Blog do Dresch

8 de julho de 2017

“Eles agora colhem o veneno que plantaram”

             Em entrevista a uma emissora de rádio esta semana, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou que o senador Aécio Neves (PSDB), e o presidente Michel Temer (PMDB) “estão provando do veneno que produziram nesse país”. Disse ainda que “eles estão colhendo tempestade porque plantaram vento. O país vive este momento de intolerância, de ódio, porque foram eles que criaram isso em 2013, sempre culpando o PT. Essa gente não tem competência, não sabe o que fazer, não conhece o povo, e só pensam em cortar, mas só dos mais pobres, nos ricos não cortam nada” afirmou Lula.

“Estão colhendo o veneno” 2

         O ex-presidente Lula deixou claro que desconfia do movimento de 2013. “Ali havia muitos interesses, mas o principal era afastar o PT do poder” explicou. Disse mais “o Brasil tinha se tornado protagonista internacional. Era o país que tinha acabado com a fome, incluído os pobres no orçamento da União. Nenhum país conseguiu fazer o que o Brasil fez em 12 anos. Acho que tinha muitos interesses em derrubar o PT. Possivelmente até os americanos torciam para que o Brasil não desse certo” assinalou Lula. Disse ainda que sonha em construir “um bloco de esquerda progressista com PSB, PDT, PCdoB e personalidades dignas que existem em outros partidos”.

Um presidente encurralado

                   Em uma destacada reportagem, com direito a chamada de primeira página, o jornal francês Le Fígaro traçou uma análise sobre a situação do Brasil e em especial, do presidente Michel Temer. Com o título “Presidente brasileiro encurralado pela justiça”, a matéria lembra desde a visita de Joesley Batista ao Palácio Jaburu, em 7 de Março, passando pelo vazamento do áudio da conversa com Temer, até as imagens do assessor Rocha Loures correndo com uma mala cheia de dinheiro. Para o jornal, o escândalo contou com cenas dignas de um romance policial. O caso levou o Procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a denunciar o presidente por corrupção passiva, sendo essa a primeira etapa para eventual destituição do presidente, menos de um ano após o impeachment de Dilma Rousseff. O vespertino francês ressalta ainda que Michel Temer entrou para a história do Brasil, por ser o primeiro presidente denunciado por um crime no exercício do cargo. Após o vazamento do áudio com Batista, Temer partiu para o ataque, mas com apenas 7% de popularidade, Le Fígaro questiona até quando conseguirá se manter no poder.

 

Voos extras para Alagoas

           O segmento turístico ganha mais um reforço importante neste mês de Julho. Foram confirmados esta semana, 164 voos extras tendo a capital alagoana como destino. Serão cerca de 17 mil passageiros, um aumento de 30% em relação a Julho do ano passado, quando chegaram por aqui 126 voos. Isto também impacta positivamente a taxa de ocupação hoteleira, que no mesmo período de 2016 chegou a 76 %. “O incentivo dado pelo governo do Estado ás companhias aéreas têm proporcionado bons resultados para a nossa economia” justifica o Secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Helder Lima. Os voos extras desta temporada partem de Belo Horizonte, Brasília, Goiânia, Foz do Iguaçu e Congonhas (SP), além dos voos internacionais vindos da Argentina.

O fim da segunda via

               A partir da próxima semana, as agências bancárias começarão a aceitar o pagamento de boletos vencidos, segundo determinação da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Isso significa o fim da segunda via com o valor atualizado da conta. A operação será implantada aos poucos, começando neste dia 10 para boletos acima de R$ 50 mil. Em 11 de Setembro começarão a ser aceitos os boletos vencidos com valor entre R$ 49.999 e R$ 2 mil. Em 9 de Outubro, entre R$ 1.999 a R$ 500; entre R$ 499 a R$ 200 em 13 de Novembro e abaixo de R$ 200 em 11 de Dezembro. O pagamento de contas vencidas também poderá ser efetuado através da internet e outros aplicativos.

Padre assassinado no México                                                                

              Com o assassinato do padre Luís Lópes Villa, ocorrido na diocese de Nezahualcoyótl, na última quinta-feira, o México já soma 18 casos deste tipo de violência nos últimos seis anos. Ele foi o terceiro padre morto somente neste ano, informou o Centro Católico Multimeios. Ao divulgar seu relatório parcial de padres e religiosos assassinados, o CCM detalhou que, de 1990 até agora, foram assassinados um cardeal, 44 padres, um diácono, quatro religiosos e uma jornalista católica. O órgão católico destaca ainda que pelo nono ano consecutivo, o México é o país mais perigoso para se exercer o sacerdócio.

Padre assassinado no México 2

               O primeiro assassinato ocorrido este ano, foi em janeiro e teve como vítima Felipe Altamirano Carrillo, padre indígena da Paróquia de Nayar, em Nayarit. O segundo, também em Janeiro, foi o padre Joaquín Hernandes Sifuentes, de Saltillo. Nos últimos 26 anos foram registrados 66 atentados contra membros da Igreja Católica. Destes, 60 foram crimes violentos, dois correspondem a padres que continuam desaparecidos e dois são sequestros frustrados. No relatório divulgado pela CCM, a falta de políticas governamentais para combater este tipo de violência e a criminalidade em todo o país são os fatores que contribuem para o aumento do assassinato de religiosos naquele país.

 

  • O Departamento Estadual de Trânsito, anunciou que vai utilizar um novo equipamento nas operações da Lei S eca no Estado.
  • Será um novo etilômetro (o popular bafômetro) dotado de tecnologia moderna e que trará mais celeridade às ações das equipes, assim como trará mais comodidade para os condutores em geral.
  • De acordo com o tenente Emanuel Costa, coordenador da Lei Seca no Estado, com o novo equipamento, dependendo da situação do motorista, nem mesmo será necessário que ele desça do veículo ao ser parado em uma blitz.
  • A documentação será solicitada, o condutor será submetido ao teste dentro do veículo, e com tudo regularizado ele será liberado imediatamente, garantiu o coordenador.
  • Este etilômetro possui tecnologia australiana detectando com mais facilidade se o motorista ingeriu ou não alguma bebida alcoólica. Com um sopro em uma distância de 10 a 15 centímetros, a detecção já acontece.
  • Nos primeiros seis meses deste ano, foram feitas 13.727 abordagens na Operação Lei Seca, e retirados de circulação 883 condutores que estavam com álcool no sangue.