Blog do Dresch

26 de Fevereiro de 2017

Polêmico pastor Silas Malafaia é pego pela Polícia Federal

Deu na IstoÉ. Silas Lima Malafaia “se locupletou com valores de origem ilícita”. Com esse contundente despacho, a Polícia Federal – em relatório de conclusão de inquérito obtido com exclusividade pela revista IstoÉ – indiciou o pastor da Assembleia de Deus por lavagem de dinheiro e participação num esquema de corrupção ligado a royalties da mineração. Em 16 de dezembro, Malafaia havia sido alvo de condução coercitiva pela Operação Timóteo. O nome da operação se baseia em um dos livros do Novo Testamento da Bíblia, a primeira epístola a Timóteo. No capítulo 6, versículos 9-10, está escrito: “Os que querem ficar ricos caem em tentação, em armadilhas e em muitos desejos descontrolados e nocivos, que levam os homens a mergulharem na ruína e na destruição, pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males”.

 

Pegaram o paladino 2

A Polícia Federal transcreveu o trecho na representação judicial que deu origem à operação. Pelo visto, para o delegado Leo Garrido de Salles Meira, autor do indiciamento, Silas Malafaia caiu em tentação. Agora, o pastor, proverbial arauto da moral e dos bons costumes, terá de explicar aos seus fiéis seguidores porque se dobrou aos pecados da carne. A investigação detectou que um cheque do escritório de advocacia de Jader Pazinato, no valor de R$ 100 mil, foi depositado na conta de Malafaia. Pazinato, segundo a PF, teria recebido recursos ilícitos desviados de prefeituras e repassado propina, por isso também foi indiciado por corrupção ativa e peculato. O indiciamento significa que a autoridade policial encontrou elementos para caracterizar a ocorrência de crimes. Além de Malafaia, a PF indiciou outros 49 investigados, dentre eles o ex-diretor do DNPM Marco Antônio Valadares e Alberto Jatene, filho do governador do Pará, Simão Jatene.

 

A mula de Padilha

 

O sigilo sobre as dezenas de colaborações com a Justiça de executivos da Odebrecht segue vigente, mas o pouco que já se sabe delas seguem provocando estragos. Na quinta, José Yunes, o amigo de longa data de Michel Temer e ex-assessor presidencial, corroborou, em termos, um dos trechos da delação do executivo da empreiteira, Cláudio Melo Filho, vazada em dezembro à imprensa. De quebra, ele apontou a mira para um homem-forte do Governo, o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil).Segundo a Folha de S. Paulo, Yunes disse que Padilha o fez de “mula” ao pedir que ele recebesse um “pacote” em seu escritório em 2014. Ainda segundo Yunes, citado pela Folha, o emissário do pacote foi Lucio Funaro, um operador do ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-SP). No relato do delator da Odebrecht, o pacote levava dinheiro vivo da empreiteira destinado a campanhas do PMDB, fruto de um acerto feito em jantar com o próprio Temer. O ex-assessor de Temer, que deixou o cargo em dezembro quando a história veio à tona, afirma que jamais soube o que levava o pacote. Nesta semana, Yunes resolveu, de acordo com o jornal, se adiantar e prestar depoimento espontâneo na Procuradoria-Geral da República, a respeito do episódio.

 

 

 

Mais uma história de amor

 

Após sete dias de espera, o cão 'Marronzinho' reencontrou seu dono na quinta-feira (23). O animal fez vigília na porta de um hospital de Limeira (SP) depois que seu tutor, um morador de rua, foi internado. O paciente ficou na UTI com pneumonia, mas recebeu alta e, na porta da unidade de saúde, foi recepcionado pelo cão. O homem tem 30 anos e vivia nas ruas, onde conheceu o cachorro que passou a ser seu parceiro. O animal chegou a pular dentro da ambulância para ir junto com o dono até o hospital. Após ficar mais de mais de 24 horas na porta da unidade de saúde, o cão ganhou o apoio de funcionários do local e de uma entidade de proteção aos animais. No reencontro da dupla – sete dias depois da internação – o cachorro se aproximou no dono e até deitou de bruços no chão para receber carinho. Já o morador de rua ganhou roupas limpas ao deixar o hospital e, ainda debilitado, será assistido por uma ONG. Ele não quis conceder entrevista, mas confirmou que levaria Marronzinho para ficar com ele na instituição.

 

 

A gafe de Lobão

 

Deu no Estadão. Convidado pelo prefeito paulistano João Doria (PSDB) para a estreia de seu talk show semanal transmitido ao vivo pelo perfil no Facebook, o cantor Lobão cometeu uma gafe ao criticar, ao lado do tucano, alianças partidárias feitas nas eleições para obter maior tempo de TV durante a propaganda eleitoral. O tucano foi eleito no primeiro turno nas eleições municipais de 2016 com uma coligação composta por 13 partidos que lhe renderam 30% dos 10 minutos de exposição divididos entre 11 candidatos. Obtida com apoio do governador Geraldo Alckmin (PSDB), a coligação foi a maior já registrada nos pleitos a prefeito da capital e o tempo de TV e inserções o maior na disputa do ano passado. Doria sorriu e disso que “isso tem de ser reavaliado” em uma reforma política. “Sou favorável também ao debate, acho o debate construtivo, abrir mais tempo para o debate, sempre de maneira equânime e equilibrada. E dar acesso a todos. É muito ruim impedir acesso de candidatos ao debate”, completou o prefeito, com quem Lobão já havia trocado elogios no início da transmissão.

 

 

Falta dindin

 Brasil vai importar cédulas de dinheiro e moedas. Motivo: a Casa da Moeda não está dando conta de produzir o dinheiro necessário para repor o estoque em circulação.  Hoje, o atraso na produção é de 15% em relação à quantidade de cédulas e moedas encomendadas pelo BC —  e não entregues. Em decreto publicado hoje no Diário Oficial, o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, justifica a decisão pela “inviabilidade ou fundada incerteza quanto ao atendimento, pela Casa da Moeda do Brasil, da demanda por meio circulante”.

  

*** O Ministério da Saúde deve enviar as primeiras remessas de doses da vacina contra a gripe aos estados a partir do dia 10 de abril. Segundo a pasta, o início da distribuição da vacina à população ficará a cargo de cada estado, já que cabe às secretarias estaduais e municipais de saúde definir um cronograma específico para a imunização.

*** Ainda de acordo com o ministério, o Dia de Mobilização Nacional, mais conhecido como Dia D, foi agendado para 6 de maio. Nesta data, um sábado, postos de saúde de todo o país devem abrir as portas para imunizar a população contra a doença. Serão vacinados apenas grupos prioritários – que ainda serão anunciados pelo Ministério da Saúde.

*** No ano passado, receberam a dose crianças com idade entre 6 meses e menores de 5 anos, gestantes, idosos, mulheres com até 45 dias após o parto, pessoas com doenças crônicas e profissionais de saúde. Povos indígenas, pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional também foram imunizados. A previsão da pasta é que a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe seja encerrada no dia 19 de maio.