Blog do Dresch

7 de junho de 2017

São João como atração internacional

         Tornar os festejos juninos como um produto tipicamente brasileiro, que reflete a cultura do seu povo, e que possa atrair turistas internacionais. Esta é a meta estabelecida pelo Ministério do Turismo, que pretende internacionalizar o São João de 87 cidades, em 21 estados de todas as regiões do país. “Queremos que o São João tenha seu valor turístico reconhecido” disse o ministro Marx Beltrão. Para ele “é uma manifestação cultural muito rica que pode se transformar em um excelente produto turístico internacional”.

São João para turistas 2

       Para divulgar as atrações brasileiras, a Embratur está promovendo em diversas capitais europeias as apresentações das festas de São João no Brasil, diversificando a oferta turística em diversos países. Em Roma, a festa reuniu 30 mil pessoas. Em Lisboa foram 15 mil e em Madri, 6 mil. Ainda de acordo com Marx Beltrão, a divulgação dos festejos e a realização de ações de promoção e apoio à comercialização, fazem parte da estratégia do Ministério e da Embratur para promover os destinos turísticos onde as festas são realizadas.

 

Brasil é vice em corrupção

                   I Brasil ocupa a terceira pior posição em termos de competitividade e é o vice-campeão em corrupção. Os dados são do Relatório Global de Competitividade 2017. Em termos de corrupção e nosso país somente fica através da Venezuela, à beira de uma guerra civil. O relatório foi elaborado pela IMD, escola de administração, situada em Lausanne e apontou queda do Brasil pelo quinto ano consecutivo. O país ocupa agora 61ª posição no ranking da competitividade, ficando atrás somente da Mongólia e (novamente) da Venezuela. A redução da competitividade se explica pela crise econômica e política que o país atravessa, uma vez que essas turbulências pressionam a situação para baixo. Em termos de eficiência governamental o Brasil está em segundo lugar, uma vez que um dos índices pesquisados é “propina e corrupção”. Isso parece ser uma epidemia na América Latina, já que o ranking é liderado pela Venezuela, seguida pelo Brasil e depois por Colômbia, Peru e México.

 

Uma nova greve geral

                   As centrais sindicais resolveram aumentar a pressão sobre o governo Temer, e marcaram uma nova greve geral no país no próximo dia 30. Os trabalhadores vão novamente ás ruas para protestar contra as reformas previdenciária e trabalhista e em defesa das Diretas Já. A data ainda deve ser referendada pelas categorias profissionais em assembleias. A paralisação geral está sendo coordenada e articulada por nove centrais sindicais: CUT, Força Sindical, UGT, NCST, CGTB, CSB, CSP Conlutas, CTB e Intersindical. No dia 20, sindicatos e federações começarão a fazer panfletagem e assembleias para articular as manifestações.

Uma nova greve geral 2

                   Em nota conjunta divulgada pela coordenação, a ação é justificada: “As centrais sindicais irão colocar força total na mobilização da greve em defesa dos direitos sociais e trabalhistas, contra as reformas trabalhista e previdenciária, contra a terceirização indiscriminada e pelo #Fora Temer”. No último dia 28 de Abril, as centrais fizeram uma greve geral em todo o país com o apoio de movimentos sociais. As entidades organizadoras garantem que foi a maior paralisação já realizada no país.

Países acusam o Catar

           A Arábia Saudita, o Egito, Bahrein e os Emirados Árabes, anunciaram o rompimento das relações diplomáticas com o Catar sob acusação do país ser ligado ao terrorismo. “O governo do Reino (saudita) decidiu romper relações diplomáticas e consulares e fechar todos os portos, as fronteiras terrestres, marítimas e aéreas, para meios de transporte de nacionalidade catariana” anunciou a agência oficial da Arábia Saudita, a SPA. O governo egípcio acusou o emirado do Catar de “apoiar as operações terroristas no Sinai e de intervir em assuntos internos da região.

Países acusam o catar 2

             Já a agência oficial de notícias WAM, divulgou que os Emirados Árabes reiteraram seu compromisso e apoio aos países do Golfo e acusaram o catar de “minar a segurança e a estabilidade da região, bem como de descumprir os compromissos e acordos internacionais”. O mesmo caminho foi seguido pelo Bahrein que decidiu romper relações porque o Catar “financia o terrorismo”, que está associado com o Irã, informou a agência daquele país, a BNA.

 

 

  • De acordo com a sala de monitoramento da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, a situação da maior parte dos rios que corta Alagoas está retornando à normalidade.
  •  As pancadas de chuva que caem sobre a região litorânea, zona da mata de Alagoas e Pernambuco são assimiladas sem maiores problemas pelos rios e lagoas.
  • Segundo o controle fluvial, os rios Camaragibe, Jacuípe, Manguaba, Paraíba, São Miguel, Mundaú e Coruripe estão com seus escoamentos normalizados. Também as lagoas Mundaú e Manguaba estão em situação de normalidade.
  • A força-tarefa criada pelo governo do Estado continua fazendo a distribuição de donativos às famílias desabrigadas ou desalojadas pelas chuvas.
  • A mais recente distribuição de donativos pela força-tarefa aconteceu em Jundiá, Capela, Joaquim Gomes, Murici, Rio largo, Coqueiro Seco, Paripueira, Barra de Santo Antônio, Quebrangulo, Pilar e Igreja Nova.
  • Estão sendo distribuídos água, alimentos, roupas, sacos plásticos, brinquedos, lonas, lençóis, produtos de limpeza e de higiene pessoal.