Blog do Dresch

3 de março de 2017

Padilha, ele de novo

padilha ele de novo 600x300 c - Padilha, ele de novo

O empreiteiro Marcelo Odebrecht confirmou ao ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral, que se reuniu com Michel Temer (PMDB) em 2014 para negociar repasses à campanha eleitoral que elegeu o peemedebista vice-presidente da República. Ele negou, porém, que tenha acertado valores no jantar. Odebrecht, herdeiro e ex-presidente do grupo que leva seu sobrenome, informou que não houve um pedido direto pelo então vice-presidente da República para a doação de R$ 10 milhões ao PMDB. Segundo ele, tratativas para a doação foram feitas entre o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha , e o executivo Cláudio Melo – e admite que parte dos pagamentos pode ter sido feita via caixa 2. O depoimento foi realizado na tarde de ontem, na sede do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), em Curitiba, e fez parte dos desdobramentos da ação impetrada pelo PSDB no Tribunal que pede a cassação da chapa Dilma-Temer por abuso de poder político e econômico.

 Na contramão

Análise da Agência DW Made for Minds sobre o atual Governo do Brasil. “Plano de Temer era ganhar legitimidade popular com retomada da economia e estabilização política. Seis meses depois, escândalos e posição ambivalente frente à Lava Jato ofuscam reformas de um governo que já parece velho. Quando o então presidente interino Michel Temer tomou posse definitiva no cargo em 31 de agosto de 2016, atores políticos em Brasília previram que, com o afastamento da ex-presidente Dilma Rousseff, o novo governo finalmente ganharia força, aprovaria reformas econômicas e estabilizaria a situação institucional do país. Seis meses depois, alguns indicadores econômicos mostram sinais positivos – os juros caíram, as contas públicas melhoraram –, e o governo conseguiu aprovar algumas reformas, quase todas controversas. Mas os sinais positivos na economia e a habilidade do governo de lidar com o Congresso têm sido ofuscados pelos constantes escândalos envolvendo o núcleo duro do governo e a posição ambivalente dele em relação à Operação Lava Jato. Além disso, o Planalto sofre com a expectativa da divulgação das delações da Odebrecht, as constantes trocas de ministros e a permanente impopularidade de Temer. Parte da economia pode estar reagindo, mas a política ainda segue o receituário de crise”. Enfim…

  

Foro especial

Do Estadão. Pelo menos 50 investigados na Lava Jato detêm, atualmente, foro indireto no Supremo Tribunal Federal (STF). São casos de alvos da operação que não possuem cargo com prerrogativa para serem julgados pela Corte, mas têm seus casos conduzidos no tribunal em razão da ligação das investigações com autoridades. O caso mais recente envolvendo foro indireto é o do ex-presidente José Sarney, que teve inquérito mantido no STF por decisão da Segunda Turma da Corte. Os ministros do colegiado justificaram a medida pelo fato de a apuração contra o peemedebista incluir parlamentares detentores de foro especial.

 

 

Bagagem

 

O início da cobrança de bagagem pelas companhias aéreas, que deverá ocorrer a partir de 14 de março, quando entrar em vigor a nova norma da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), não garantirá bilhetes de voo mais baratos, na comparação com os patamares atuais. Segundo o presidente da Gol, Paulo Kakinoff, é certo que a tarifa para quem viajar sem mala será menor do que o preço pago por quem despachar bagagem.

O executivo disse, porém, que não há projeção de redução de preço por parte da Gol. “(O consumidor) não vai comparar meu preço antes e depois da regra. Vai comparar o meu preço com o do meu competidor (no dia em que quiser viajar).”

 

 

Bagagem 2

 

Kakinoff acrescentou ainda, em entrevista ao Estado, que as tarifas aéreas são dinâmicas, variando conforme procura, data da viagem e câmbio – já que cerca de 50% dos custos do setor estão atrelados ao dólar. A nova regra da Anac atende a uma demanda antiga do setor aéreo, que defendia o fim da franquia de bagagem gratuita, de até 23 kg por passageiro nos voos nacionais, com o argumento de aproximar as normas brasileiras aos padrões internacionais. Hoje, apenas Venezuela, Rússia e México também exigem que as companhias aéreas transportem pelo menos uma mala sem cobrar, segundo a própria agência reguladora. 

 

 

Taxação

 

O governo federal estuda cobrar uma nova taxa de empresas como Netflix e Spotify, o chamado serviço streaming, dessa vez através da Agência Nacional do Cinema (Ancine). O plano, segundo a coluna do jornalista Ricardo Feltrin no UOL, é taxar Netflix e similares com um imposto conhecido como “Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional” (Condecine). Essa taxa já é cobrada de produtoras e distribuidoras de conteúdo no país. Se o governo decidir cobrar o Condecine da Netflix, a empresa terá de pagar mais de R$ 7.000 por cada produto estrangeiro em seu catálogo com duração superior a 50 minutos (filmes, documentários, entre outros títulos). Além disso, há uma taxa extra de mais de R$ 1.800 por episódio de série estrangeira. No caso do conteúdo nacional, seriam mais de R$ 1.450 por filme brasileiro e R$ 364 por capítulo de série ou novela. A cobrança do Condecine é feita a cada cinco anos, sendo que a estimativa mais conservadora do governo é a de arrecadar R$ 300 milhões só da Netflix até 2022.

 

 

Xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

*** As mulheres heterossexuais têm menos orgasmos do que os homens e do que as mulheres lésbicas ou bissexuais, revela um novo estudo. Os resultados foram obtidos a partir de um levantamento com 52,6 mil pessoas nos Estados Unidos, que analisou o “intervalo de orgasmos” entre os gêneros e as diferentes orientações sexuais.

 

*** A pesquisa também recomenda uma “variedade de comportamentos que os casais podem tentar para aumentar a frequência dos orgasmos”, entre eles, sexo oral e estimulação manual.

 

*** Realizado pela Universidade de Indiana, pela Universidade Chapman e pela Universidade de Claremont, todas nos Estados Unidos, o estudo mostra a proporção de pessoas que geralmente têm orgasmos:

*** 65% das mulheres heterossexuais; 66% das mulheres bissexuais; 86% das mulheres lésbicas; 88% dos homens bissexuais; 89% dos homens gays e 95% dos homens heterossexuais.

 

*** “Os resultados, no entanto, indicam que esse intervalo de orgasmos pode ser reduzido”, assinala o estudo.”O fato de que as mulheres lésbicas têm orgasmos com maior frequência do que as mulheres heterossexuais indica que muitas mulheres heterossexuais poderiam ter maiores taxas de orgasmo”, acrescenta.