Sérgio Toledo

26 de abril de 2017

O Brasil que nós temos.

A prestação de serviço de saúde ao cidadão brasileiro é de péssima qualidade. Não por falta de médicos ou de profissionais da saúde. Por falta de condições mínimas para que a prevenção seja realizada e a cura seja efetuada.

A educação é rasteira. Não por falta de bons professores e sim pela péssima qualidade dos insumos oferecidos e dos desvios de verba que afetam até a alimentação nas escolas primárias.

A segurança carece de tudo, inclusive treinamento para os policiais para que possam ter equilíbrio ao agir na hora da tensão.  Também melhor salario para os mesmos.

O saneamento básico que melhora a qualidade de saúde nos locais que possuem é mínimo em todo o País.

E o que fazem os sindicatos? Programam greve geral! Greve geral? Para que? Não se sabe. Alguns falam que será contra as reformas. Outros dizem que é contra o Moro. Outros afirmam que é contra o Temer. Com certeza não será para o bem do País. Será sim para o bem dos sindicatos e dos sindicalistas que não querem largar a “boquinha”.

Sexta-feira dia 14 foi feriado. Dia 21 também. E agora vamos ter um feriadão dobrado: iniciando no dia 28 sexta-feira, pegando o sábado, o domingo e a segunda-feira dia 01 de maio dia do trabalho?! E daí? Somos um País de ricos. Somos um País do emprego farto! Tudo anda as mil maravilhas no País pós Dilma!

É, realmente, vamos necessitar de mais cinco séculos. Quinhentos (500) anos para que tenhamos seriedade em todos os níveis do querido Brasil!