Blog do Dresch

24 de Março de 2017

Esforço para atrair mais cruzeiros marítimos

                   Manter Maceió na rota dos cruzeiros turísticos na próxima temporada e fomentar este fluxo ainda mais. Este o compromisso assumido por autoridades, representantes do setor turístico e jornalistas quando da visita técnica feita ao cruzeiro Costa Fascinosa, última embarcação a aportar no Porto da capital nesta temporada. Helder Lima, secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo e Jair Galvão, secretário de Turismo de Maceió, participaram da visita e garantiram que vão unir esforços para estimular a vinda de um número ainda maior de cruzeiros na próxima temporada.

Estimular fluxo de cruzeiros 2

                   As agências de viagens que programam os cruzeiros marítimos alegam que o Porto de Maceió não dispõe de infraestrutura adequada para receber, de uma só vez, cerca de três mil visitantes, número médio dos navios, mas reconhecem as belezas naturais da capital alagoana. “Maceió conta com um dos pontos mais belos da costa brasileira, com um potencial de belezas naturais riquíssimo. A nossa missão, é pensar juntos em soluções que voltem a movimentar esse mercado, como reduzir os encargos tributários na chegada e na permanência das embarcações o Porto” explicou o secretário Helder Lima.

 

Golpe nos trabalhadores

                   Até quando os trabalhadores brasileiros aguentarão o desmonte da legislação trabalhista e as conquistas gerais obtidas nos últimos anos, e porque não dizer, nas últimas décadas? A aprovação do Projeto de Lei que liberou a terceirização para todas as atividades empresariais foi um duro golpe principalmente para os sindicatos e para as organizações dos trabalhadores em geral. Perde-se o poder de luta coletiva, desaparece a discussão pela negociação salarial e pela reposição das perdas. Sem sindicatos, ou sem poder de mobilização, o trabalhador fica vulnerável, a meio caminho andado da demissão, e sem qualquer indenização, uma vez que não existe o vínculo empregatício e carteira assinada. O projeto foi encaminhado ao Congresso pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, em 1998, e aprovado pelo Senado em 2002, parando depois na Câmara dos Deputados.  A proposta tem como objetivo baratear para as empresas os custos do trabalho, precarizando e negando direitos.

 

Atrás do apoio paulista

                 O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) continua sua trilha em busca de apoio para consolidar uma possível candidatura á Presidência da República. Tem participado de diversos encontros na capital paulista, como na semana passada, quando almoçou com 15 empresários, em um encontro organizado pelo apresentador de TV Otávio Mesquita. Nas reuniões o parlamentar tenta apagar qualquer traço de truculência, afirmando que é “uma pessoa normal”, mas que segue uma disciplina militar. Para alguns dos convidados, Bolsonaro surge como uma das alternativas à esquerda no país.

Atrás do apoio paulista 2

               O apresentador Otávio Mesquita disse que recebeu um pedido de um grupo de amigos “do Vinho” para conhecer o deputado fluminense, com quem tinha realizado uma entrevista em sua própria casa. Mesquita disse que discorda de 30% das manifestações do deputado “mas são pontos polêmicos que podem se revertidos”. Em outro evento, Bolsonaro foi convidado com mais 140 pessoas pelo Hospital Hadassah Brasil, inclusive com a presença da apresentadora Xuxa Meneghel, mas este foi considerado um evento apolítico.

Novo capítulo da escola livre

                   Mesmo sem ter sido a decisão final, uma vez que a ação de inconstitucionalidade ainda deve ser julgada pelo plenário do STF, a decisão liminar do ministro Luís Roberto Barroso acrescentou um novo capítulo á lei da escola livre, de autoria do deputado Ricardo Nezinho e aprovada e promulgada pela Assembleia Legislativa de Alagoas, após ter sido vetada pelo governador Renan Filho. O voto proferido pelo ministro foi bastante claro e acrescentou á discussão o fato de que “o estado não pode sequer pretender complementar tal norma”.

 

 

Novo capítulo da escola livre 2

                   Para o ministro Barroso “a Constituição assegura uma educação emancipadora, que habilite a pessoa para os mais diversos âmbitos da vida, como ser humano, como cidadão, como profissional. Com tal propósito, define as diretrizes que devem ser observadas pelo ensino, a fim de que tal objetivo seja alcançado, dentre elas a mencionada liberdade de aprender e de ensinar; o pluralismo de ideias e concepções pedagógicas; a valorização dos profissionais da educação escolar”.

 

  • Um projeto que regulamenta a fabricação, comercialização e utilização dos fogos de artifício em todo o país, foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça no Senado da República.
  • Segundo o texto, fica proibida a queima de fogos de artifício perto de hospitais, escolas e postos de gasolina. A proposta também proíbe soltar fogos em portas, janelas, terraços e outros locais com acesso para vias públicas.
  • A multa para quem infringir alguns dos termos citados foi 4stabelecida em R$ 16 mil.
  • O projeto estabelece ainda a proibição de usar na composição dos explosivos, produtos que apresentem o risco de autocombustão, ou que possam pegar fogo após sofrer impacto.
  • A instalação e funcionamento de prédios que abriguem fábricas de explosivos, somente serão permitidas em áreas rurais e distante dos núcleos urbanos.
  • O objetivo do projeto de lei é dar mais segurança aos compradores e aos fabricantes dos fogos, segundo argumentação utilizada pelo senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), autor do projeto.