Flávio Gomes

21 de junho de 2017

Guerra e política

Denis Lerrer Rosenfield, professor de Filosofia da UFRS, em “O Globo”: “Em países desenvolvidos, com Estado forte e regras democráticas compartilhadas por todos os cidadãos, a guerra fica a cargo do estamento militar e a política, dos representantes populares, eleitos com tal função. Para quem foi formado na arte da guerra, os seus opositores são tidos por inimigos que devem ser eliminados. Para quem foi formado na arte da política, opositores são adversários com quem se convive a partir de valores constitucionais comuns. Ora, o país vive uma situação assaz bizarra, havendo uma espécie de inversão entre os militares e os políticos, aí incluindo representantes de poderes constitucionais como a cúpula do Ministério Público Federal e alguns membros do Supremo. Fosse outro o momento histórico, os militares já teriam intervindo. Por muito menos, tomaram o poder em 1964. A segurança pública é um descalabro, fazendo por ano tantas vítimas quanto as registradas entre os soldados americanos durante toda a Guerra do Vietnã. A classe política está totalmente desmoralizada, pois boa parte de seus membros foi capturada nas teias da Lava-Jato. O mesmo vale para ministros do atual governo e dos anteriores.”

Condição

Ex-vereadora, ex-senadora e ex-candidata à Presidência da República, Heloísa Helena, hoje filiada ao partido Rede, tem sido citada como concorrente ao Senado ou à Câmara dos Deputados. Ela se mantém fiel aos seus princípios, mas só se integrar uma boa coligação e tiver um mínimo de estrutura terá chances.

Memória

Em 1998, Heloísa Helena, então deputada estadual, tirou de Guilherme Palmeira a vaga no Senado atrelada a Ronaldo Lessa, candidato a governador que se elegeu pela boa estrutura e forte sentimento de oposição. Em 2014, com condições mínimas de campanha, HH perdeu a disputa ao Senado, para Fernando Collor.

No limite

Normalmente comedido, o cientista político Eduardo Magalhães não vê perspectivas para o Brasil em curto prazo. Tanto que radicalizou: passou a usar roupas pretas, numa espécie de protesto contra os descalabros da política brasileira. Ele iniciou essa fase ao conceder entrevista ao programa “Conjuntura”, da TV Mar.

Do ramo

Cantor, compositor e apresentador de programa diário de forró no rádio, o deputado federal Cícero Almeida é um dos políticos que mais curtem o período de festas juninas.  Ao contrário dele, é nessa época que políticos sem raízes populares fazem o sacrifício (para eles) de se misturar com o povo nas ruas.

Boa causa

A Câmara Municipal de Maceió faz sessão solene, hoje, 9 horas, para entrega da Comenda Dom Fernando Iório Rodrigues a personalidades e instituições que atuam em favor dos direitos das pessoas idosas. Proposta da vereadora Fátima Santiago (PP), pelo Dia de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa.

Cultura

Jacinto Silva, mestre do coco, será homenageado pela cantora Mel Nascimento e pelo pernambucano Herbert Lucena. “Sincopadamente Jacinto” terá lançamento de CD, palestras e shows. Hoje à noite, em Palmeira dos Índios; amanhã, em Maceió (16 horas, Sesc Centro; 19 horas, Teatro de Arena Sérgio Cardoso).

Opinião

Carlos Fernando Santos Lima, Procurador da República: “PT organizou, sistematizou, dentro de um partido, aquilo que era típico de caciques eleitorais. Os outros partidos são assim, como o PMDB. Uma agremiação de caciques eleitorais. Cada um com seu próprio esquema de financiamento e seu esquema de lavagem.”

 

*Jornalista Ruy Fabiano: “Ao se eleger vereador pelo Rio de Janeiro, nos anos 50, o humorista Barão de Itararé prometia: ‘Farei na vida pública tudo o que faço na privada’. Era piada, mas era também uma profecia, em pleno cumprimento nos dias em curso.”

*A Secretaria de Ressocialização e o Instituto Raízes de África realizam hoje a “Conferência Livre da Saúde das Mulheres Encarceradas e a Conferência Livre de Promoção de Políticas da Igualdade Racial”. Às 9 horas, no Presídio Santa Luzia.

*A banda Quiçaça, de Arapiraca, se apresenta hoje pelo projeto Teatro Deodoro é o Maior Barato. Vai apresentar o show “Jurema”, que dá nome ao primeiro trabalho, lançado em março. A partir das 19h30m, no Teatro Deodoro, com ingresso a R$ 20,00.

*Doze filmes alagoanos vão participar da edição Alagoas da Mostra Sesc de Cinema, no Teatro Jofre Soares, do Sesc Centro Maceió. A proposta visa descobrir talentos no Brasil inteiro e lhes proporcionar divulgação. Hoje e amanhã, 18h30m. Entrada gratuita.

* As inscrições do II Concurso de Crônicas Ivone dos Santos, lançado pela Secretaria de Estado da Cultura, podem ser feitas até 27 de junho. Serão investidos R$ 10.000,00 em premiações. As inscrições devem ser feitas na sede da Secult ou por correspondência.

* O Arquivo Público de Alagoas integra a programação da Semana Nacional de Arquivos, do Arquivo Nacional e Fundação Casa Rui Barbosa. O trabalho selecionado foi a exposição fotográfica ‘Arretada Labuta’, do jornalista e arquiteto Pablo De Luca.

*A Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude, da Prefeitura de Maceió, abriu inscrições ao Circuito Popular de Corridas de Rua. A prova será realizada na orla de Pajuçara, no dia 08 de julho. A concentração será a partir das 18 horas e largada às 20 horas.

 

“Temer ainda terá de enfrentar o Ministério Público, a Polícia Federal, a Lava-Jato e várias delações”

Merval Pereira

Jornalista