6 de Fevereiro de 2017

Faixa de pedestre e a mídia.

Recentemente aconteceram dois acidentes com morte de pedestre por atropelamento. Um deles na Avenida Fernandes Lima.

Necessitamos de muitas faixas de pedestre. Necessitamos que as faixas de pedestre sejam mantidas com cores visíveis. Estive recentemente no velho mundo e as faixas não são pintadas em grande extensão e sim no inicio e final do espaço. Os motoristas respeitam. E os pedestres usam.

No nosso meio onde a educação é precária temos tudo ao inverso: faixas que não são mantidas, motoristas que não respeitam e principalmente os pedestres não utilizam.

Os pedestres são incríveis. Expõem-se ao perigo do atropelamento por auto ou moto, porém não caminham dez, quinze, cinquenta metros para utilizarem a faixa de pedestre mais próxima! Pior: as passarelas como a do Ouro Preto que recentemente foi reformada, não são utilizadas! Passam por debaixo da passarela, porém não a utilizam!

Necessitamos então de que? De educação! Educação não é só aquela que recebemos na escola, no colégio. Necessitamos da educação caseira e da mídia, e do poder público!

Uma emissora de TV da capital aproveitou o momento dos atropelamentos de pedestres fora das faixas para fazer sua matéria, porém ao invés de insistir na educação do pedestre trilhou pelo mais fácil. Fazer crítica porque algumas faixas estavam apagadas!

Ora, se você não ensina ao pedestre que tem que usar as faixas e as passarelas seu tempo perdido em criticar o poder público vai reverter num ledo engano para o pedestre. Qual a lição por ele tirada? As faixas de pedestre só devem ser usadas quando estiverem pintadas em cores vivas! As passarelas estão lá para fazerem marketing!

“As famílias confundem escolarização com educação. É preciso lembrar que a escolarização é apenas uma parte da educação. Educar é tarefa da família” Mário Sérgio Cortella.