Blog do Dresch

30 de dezembro de 2016

Bolsa-Família cumpre seu papel em Alagoas

                   O processo de Averiguação e Revisão Cadastral dos beneficiários do Bolsa Família, já foi concluído pelo Governo Federal e o objetivo de otimizar o rendimento do programa esta sendo atendido. Essa é a opinião do secretário de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social, Antônio Pinaud, salientando que, em 2016 o Programa repassou para Alagoas quase R$ 854 milhões. O valor do repasse mensal passou de R$ 68,5 milhões em Janeiro, para R$ 74,1 milhões em Dezembro. Segundo dados da Coordenação Estadual do Programa, em Alagoas ele tinge, atualmente 396.054 famílias.

O valor do Bolsa-Família 2

                   De acordo com o secretário Pinaud, houve uma redução do número de beneficiários entre os meses de Fevereiro e Abril, mas posteriormente novas famílias foram acrescidas, priorizando como sempre as diretrizes voltadas para a redução da extrema pobreza em Alagoas.  “Os repasses garantem a milhares de famílias a sobrevivência de seus integrantes” defende o secretário. Segundo ele, o maior objetivo é promover condições para que essas famílias encontrem mecanismos e atividades que gerem renda e garantam sua independência.

Modernização do sistema penal

                   O Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) vai receber uma injeção de recursos da ordem de R$ 1,2 bilhão, para construção de presídios e modernizações do sistema penal. O governo considera “que este é o maior investimento jamais realizado no sistema penitenciário do Brasil”, segundo anunciou o porta-voz da Presidência, Alexandre Parola. O repasse começou a ser feito aos estados no dia de ontem. Segundo o porta-voz, R$ 799 milhões serão destinados á construção de penitenciárias para reduzir a superlotação existente hoje no sistema.  Outros R$ 321 milhões serão utilizados em projetos de cidadania e na qualificação dos serviços penais. Também serão contemplados a compra de novos equipamentos como scanners que substituirão as revistas físicas das visitas aos presos, explicou Parola. Atualmente existe um déficit de aproximadamente 249 mil vagas em todo o sistema carcerário brasileiro.

 

O verão e as complicações vasculares

             O forte calor que atinge praticamente todo o país neste final de ano ligou o alerta na Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV). Juntamente com as entidades estaduais, esta sendo lançada uma campanha alertando a população sobre as mudanças fisiológicas que podem provocar no sistema cardíaco, além da vasodilatação, que provoca o inchaço dos membros inferiores. A vasodilatação gera o aumento da estase venosa, ou dificuldade do sangue dos membros inferiores retornar ao coração e acaba provocando um inchaço ou edemas.

O verão e as complicações vasculares 2

               Esse inchaço nas pernas pode ser sinal de algum problema de saúde mais sério, como insuficiência venosa crônica, varizes, edema linfático ou trombose. A sugestão da Sociedade é que sempre que isso fugir do normal é bom procurar um angiologista ou cirurgião vascular para realizar um exame vascular mais detalhado.   A sugestão também envolve atividade física regular, evitar ambientes muito quentes, ficar sentado muito tempo na mesma posição ou mesmo em pé, e sempre caminhar um pouco, mesmo em ambientes menores.

SUS ganha quase 1 bi

            O Ministério da Saúde anunciou que esta liberando, nesta semana R$ 962,3 milhões para o funcionamento de 1.966 serviços da rede pública. O recurso garante o atendimento da população em unidades que já estavam em atividade, mas não tinha a contrapartida do governo federal. Entre os serviços contemplados estão 53 para atendimento de pacientes com câncer, 71 para assistência a gestantes e bebês, 421 para a rede de urgência e emergência, 94 para assistência em unidades de terapia intensiva e 39 para cuidados de pessoas com deficiência.

 

 

Ele desafia a saúde brasileira

               O combate ao mosquito Aedes aegipty é o maior desafio a saúde brasileira no momento. A afirmativa é do ministro da Saúde Ricardo Barros, durante entrevista coletiva sobre os seus 200 dias á frente do ministério. “Temos que combater o mosquito. Esse é o grande desafio da saúde até que a gente consiga um controle adequado” avaliou o ministro. Este ano que esta terminando, registraram-se 263 mil casos de febre chikungunya, contra 36 mil em 2015. No caso da dengue houve 1,4 milhão contra 1,6 milhão de casos ano passado, além de 211 mil casos prováveis de zika em 2016 (nem todos os casos registrados foram confirmados em laboratório).

 

 

  • A cidade de Cajueiro, na zona da mata alagoana, ganhou um laticínio que terá a capacidade de processar cerca de 30 mil litros de leite diariamente, oriundos de produtores da região do Vale do Paraíba.
  • O empreendimento vai gerar 60 empregos diretos e indiretos, e está incluído no Programa do Leite de Alagoas, atendendo a produção leiteira dos cooperados da Cooperativa dos Produtores de Leite de Alagoas (CPLA), em Cajueiro, Capela, Viçosa e Mar Vermelho.
  • A solenidade de inauguração do empreendimento contou com a presença do Secretário de Estado da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura, Álvaro Vasconcelos que enalteceu a visão empresarial dos empresários.
  • “O Governo sempre estará ao lado dos empreendimentos que trabalham com a produção leiteira da agricultura familiar, fortalecendo cada vez mais a cadeia produtiva de Alagoas” afirmou o Secretário.
  • Ele destacou o incentivo fiscal concedido pelo Governo do Estado ao leite e seus derivados e também enalteceu o papel da Secretaria de Agricultura na distribuição de sêmens e embriões para o melhoramento genético do rebanho leiteiro.