Blog do Dresch

5 de julho de 2017

Os ataques de Trump à imprensa americana

os ataques de trump a imprensa americana 600x300 c - Os ataques de Trump à imprensa americana

                   A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP), condenou os ataques do presidente Donald Trump contra a imprensa, que podem até mesmo estimular atos de violência contra jornalistas e meios de comunicação. Segundo a entidade, a retórica de Trump não tem precedentes e ameaça minar a capacidade dos meios de comunicação de informar o público sobre as ações do governo e seus planos para o país. Domingo, Trump publicou no Twitter uma montagem de vídeo em que ele aparece batendo em uma pessoa que tem o logotipo da CNN no lugar do rosto.

Imprensa condena Trump 2

                   Em diversas ocasiões o presidente americano classificou de “desonestos” e “falsos” veículos de comunicação como CNN, NBC, ABC, além de jornais como “The New York Times” e “Washington Post”. Ele defende o uso das redes sociais e ataca as organizações jornalísticas. Donald Trump já culpou a mídia pela relação ruim com a Rússia e até mandou um jornalista calar a boca. Outro episódio que ilustra esta conturbada relação foi com os apresentadores do “Morning Joe”, Joe Scarborough e Mika Brzezinski foram chamados de “loucos e de baixo QI”. Saudade do Obama!

 

Cresce apoio à esquerda

                   Uma pesquisa elaborada pelo Datafolha, que mediu a inclinação ideológica no país, apontou um equilíbrio entre esquerda e direita. O apoio da população a ideias identificadas com a esquerda do espectro político cresceu, superando o avanço de algumas posições conservadoras, típicas da direita. Esta e a centro-direita representam 40% da população no somatório. Em Setembro de 2014, o grupo representava 45%. Já a soma da esquerda e da centro-esquerda aumentou de 35% par 41%. O centro manteve-se com 20%. A pesquisa mostrou que os brasileiros estão mais sensíveis a questões relacionadas a igualdade. A parcela dos que acreditam que a pobreza está relacionada à falta de oportunidades iguais para todos, subiu de 58% para 77%. Os que acreditam que a pobreza seria resultado da preguiça para o trabalho, caíram de 37% para 21%. Cresceram também a tolerância à homossexualidade, de 64% para 74%, e a rejeição a pena de morte, de 52% para 55%. As perguntas foram elaboradas para determinar convicções associadas à direita e à esquerda, em temas econômicos e comportamentais.

 

Cresce comércio varejista

               Contrariando a média nacional, o comércio varejista de Alagoas, teve a maior alta no seu desempenho, no ranking composto pelos estados do Nordeste, além de Minas Gerais e Espírito Santo. Por aqui, no primeiro quadrimestre do ano, o varejo aumentou 5,8%, sendo que a média nacional do segmento que foi de queda de 1,6%, comparando com o mesmo período do ano passado. Outros resultados positivos foram de Minas (2,8%), Pernambuco (1,5%) e Paraíba (0,3%). Os dados foram apresentados pelo Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene) vinculado ao Banco do Nordeste.

Cresce comércio varejista 2

             Em relação ao comércio varejista ampliado, que também inclui o comércio de veículos e de material de construção, Alagoas também se destacou na região, alcançando uma alta de 3,6% na comparação com o quadrimestre de 2016. Em seguida aprece o Maranhão (1,2%), Paraíba (1%), e Pernambuco (0,2%). No país esta atividade comercial registrou uma queda de 1,8%, impactada pela retração na venda de veículos (-8,8%), material para escritório (-7,7%), combustíveis e lubrificantes (-5,2%), livros, jornais e revistas (-4,8%), outros artigos de uso pessoal (-3,1%), produtos farmacêuticos (-3,0%) e hiper e supermercados (-1,0%).

Vem aí a reforma tributária

                   Deve chegar ao plenário da Câmara dos Deputados em Agosto, a reforma tributária, segundo assegurou seu relator, deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR). Ele denominou a proposta de “mãe de todas as reformas”. A partir de Agosto, o parlamentar quer receber contribuições sobre os projetos ligados ao tema, antes de encaminhar o relatório final. Segundo o deputado, o importante é chegar ao plenário com um consenso sobre a proposta para evitar atrasos na votação. Um dos pontos em aberto, é o projeto que se refere ao Imposto de Valor Agregado (IVA), que precisa ter as características do Brasil. “Não dá para copiar de outros países” disse.

Vem aí a reforma tributária 2

                   Para o deputado paranaense, independentemente da situação política do país, este é o momento para aprovar a reforma tributária. “O governo está enfraquecido, o Congresso também, os trabalhadores também, as prefeituras e governos estaduais também. A oportunidade é ímpar. O Congresso precisa de algo para sair deste marasmo que está, porque apanhamos para aprovar o teto (de gastos), apanhamos para aprovar a terceirização, apanhamos para aprovar a reforma trabalhista. A Previdenciária que ainda nem entrou em discussão, mas já estamos apanhando” assinalou Luiz Carlos Hauly.

 

 

  • A Terra Networks Brasil, dona do portal Terra, pertencentes à controladora SP Telecom, foi vendida à Telefônica Brasil pelo preço de R$ 250 milhões, em parcela única.
  • Segundo o comunicado da tele brasileira, a operação tem o objetivo de ampliar e integrar a oferta comercial de serviços digitais à carteira de clientes da companhia, além de gerar uma oferta de serviços para a base de clientes e assinantes da Terra Networks. Outra meta é alavancar o negócio publicitário.
  • Além disso, como a Telefônica atua na criação de produtos digitais de mídia para plataformas móveis e publicidade, e a Terra tem experiência na área de vendas, atendimento e operações para clientes específicos, a aquisição vai facilitar a troca de conhecimento entre as duas sociedades
  • O montante da transação foi pago sem necessidade de financiamento, por meio do caixa disponível da compradora.
  • O preço foi calculado com base no valor econômico da sociedade, pelo critério do fluxo de caixa e com base em laudo de avaliação da empresa de auditoria KPMG.