Roberto Baia

4 de Março de 2017

Livro “O Assassinato de Zumbi”

Os amantes da literatura já podem adquirir o mais novo livro publicado pelo viçosense Aloísio Vilela de Vasconcelos. A obra intitulada “O Assassinato de Zumbi: O Sadismo de um Crime” foi impressa pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos e lançada em dezembro de 2016, mas os exemplares chegaram há alguns dias as bancas alagoanas. Quem deseja adquirir o livro deve procurar, nestes lugares: Shopping Farol, Banca Cultura e Cia, Edufal e brevemente na Livraria Leitura, todas estas em Maceió. Em Viçosa os livros podem ser comprados no Corredor Cultural Théo Brandão: Padaria do Creso e no EU digital.

 

A obra

O livro “O Assassinato de Zumbi: O Sadismo de um Crime”, que conta com o projeto gráfico de Benevaldo Alves Calheiros, informa o tráfico de africanos para o Brasil para o trabalho escravo na lavoura canavieira, os castigos aplicados a eles pelos senhores e senhoras de engenho e religiosos, a fuga para as densas florestas dos Palmares e a consequente formação dos quilombos que posteriormente foram chamados de “Tróia Negra”. O autor fornece uma nova explicação para a morte de Ganga Zumba e, finalmente, detêm-se, longamente, em Zumbi, principal personagem da última fase da história de Palmares. Em seu encerramento a obra apresenta qual a lição que Zumbi ensinou, o que aconteceu com os senhores de engenho, e qual a diferença entre a escravidão de ontem e a de hoje.

 

 

 

Aloisio Vilela de Vasconcelos

 

Nascido na cidade de Viçosa, Aloísio Vilela é Bacharel em Arqueologia pelas Faculdades Integradas Estácio de Sá e Especialista em Arqueologia pela Sociedade de Ensino Unificada Augusto Motta. Foi professor da Universidade Federal de Alagoas, ministrando aulas de Arqueologia e outras disciplinas. Já realizou pesquisas individuais sobre Palmares, tentou localizar o “sumidouro do Zumbi” e escavou o sítio arqueológico “Costa Brava” – localizado no município de Paripueira – um dos primeiros redutos construídos pelos holandeses em território alagoano.

 

Como escritor já publicou os livretos: “Os Absurdos do Filme Quilombo”, “João Paulo II – O Papa do Perdão” e o livro “INHAMUNHÁ – Lenda da Serra Dois Irmãos Ilustrada”. Atualmente, escreve artigos de opinião, alguns publicados por diversos jornais alagoanos.

 

 

Base comunitária da PM

 

A cidade de Marechal Deodoro será contemplada com uma base comunitária da Polícia Militar no Residencial Denison Amorim, localizado as margens da AL 215. A ordem de serviço para a obra será assinada na próxima segunda-feira (06) pelo prefeito Cláudio Filho Cacau, às 9 horas da manhã, na Praça Central do residencial.

 

 

Parceria SSP e Prefeitura

 

De acordo com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Marechal Deodoro, a construção da Base Comunitária da Polícia Militar é resultado de uma parceria entre a Prefeitura de Marechal Deodoro, Secretaria de Segurança Pública e a Associação de Moradores do Residencial Denison Amorim.

 

 

Sem rodízio de energia

 

A Eletrobras Distribuição Alagoas informa que não haverá rodízio de energia em nenhum município do estado de Alagoas. A Distribuidora opera o seu sistema elétrico normalmente, sem qualquer restrição. O que foi divulgado pela imprensa na última quinta-feira (2) diz respeito aos serviços de manutenção que fazem parte da rotina diária da Eletrobras, cuja programação é divulgada diariamente e com antecedência para que os clientes possam se planejar.

 

 

 

Manutenção programada

 

Os desligamentos para manutenção são programados de acordo com a necessidade de reparos na rede elétrica, seja de baixa, média ou alta tensão, identificados após análises técnicas. Os horários dos desligamentos são definidos com base no tipo de serviço que será executado e sua duração. “Uma substituição de poste e transformador, por exemplo, pode levar até quatro horas de trabalho”, afirma a assessoria da Eletrobras.

 

 

Nota de repúdio

 

O Partido Social Democrata Cristão (PSDC) emitiu na última sexta-feira (03) uma nota de repúdio contra o “ato praticado e consumado do Vereador Presidente da Câmara Municipal de Craíbas Nando Rosendo, através de uma gravação de áudio, divulgada em rede social na cidade de Craíbas, exposta para toda alagoas”. A nota refere-se a uma gravação em áudio atribuída ao presidente da Câmara Municipal de Craíbas, sobre a não liberação de um ônibus locado pelo município para transportar moradores para uma praia durante o feriado de Momo.

 

 

 

 

 

Quebra de decoro

 

O PSDB afirma que tal ato praticado pelo presidente do Poder Legislativo de Craíbas, utilizando palavras de baixo calão, denegrindo a imagem e a moral do chefe do poder Executivo da cidade de Craibas, o Prefeito Ediel Leite. “O fato ocorrido causou grande repercussão negativa, em toda cidade, por se tratar de um representante do poder legislativo. Onde no Uso de expressões que configuram crime contra a honra ou que incentivam sua prática, configurando a quebra de decoro parlamentar”. 

 

Sobre o áudio

 

No áudio, usando palavrões impublicáveis contra o prefeito de Craíbas, Ediel Leite (PMDB), o vereador mostra-se revoltado pelo fato do mesmo não ter liberado um ônibus do município para transportar os moradores do Povoado Pau Ferro à praia. A viagem seria na segunda-feira de Carnaval e o retorno na terça-feira.

 

 

 

 

 

… O Ministério Público Federal em Alagoas (MPF/AL) ajuizou, em 26 de janeiro, ação penal contra o  fotógrafo subaquático Enemércio Amaro Conceição de Lima,  por retirar corais de seu habitat e posterior deposição em outro local,  a fim de servirem de fundo para fotografias subaquáticas com turistas, na Área de Preservação Ambiental Costa dos Corais, no município de Maragogi/AL. 

… O Inquérito Policial n. 0266/2014 foi instaurado para apurar denúncia da Associação das Operadoras de Mergulho de Maragogi ao ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), que constatou a retirada mecânica sofrida pelos corais no local denunciado. Também foram encontrados corais no banco de areia, os quais foram depositados pelo acusado, para realização de fotografias subaquáticas com turistas. 

… A ação penal foi ajuizada pela procuradora da República Raquel Teixeira, que ponderou sobre a peculiaridade do dano causado pelo fotógrafo. Segundo a procuradora, “corais e outros habitantes marinhos só podem ser observados in loco, sua retirada causa dano de difícil reparação e caracteriza crime ambiental que deve ser combatido firmemente”.