Flávio Gomes

22 de março de 2017

O buraco é mais embaixo

Do jornalista Flávio Faveco Correa: “As vezes tenho dúvidas sobre o futuro do Brasil. Fico temeroso de que não consigamos limpar nosso país e redesenha-lo para retomar o caminho da prosperidade com justiça social. Arrasados pela revelação da corrupção, infelizmente somos forçados a constatar que o buraco ainda é mais embaixo. Tudo começou com o Pacote de Abril da dupla Geisel/Golbery, que acabou com a nossa representatividade proporcional ao número de habitantes na composição do parlamento, seguido pela Constituição de 1988, ‘a redentora’, que tornou o país ainda mais ingovernável, criando, entre outras barbaridades, nos seus 250 artigos e 80 emendas, odiosos privilégios de todas as espécies. Como, por exemplo, o imposto sindical obrigatório, origem da indústria dos sindicatos, hoje milhares, a maioria sem a menor representatividade. Corrompidos por pão com mortadela, eles conseguem paralisar as principais cidades do país, como fizeram na última quarta-feira, inspirados pelo sapo barbudo que diz que governou só para os pobres, esquecendo de mencionar os bancos, que  nunca ganharam tanto dinheiro, mais outros amigos “pobres” como seus filhos,  Eike Batista, o banqueiro Andre Esteves, Joesley Batista (da JBS, ou melhor, da JBNDES), Zé Dirceu, Bumlai, Odebrecht, etc… E ele próprio, que diz não saber quanto ganha, acha que mais ou menos 50 mil reais por mês, mas que só anda de jatinho por aí…”

“Avanço”

A partir do dia 28 o Ipaseal Saúde colocará à disposição de titulares e dependentes um novo serviço de urgência e emergência: o hospital Humanité, na Gruta de Lourdes. O novo serviço terceirizado irá oferecer aos usuários do Ipaseal Saúde 38 leitos, incluindo apartamentos, enfermarias, UTI e pronto atendimento 24 horas.

Realidade

O que poucos se lembram: os servidores estaduais contribuíam com 7% do salário para custear a Previdência e usufruir do antigo Ipaseal, que oferecia assistência médica e até empréstimos aos segurados. Em seu segundo governo, Divaldo Suruagy aumentou para 11% a contribuição, mantendo todos os serviços ao funcionalismo.

Encargo

Com Ronaldo Lessa, em 1999, o governo continuou a descontar 11% dos servidores, mas apenas para contribuição previdenciária, criando o AL Previdência. E foi criado o Ipaseal Saúde, pelo qual os funcionários estaduais passaram a pagar para usufruir de atendimento médico, quase através de clínicas particulares.

Pode piorar

Se desde a mudança promovida por Ronaldo Lessa o servidor público estadual passou a pagar por exames, consultas e atendimento hospitalar, agora vai pagar a mais, também, para a aposentadoria. É que o governador Renan Filho planeja aumentar de 11% para 14% a contribuição para o atual Alagoas Previdência.

 

Do “Estadão”: “Parte da insatisfação de Renan Calheiros com Michel Temer é por causa da vaga em aberto no TRF-5. Quando comandava o Senado, o alagoano recebeu a promessa de que seu apadrinhado seria desembargador. Agora, no entanto, o novo presidente do Senado, Eunício Oliveira, quer emplacar cria própria.”

Desvio de foco

A semana passada começou com destaque para a reforma da Previdência, que o governo quer nos empurrar todo custo. No meio da semana, surgiu a Lista de Janot, nominando mais políticos envolvidos na Lava Jato. Na 6ª feira, estourou, com exagero, o escândalo da Operação Carne Fraca. E só se fala nisso…

“Mãos limpas”

Cláudio Humberto Rosa e Silva, comparando as trajetórias de Paulo Maluf e Lula: “Há décadas mantido sob suspeita, Maluf não pode sair do País sob o risco de receber voz de prisão, mas divulgou mensagem nas redes sociais lembrando que não está na ‘lista de Janot’, a exemplo de Lula, assim como não esteve no mensalão.”

 

*Celso de Mello, presidente do Supremo Tribunal Federal: “A prestação de contas pode constituir meio instrumental do crime de lavagem de dinheiro se os recursos financeiros doados, mesmo oficialmente, tiverem origem criminosa”.

*O governador Renan Filho e o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, lançam hoje em Alagoas o Programa Criança Feliz. A solenidade acontece a partir das 9 horas, no Centro Cultural e de Exposições, bairro de Jaraguá, em Maceió.

*O Dia da Água é celebrado hoje, 22 de março. Para comemorar a data, a CAB Águas do Agreste, responsável pela captação e distribuição de água em 10 municípios, realiza, em parceria com a Casal, uma semana inteira de atividades com a comunidade.

*O Instituto de Ciências Sociais da Ufal festeja 10 anos de fundação promovendo, desde ontem e até amanhã, várias atividades culturais. Os eventos são gratuitos e acontecem no auditório da Reitoria e no auditório do Centro de Integração e Convivência,

 

*O espetáculo “Graciliano, um brasileiro alagoano – Memórias de Heloísa”, adaptação da obra do escritor alagoano e trechos do historiador Silviano Santiago, com Paulo Poeta, Chico de Assis e Arilene de Castro, será apresentado hoje, 19 horas, no Teatro Deodoro.

*Acontecem, desde ontem e até 6ª feira, o 2º Seminário Nacional a Diversidade Étnica, Sexual e de Gênero e o 1º Seminário Regional do Sintufal. Até amanhã, no Campus do Sertão, em Delmiro Gouveia; na 6ª feira, no Campus A.C. Simões, em Maceió.

*Situações distintas dos clubes alagoanos, hoje, na Copa do Nordeste: em Natal, às 19 horas, o CSA pega o ABC em jogo para cumprir tabela; em Maceió, às 21h45m, o CRB precisa ganhar do Itabaiana para poder continuar na competição – se empatar estará desclassificado.

 

“Goste-se de Lula ou não, há que se reconhecer sua capacidade de enxergar adiante e de usar a seu favor tudo que possa desfavorecê-lo”

Ricardo Noblat

Jornalista