Roberto Baia

18 de Janeiro de 2017

Pague meu dinheiro

E a cantiga de grilo em Arapiraca, cidade mais importante do interior alagoano, é uma só: “Pague meu dinheiro”. O refrão está ligado ao que se pode taxar de calote “de início de governo” do pagamento do salário de dezembro de 2016, que deveria ser pago pela gestão da então prefeita Célia Rocha, mas que deixou a herança para o seu sucessor predileto, com quem teve um relacionamento político platônico años atrás.

 

Sem controle

Rogério parece mais perdido do que cego em tiroteio, mas mantém esperança de arrumar a casa e seguir em frente. O problema é que de cara já perdeu o controle da administração para alguns parceiros de campanha que, ao que deixam transparecer, só estão preocupados em locupletar-se.

Em tempo: Já empregaram parentes do primeiro, segundo e terceiro grau, tudo com consentimento do patrãozinho que, ao que deixa transparecer, só balança a cabeça para cima e para baixo…

Tempos difíceis à vista.

É “loita”.

 

Sem diálogo

 

O prefeito de Palmeira dos Índios, Júlio Cezar, está com os olhos voltados para a Câmara Municipal. É que a maioria dos vereadores está meio rebelde, sem querer abrir um diálogo com a finalidade de administrar o município.

Ao que parece, os vereadores não estão nada satisfeitos com o gestor, que não têm mantido uma linha de diálogo com a finalidade de garantir uma administração voltada para os interesses das famílias palmeirenses.

 

Finalmente

E o advogado Marcondes Aurélio foi, finalmente, indicado para assumir a Procuradoria-Geral de Palmeira dos Índios. Marcondes assumiu com a saída do advogado França Junior que ficou apenas 13 dias no cargo e foi indicado por ser filho da vereadora Adelaide França (PMDB).

A sua indicação causou grande polêmica em Palmeira dos Índios.

 

Pequenos produtores

Com informações do jornalista Artur Gondim: O senador Benedito de Lira (PP-AL) anunciou que na segunda-feira, dia 16 de janeiro, no pátio da Secretaria de Agricultura, serão entregues 13 tratores e mais 6 caminhões térmicos para transporte de leite, destinados aos pequenos produtores alagoanos.

Os equipamentos foram conseguidos por meio de emenda parlamentar de autoria do senador Benedito de Lira em valores aproximados de 3 milhões de reais.

 

Equipamentos

Cada um dos 13 tratores vem equipado com arado, grade, carroça. O senador divulgou uma foto em que ele aparece junto com produtores que praticam agricultura familiar no distrito de Quandu, em Poço das Trincheiras. Esse evento aconteceu no começo do ano passado e os benefícios já fizeram grande diferença na vida dessas pessoas que praticam a agricultura familiar no interior de Alagoas.

 

Continuidade

O senador disse que conseguiu, por meio de emenda parlamentar, proporcionar os benefícios e mais uma vez ressaltou a necessidade de que haja continuidade nesse tipo de política pública com o objetivo de que essa ajuda sempre possa ser oferecida aos pequenos produtores alagoanos.

 

Diálogo permanente

A diretoria da Associação Alagoana de Magistrados (Almagis) fez uma visita de cortesia ao novo procurador-geral de Justiça de Alagoas, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto. Na ocasião, o novo chefe do Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE/AL) defendeu um diálogo permanente entre a instituição administrada por ele e a entidade de classe que reúne os juízes. A nova gestão do Ministério Público de Contas também visitou Alfredo Gaspar.

 

Respeito mútuo

“Foi uma alegria receber a Almagis, que, por tantas vezes, já trabalhou em parceria com a nossa associação de classe, que é a Ampal, que reúnem promotores e procuradores de Justiça. E receber o apoio deles à nossa gestão me deixa feliz. Que continuemos mantendo essa relação de respeito mútuo e que o diálogo seja sempre o melhor caminho a seguir”, disse Alfredo Gaspar de Mendonça Neto.

 

Mais fortes

“Sem sombra de dúvidas o nosso norte será o diálogo. Acreditamos que por meio dele vamos conseguir resolver quaisquer problemas que por ventura acontecerem. Nesse momento de crise, por exemplo, é fundamental a união entre Judiciário e Ministério Público para que possamos ser mais fortes e enfrentar as adversidades”, defendeu o presidente da Almagis, juiz Ney Alcântara.

 

… O procurador-geral de Justiça agradeceu a visita dos diretores da Associação e ressaltou o perfil conciliador da nova cúpula da entidade. “Todos os promotores ficaram felizes com essa nova composição da Almagis.

 

… Nós bem sabemos as responsabilidades que são atribuídas a um juiz e, além de todo o trabalho, ainda administrar a atividade em defesa da classe e com um perfil agregador e de conciliação, é muito importante”, acrescentou Alfredo Gaspar.

 

… Também estiveram presentes ao encontro, que ocorreu na última sexta-feira (13), os vice-presidentes da Almagis, juízes Sandro Augusto (Comunicação e Marketing), Geneir Marques (Juízes do Interior e Agregação), José Cícero Alves da Silva (Financeiro) e Antônio Rafael Wanderley Casado (Cultural-Pedagógico).