com a vendas das hidrelétricas. As mudanças deverão acarretar aumento das contas para os consumidores, admitem os técnicos do governo.

 

Reforma e sabatina

              A votação da reforma trabalhista e a sabatina de Raquel Dodge para o cargo de procuradora-geral da República, são os destaques desta semana no Senado Federal. Hoje, a reforma trabalhista deve ser encaminhada à votação, e em seguida apreciados os destaques. Se for aprovada sem alterações, segue direto para sanção presidencial. O presidente Temer já se comprometeu a vetar seis pontos do texto e editar uma medida provisória posteriormente regulamentando os trechos que ficarão sem definição. O relatório a ser apreciado pelo plenário é o do senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES).

Reforma e sabatina 2

            Amanhã, quarta-feira, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal inicia pela manhã, a sabatina de Raquel Dodge. Após ouvirem as respostas da procuradora, os integrantes da Comissão vão votar a indicação dela para o cargo de procuradora-geral da República. A expectativa é que, após a votação na comissão, seja aprovada a urgência para que a indicação seja apreciada no mesmo dia pelo plenário. Dodge foi iniciada ao cargo pelo presidente Temer, mesmo tendo ficado em segundo lugar entre os mais votados pelo Ministério Público Federal. Ela vai substituir Rodrigo Janot, que deixa o cargo em Setembro.

Culto ao nazismo na Argentina

              Um busto de Adolf Hitler e uma águia imperial do Terceiro Reich, foram encontradas entre muitas outras obras de arte nazistas, durante uma operação de busca e apreensão no norte de Buenos Ayres. As peças foram encontradas em dois pontos comerciais e uma residência, mas ninguém foi detido. Para as Associações Israelitas Argentinas, “a investigação é uma verdadeira contribuição à missão institucional de lutar contra o antissemitismo e todas as formas de discriminação, para que o ódio não seja tolerado” disse um comunicado.

 

Culto ao nazismo na Argentina 2

              A Argentina foi um santuário de criminosos nazistas após a Segunda Guerra Mundial. Vários fugitivos foram presos, como o tenente-coronel Adolf Eichmann, um dos responsáveis pela “solução final” (extermínio de judeus). Ele foi sequestrado por um comando israelense em 1960, em um subúrbio de Buenos Ayres. Levado para Israel foi condenado a morte e enforcado. Outros líderes nazistas também viveram na Argentina como Alois Brunner, Joseph Mengele, Josef Schwammberger, Walter Kutschmann, Eric Priebke e Eduard Roschmann. Todas as peças de arte encontradas agora, estão sendo encaminhadas ao Museu do Holocausto, em Buenos Ayres.

 

 

  • Os dez anos de existência da Cooperativa dos Jornalistas Profissionais de Alagoas, é o retrato de perseverança e da determinação de seus cooperados.
  • A manutenção deste jornal impresso, enfrentando os desafios cada vez mais obtusos da comunicação moderna, é o reflexo da determinação de um grupo de profissionais que acredita que a informação é um direito do cidadão e assim deve ser exercida.
  • Esta Tribuna Independente, e a Tribunahoje.com são veículos com características da labuta jornalística determinada e comprometida com as lutas do povo brasileiro, e da crença de que a imprensa só atinge seus objetivos quando é exercida com responsabilidade e com credibilidade.
  • O povo alagoano tem muitos motivos para se orgulhar desta Cooperativa dos Jornalistas. Sabe que aqui existe uma trincheira de luta, nascida diante da incompetência administrativa e da falta de compromisso da classe patronal, há exatos dez anos.
  • E assim vamos superando as dificuldades e as adversidades do dia a dia, estimulado pela compreensão de que este é o caminho, e este é o exemplo que a Cooperativa dos Jornalistas pode oferecer a todo o Brasil.