Roberto Baia

23 de maio de 2017

Professores na Câmara

professores na camara 600x300 c - Professores na Câmara

Professores da rede municipal de ensino de Arapiraca ocuparam ontem, pela manhã, as dependências da Câmara Municipal, onde a bancada arapiraquense de deputados estaduais estava promovendo uma audiência pública, com a finalidade de discutir a situação do abastecimento de água na segunda maior cidade de Alagoas.

A iniciativa foi do deputado Rodrigo Cunha e também contou com as presenças dos deputados Tarcizo Freire, Severino Pessoa e Ricardo Nezinho, além de 11 dos 17 vereadores.

 

Audiência com prefeito

De acordo com o professor Arnaldo Rocha, um os líderes do movimento, no final da audiência pública, os educadores foram recebidos pelos deputados e vereadores que se comprometeram de marcar uma audiência com o prefeito Rogério Teófilo. Eles reivindicam, além de reajuste salarial, o pagamento de parte dos salários do mês de dezembro de 2016.

 

FPI em Arapiraca

Durante os trabalhos da FPI do São Francisco, na manhã desta segunda-feira  (22), uma unidade de beneficiamento de produtos gordurosos não comestíveis foi interditada no município de Arapiraca. A empresa não tinha os registros exigidos por lei nos órgãos ambientais e de fiscalização, manipulava os produtos sem quaisquer normas de higiene e ainda os vendia sem autorização do Ministério da Agricultura.

 

Subprodutos

Bile e vergalho (pênis do boi) são os subprodutos oriundos de abates de bovinos que eram comercializados pela empresa. Eles eram manipulados para a retirada do sangue e outras impurezas e recebiam formol, o que é proibido por lei. Na sequência, eram vendidos para atravessadores ou diretamente para indústrias farmacêuticas, de cosméticos e de ração animal.

 

Interdição

A interdição por parte da Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) aconteceu porque a unidade de beneficiamento não possui registro nos órgãos de defesa sanitária animal e nem permissão do Ministério da Agricultura para vender os produtos para outro estado. Uma das empresas compradoras é do Rio Grande do Norte.

 

Baixo São Francisco

A apicultura é uma atividade econômica caracterizada pela sustentabilidade ambiental, por unir a produção de alimento à proteção do meio ambiente. Para celebrar a atividade, comemora-se no dia 22 de maio o Dia do Apicultor. Como estratégia de fomento à geração de renda e à preservação do meio ambiente, a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) vem apoiando fortemente as atividades apícolas em sua área de atuação.

 

Apicultores

Em Alagoas, os investimentos nos “guardiões da natureza”, como se autodefinem os apicultores, vêm gerando trabalho, renda e equilíbrio ecológico com a inclusão de apicultores familiares na Rota do Mel, projeto do Ministério da Integração Nacional de estruturação dessa atividade produtiva.

 

Meio ambiente

“Essa autodefinição dos apicultores de Alagoas é muito apropriada. A apicultura preserva o meio ambiente, fortalece o homem por meio da renda que gera e utiliza muito menos água do que outras atividades de subsistência. Sem falar nas abelhas, que em alguns lugares correm até risco de extinção e aqui são preservadas também. Apicultores são verdadeiramente guardiões da natureza e a Codevasf apoia essa ação”, afirma Inaldo Guerra, diretor da Área de Revitalização da Codevasf.

 

Protetores

Um dos protetores do meio ambiente é o apicultor Diego Correia, que também é presidente da Cooperativa dos Produtores de Mel, Insumos e Derivados Apícolas de Alagoas (Coopeapis), que reúne 81 famílias de apicultores de diversos municípios do sertão de Alagoas, como Água Branca, Pariconha, Piranhas, Olho d’Água do Casado, Senador Rui Palmeira e São José da Tapera. Para ele, ser apicultor é preservar o meio ambiente.

 

Palmeira dos Índios

O Instituto de Inovação para o Desenvolvimento Rural Sustentável de Alagoas (Emater/AL) promoveu na quarta-feira (17), em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), capacitação em ovinocaprinocultura aos moradores da comunidade indígena Capela, localizada no município de Palmeira dos Índios.

 

… O curso buscou aprimorar o manejo sanitário de ovinos e caprinos da comunidade, em acordo com demanda identificada previamente pela equipe de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) que atua no município.

 

… Como explicou o engenheiro agrônomo Fernando Cavalcante, técnico que atuou na mobilização e inscrição dos participantes no curso, a iniciativa chega como oportunidade para que a comunidade aprimore as atividades que já desenvolvem, gerando melhorias nos aspectos sociais, econômicos e ambientais.

 

… A comunidade Capela é uma das unidades tradicionais atendidas pela Emater, que desenvolve trabalho contínuo de assistência técnica no município.