Roberto Baia

16 de junho de 2017

Crise na Educação

A presidente da Câmara de Vereadores de Arapiraca, Graça Lisboa, informou, durante sessão do Legislativo, que na reunião com o SINTEAL, sugeriu ao prefeito Rogério Teófilo que acatasse a proposta de um dirigente do movimento (professor Arnaldo Rocha) que entregasse ao movimento grevista a documentação de receita do Fundeb, para que o Sindicato pudesse analisar as contas da Educação, o que foi aceito pelo prefeito.

Feita a avaliação por parte dos profissionais da Educação, eles chegaram à conclusão de que o aumento poderia ser dado.

 

Sem aumento

De acordo com a vereadora, no encontro seguinte o prefeito afirmou que se desse o aumento para os ativos, não poderia repassar para os inativos, que são remunerados com o dinheiro da previdência do município e não do FUNDEB. A Vereadora Professora Graça, por sua vez, destacou que o aumento teria que ser para as duas categorias.

“Foi quando o prefeito  falou que não poderia por causa da Lei de Responsabilidade Fiscal, que seria desrespeitada com a equiparação dos inativos”, explicou a vereadora.

 

É a favor

Em seu pronunciamento na tribuna da Casa, Professora Graça declarou que se tiver que defender algum lado, defenderia, como está defendendo,  os profissionais da Educação, pois ela é a favor  de suas reivindicações. “Porém, os vereadores precisam conhecer o teor dos documentos analisados pelo Sindicato, para poder ajudar nas negociações”, disse a vereadora para informar que a Casa recebera um ofício do Sinteal, pedindo a realização de uma Audiência Pública, o que vai ser discutido com os vereadores.

Ela falou que as negociações ainda continuam e que os vereadores receberam bem a iniciativa do Sindicato em conversar com os profissionais de Educação.