Roberto Baia

27 de junho de 2017

Confusão em Girau

confusao em girau 600x300 c - Confusão em Girau

Na sexta-feira, 23, o prefeito de Girau do Ponciano, David Barros, tomou uma decisão que chocou milhares de pessoas que saíram de suas casas para assistir o tradicional festejos juninos daquela cidade. Barros simplesmente cancelou o show da Banda Conde do Forró faria parte da 1ª Vila do Forró Girau.

 

Irresponsabilidade

Em Nota de Esclarecimento publicada numa rede social do município, a Prefeitura de Girau do Ponciano alega que o contrato com a banda não foi oficializado. Diz a nota: “O município iniciou as tratativas para a contratação da referida atração, entretanto isso não foi além da consulta de disponibilidade de data e solicitação de proposta de preços e documentos da empresa agenciadora”, explica a nota.

 

Justiça

O que é estranho é o fato da Prefeitura afirmar que não assinou contrato para a realização do show e manter o nome da banda inserida em todo material de divulgação do Vila Forró Girau. Essa irresponsabilidade precisa ser melhor explicada isso deve ocorrer na Justiça, já que a direção do grupo artístico pretende entrar com um processo contra a Prefeitura.

 

Bate-boca

De acordo com informações de pessoas ligadas a administração municipal, a Banda Conde do Forró foi ao município por vontade própria e causou tumultuo, após ser impedido de entrar no local do evento por viaturas da Guarda Municipal. Na ocasião, houve bate-boca entre os músicos e os servidores públicos.

 

Banda contesta

A versão oficial da Prefeitura é contestada pela banda que também usou as redes sociais para se posicionar a respeito. Em seu perfil oficial no Facebook, a Conde do Forró, hoje instalada em fortaleza (CE), explica que o compromisso com o evento estava mantido e que o cancelamento só foi informado às 17 horas da sexta-feira (23), poucas horas antes do show.

 

Mauricinhos do Forró

A produção da banda alagoana questiona também o show do grupo Mauricinhos do Forró, do Rio Grande do Norte, na Vila Forró Girau que substituiu a Conde do Forró. Para os representantes da atração, a banda substituta não foi contratada de última hoje.

 

Indignação

No meio da polêmica, a população que foi à Vila Forró na sexta-feira para assistir ao show da Conde do Forró continua indignada com cancelamento e com as explicações da prefeitura, que tem à frente Davi Barros.

 

Desabafo

“Essa nota parece mais uma confissão de culpa. Sério que isso é a resposta oficial do município? Todas as justificativas apresentadas são contraditórias e ratificam a irresponsabilidade e desorganização da atual gestão. Não havia contrato, mas o nome da banda constava na programação, redes sociais do município e em todos os canais de divulgação da festa. Ficou desastrosa/vergonhosa a explicação de vocês!”, desabafou o servidor público Thyago Alexandre, no perfil da Prefeitura.

 

São Sebastião

Com Ascom – A Promotoria de Justiça de São Sebastião reuniu, no salão do júri do Fórum Estadual da cidade, representantes de vários segmentos para alertar sobre a exploração da mão de obra infantil, discutindo desde a proibição às consequências, e apresentando os direitos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

 

Palestra

O propósito da palestra ministrada pela promotora de Justiça Viviane Karla foi o de fazer as pessoas absorverem que o trabalho infantil é repudiável e prejudicial ao desenvolvimento das crianças. Já que essa é a fase de crescimento e onde deve ser priorizada a aprendizagem e não outras incumbências que só dizem respeito aos adultos.

 

“É normal”

“Muitos acreditam que o trabalho infantil é normal, aceitável, e reproduzem a “cultura” de que é melhor trabalhar em vez de roubar, como se essas duas alternativas fossem as únicas disponíveis à criança. Na verdade, por que não pensar que o direito da criança é estudar ou vivenciar a infância?”, enfatiza a promotora de Justiça.

 

 

… Três pessoas foram baleadas em frente à residência onde moram, no bairro Portelinha, na zona rural de Teotônio Vilela, no Agreste de Alagoas. Elas estavam em uma festa quando dois homens em uma moto chegaram e efetuaram os disparos.

 

… As vítimas foram identificadas como Elisabeth Santos da Cruz, 25 anos, Edjane Gomes da Silva, 31 anos, e o marido dela, identificado apenas pelas iniciais J.A.C., 31 anos. Ele seria o alvo dos bandidos. Os três foram socorridos para o hospital da cidade e, em seguida, transferidos para Unidade de Emergência do Agreste, em Arapiraca.

 

… De acordo com o relatório da polícia, testemunhas disseram que os bandidos chegaram ao local em uma motocicleta branca, mas que não teve a placa anotada. Eles desceram, se aproximaram das vítimas, efetuaram vários disparos e fugiram em seguida.