Blog do Dresch

8 de março de 2017

Mendes e o privilégio

mendes e o privilegio 600x300 c - Mendes e o privilégio

   Mais uma vez o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes defendeu o foro privilegiado e disse que a medida preserva “o mínimo da institucionalidade”. Em crítica a outros ministros do STF, ele disse que a supressão do foro “é uma falácia” e um “estelionato eleitoral” para enganar a população. Segundo Gilmar Mendes apenas o Congresso Nacional poderá mudar este benefício. O ministro fez uma defesa enfática do foro privilegiado.

 

Mendes e o privilégio 2

             A manifestação do Presidente do Tribunal Superior Eleitoral aconteceu durante uma palestra no Instituto do Direito Público (IDP) em São Paulo. Segundo ele “é muito simples” ser a favor da supressão do foro, mas disse que “não se calar diante de tal falácia”. E disse ainda mais: “Se dermos trânsito a este tipo de estelionato eleitoral, ao fim e ao cabo teremos uma justiça lenta e processos anulados em nome deste suposto republicanismo” citando colegas seus do STF que defendem o fim do foro privilegiado.

 

Jornalistas ameaçavam regime

             Documentos, antes confidenciais, mostram que a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF) monitorava jornalistas considerados uma ameaça ao regime militar. Os profissionais eram tidos como “comunistas” ou de “esquerda” e o órgão de segurança mantinha informações sobre o perfil de vários profissionais. Ao descrever os jornalistas, a secretaria adotava um vocabulário informal, às vezes grosseiro, revelando um temor do governo sobre a possibilidade de um “levante” comunista na capital federal sob o “comando” da imprensa. Alguns documentos apontam para o controle nos programas de televisão, assim como o noticiário publicado pelos jornais. O noticiário da TV Globo é classificado de “mais responsável”, o da TV Brasília de “linha moderada”, o da TV Nacional de “medíocre” e o da TV Capital o “mais contundente”. As forças de segurança demonstraram muita preocupação com a imprensa do Distrito Federal, em 1977 quando foi formada uma chapa denominada Sindicato Livre para derrotar o grupo que desde 1964 comandava o Sindicato dos Jornalistas do DF. Todos os componentes da nova chapa foram avaliados. A chapa tinha como candidato a presidente Carlos Castelo Branco, e não foi impugnada pela Delegacia Regional do Trabalho por interferência direta do Ministro do Trabalho, Arnaldo Prieto, amigo pessoal de Castelo. Todos os documentos agora estão acessíveis no Arquivo Público do Distrito Federal.

 

 

Gerentes da educação

             Treze novos gerentes educacionais foram empossados ontem pelo governador Renan Filho e pelo Secretário de Educação (e vice-governador) Luciano Barbosa. Todos passaram por um treinamento de formação específica para a nova função. Além da “media training” sobre os diversos aspectos da comunicação, os gerentes conheceram em detalhes a estrutura educacional do Estado, e receberam orientações sobre a otimização da gestão. Dos treze novos gerentes seis deles são oriundos da rede estadual e sete de unidades municipais.

Gerentes da Educação 2

           O próximo biênio terá os seguintes gerentes educacionais em Alagoas: Edna Lopes da Costa (Maceió); Josenete Portela da Silva (São Miguel dos Campos); Renilda Pereira de Oliveira Ribeiro (Palmeira dos Índios);  Sandreane Wellia Silva Paulino (Viçosa); Maria Eliete Barros da Rocha (Arapiraca); Lucinês Luís da Silva (Santana do Ipanema); Roseane Ferreira Vasconcelos (União dos Palmares); Rosália de Farias (Pão de Açúcar); Andrea Lima Dantas Barbosa (Penedo);  Álen Sandy Soares Azevedo (Porto Calvo); José Geocondes Barbosa da Silva (Piranhas); Elisabeth Macena dos Santos Filha (Rio Largo) e Mauricéia Lima Ferreira de Souza (Maceió).

Saindo do armário aos 95

               Aos 95 anos de idade, sendo 60 de casado, com dois filhos, cinco netos e um bisneto, Roman Blank resolveu assumir sua homossexualidade. Ele, que passou anos como preso do Holocausto, disse que sabia que era gay desde os cinco anos de idade e que agora esta orgulhoso da sua decisão de ter saído do armário. Um dos netos ficou tão orgulhoso da atitude do avô que resolveu fazer um documentário a respeito. Ele disse que sua avó sabia da sexualidade do marido ao ter ganho o segundo filho.

Moro vai ouvir Lula

                O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será ouvido formalmente pelo juiz Sérgio Moro ás 15h do dia 3 de Maio. A audiência será realizada      dentro do inquérito que investiga a propriedade de um tríplex na praia de Guarujá, em São Paulo. O ex-presidente será único a ser ouvido neste dia. Outras seis pessoas serão ouvidas entre os dias 20 e 28 de Abril. Na oportunidade o ex-presidente Lula poderá permanecer em silêncio e responder apenas as perguntas feitas pela defesa.

 

 

  • Sepultado ontem no cemitério Parque das Flores, ao meio dia, o jornalista José Aldo Ivo foi um exemplo para os jornalistas da sua geração, e deve ser considerado uma referência para os novos trabalhadores da comunicação em Alagoas.
  • Seus contemporâneos devem seguir seu exemplo na luta pelo fortalecimento das entidades representantivas dos jornalistas. Aldo presidiu o Sindicato dos Jornalistas Profissionais, a Associação dos Cronistas Desportivos de Alagoas (ACDA) e a Associação Brasileira dos Jornalistas Especializados e Turismo (Abrajet) e a todas se entregou de corpo e alma.
  • Para os novos comunicadores é bom não esquecer que foi dele a luta pela implantação do Curso de Comunicação da Universidade Federal de Alagoas que tem formado tantos profissionais de talento reconhecido e determinado a fazer uma boa imprensa em Alagoas.
  • Tenho certeza que é assim que Aldo Ivo gostaria de ser lembrado, se pudesse pedir algo neste sentido.