Sérgio Toledo

6 de junho de 2017

Os caminhos para o fracasso.

Do livro Porque fazemos o que fazemos de Mário Sérgio Cortella, citando Beda “O Venerável”: “Há três caminhos para o fracasso: não ensinar o que se sabe; não praticar o que se ensina; não perguntar o que se ignora”.

Simples assim! Porém na prática as coisas mudam. Ou na prática a teoria é outra.

Não só os professores podem e devem ensinar. Todos nós no nosso caminho profissional, familiar e social, devemos passar para adiante o que sabemos. Por pouco que saibamos.

Ai vem o outro tópico que podemos fazer alusão ao ditado popular: faça o que digo, não faça o que faço. Quantos seres humanos dizem algo muito bonito, porém praticam o inverso. Haja vista os políticos brasileiros na sua quase totalidade. Alguns profissionais de variadas áreas que escondem o “chamado pulo do gato” quando em suas falas no público ou no privado.

Não perguntar o que se ignora. Aí temos variados aspectos. O primeiro quando o ser humano se acha. Pensa que já sabe tudo e que não necessita aprender mais nada. A vida mostra que sempre estamos aprendendo com todos que nos rodeiam. Basta apenas estarmos abertos para os ensinamentos que aparecem a nossa frente. Outros não sabem que não sabem. E o pior são os que sabem que não sabem, porém não mexem um dedo para se aprimorar.

Na área médica temos muitas dificuldades em incutir nos clientes, pacientes alguns ensinamentos práticos para o dia a dia. Cuidados com a alimentação. Prática diária de atividade física. Não utilizar as drogas lícitas, como o tabaco. O álcool socialmente e principalmente usar as bebidas que tenham algum efeito benéfico comprovado como o vinho. Drogas ilícitas nem pensar. Sexo de forma segura e prazerosa! Prevenção! Através de exames periódicos!

A maioria das pessoas fica procurando, pesquisando, comprando ensinamentos milagrosos com a justificativa de que aquilo será a salvação da lavoura para o seu sobrepeso, a sua preguiça e assim vivem na ilusão constante.