Blog do Dresch

31 de Janeiro de 2017

Decisão da ministra Carmén Lúcia sobre homolagações abre polêmic

A decisão da ministra Carmén Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ontem, em homologar as 77 delações de executivos da Odebrecht,  suscitou uma polêmica: homologou, mas não tornou públicos os documentos dessas delações. Embora tenha recebido apoio, principalmente de boa parte da opinião pública, outra parte considerável das opiniões – de alguns jornalistas que cobrem política, por exemplo -, acha que a ministra 'fez o serviço pela metade'. O senador Roberto Requião (PMDB-PR), por exemplo,  afirmou ontem que o ideal seria que o conteúdo das homologações das delações da Odebrecht fosse divulgado antes da eleição para as Mesas Diretoras da Câmara e do Senado. Para ele, o Legislativo está numa situação “constrangedora” – já que poderá eleger parlamentares para cargos do comando das duas Casas Legislativas que futuramente poderão ser alvo de questionamentos no Supremo Tribunal Federal (STF).
Delação, a ministra e as opiniões 2
“Estamos numa situação muito constrangedora neste processo”, avaliou o senador, ao ressalvar que, sem a íntegra das delações, não se pode fazer nada para eventualmente discutir os nomes para o comando das duas Casas. A presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, decidiu homologar as delações dos 77 executivos da Odebrecht. A decisão foi anunciada ontem pela manhã. Contudo, Cármen manteve o sigilo em relação à divulgação do conteúdo das colaborações premiadas. A eleição para a Mesa do Senado está marcada para esta quarta-feira, dia 1º, e para a Mesa da Câmara, no dia seguinte. O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), afirmou que a eventual divulgação dos acordos de colaboração premiada dos executivos da Odebrecht poderá atingir as cúpulas dos Três Poderes, e não apenas a do Legislativo. Ele não quis avaliar antecipadamente o impacto que o procedimento poderia ter para as candidaturas de Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Eunício Oliveira (PMDB-CE), respectivamente, aos comandos da Câmara e do Senado. Tanto Maia quanto Eunício já foram citados por executivos da empreiteira antes da delação ter sido homologada. Os dois negam quaisquer irregularidades.
Rolo compressor contra Trump 
Grandes empresas norte-americanas como Starbucks, Google, Uber e Airbnb decidiram enfrentar a polêmica decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de suspender a entrada de imigrantes de sete países de origem muçulmana por ao menos 90 dias. A famosa cadeia de cafeterias afirmou que empregará 10 mil refugiados em suas lojas em todo o mundo e dará preferência nos Estados Unidos a imigrantes que serviram as Forças Armadas dos EUA. “Existem mais de 65 milhões de cidadãos do mundo reconhecidos como refugiados pelas Nações Unidas e nós estamos desenvolvendo planos de contratar 10 mil deles em 75 países no mundo onde os Starbucks faz negócios”, afirmou o CEO da companhia, Howard Schultz.  O gigante Google também se mostrou indignado com a medida apresentada pelo mandatário republicano e anunciou que criou um fundo de US$ 4 milhões, sendo que US$ 2 milhões destes são de doações de funcionários da empresa, destinado a quatro organizações que lidam com imigrantes: a American Civil Liberties Union (Aclu), a Immigrant Legal Resource Center, a International Rescue Comittee e o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur). Em um comunicado endereçado aos funcionários, o CEO da companhia, Sundar Pichai, afirmou que altos executivos do Google também farão doações individuais para o fundo. A informação foi confirmada mais uma vez por um porta-voz do Google no domingo (29).
Sócio de luxo 
Após ser anunciado como o novo sócio, Ronaldo Fenômeno será “apresentado” nesta semana na sede da CNB, uma das maiores equipes de esportes eletrônicos do Brasil. O ex-atacante visitará a gaming house, em São Paulo, ao lado do também investidor da organização e astro do pôquer, André Akkari, responsável por colocar Ronaldo no mundo do e-sport. Ronaldo mora atualmente na Espanha. Remotamente, vai participar das decisões estratégicas da CNB. O ex-atacante também auxiliará na expansão da marca e será responsável por expandir a carteira de patrocinadores da organização. 
Sócio de luxo 2  
“Os jogos eletrônicos são tendência no mundo inteiro e, no Brasil, são uma febre. Na final do Campeonato Brasileiro de League of Legends 2016, mais de 15 mil pessoas compareceram ao Ginásio do Ibirapuera para acompanhar a final entre a INTZ e a CNB. É um movimento impressionante. Como atletas, encontramos na CNB ideais que tem tudo a ver com os nossos, e vamos transferir para o e-sport a adrenalina dos jogos nos campos de futebol e nas mesas de pôquer “,  declarou Ronaldo no anúncio da compra de parte da CNB. Fundada em 2001, os Blummers, como são conhecidos, estão hoje na elite do League of Legends do Brasil e tem time considerado favorito para esta temporada. Inclusive, é o atual vice-campeão nacional. Os dirigentes Cléber Fonseca e Carlos Júnior, também presidente da Associação Brasileira de Clubes de e-Sport, seguem no comando da equipe paulista.
Incomodado
Romero Ribeiro não é mais integrante do grupo Exaltasamba. O finalista do “The Voice Brasil”, em 2014, acertou seu desligamento na semana passada. Já em Fortaleza, onde mora a sua família, o cantor vai voltar a se apresentar com a antiga banda, Acaiaca. Segundo ele, o crescimento de sua filha contou na hora da decisão, além das ideias que queria implantar no Exaltasamba. “Meu show é uma mistura de tudo. Tenho outra vibe musical”, afirmou o artista em entrevista ao site Ego. No ano passado, após anunciar seu fim em 2012, o grupo Exaltasamba voltou com nova formação, com três vocalistas, entre eles Romero. Com o desligamento, o músico vai se dedicar à carreira solo paralelamente com suas apresentações na Acaiaca. “Antes do Exalta, já estava projetando isso. Estava com DVD para ser feito e tinha um EP. Aí pintou o convite para o grupo e fiquei em dúvida. Como um bom soldado não foge à guerra, fui encarar a missão. Agora estou voltando”, disse Romero Ribeiro ao site Ego.
 
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
*** O jornalista  William Bonner está sumido das redes sociais, mas não quer dizer que ele não esteja mexendo em seus perfis. No Instagram, o âncora do “Jornal Nacional” apagou todas as fotos que tinha publicado com Fátima Bernardes, sua ex-mulher. Os dois anunciaram o fim do casamento de 26 anos em agosto de 2016.
*** Antes da separação, o jornalista costumava publicar fotos ao lado de Fátima e muitas selfies. Entretanto, quem for visitar o Instagram de Bonner verá apenas paisagens. A foto mais recente foi tirada na praia do Pepino (RJ) e publicada em 1º de agosto do ano passado.
*** Bonner apagou até mesmo fotos do pai, William Bonemer, que morreu em 29 de novembro. Ele havia publicado imagens no final de dezembro para homenageá-lo.
*** Outra atitude de Bonner que preocupou seus seguidores foi o bloqueio dos comentários nas últimas publicações. O jornalista impediu seus fãs de comentarem as 23 fotos mais recentes. Na primeira imagem com comentários permitidos, seguidores querem saber a razão da mudança de Bonner. “Por que você apagou quase tudo?”, perguntou uma fã.
*** O Governo de Alagoas inicia a liberação dos salários do mês de janeiro hoje (31) aos servidores inseridos na primeira faixa salarial, cujos vencimentos vão até R$ 2.340,00. A Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas (Sefaz/AL) aponta que mais de 60% do total de servidores ativos e inativos do Estado compõem esta faixa salarial.