Blog do Dresch

25 de novembro de 2016

Chico Buarque retira música do “Roda Viva”

             A partir da próxima segunda feira (28), o programa “Roda Viva” da TV Cultura, não usará mais a música homônima em sua abertura. Ela foi retirada a pedido do seu autor, o cantor e compositor Chico Buarque, que justificou o pedido pelo fato do programa ter se distanciado da linha editorial que fazia parte da proposta original. Chico não quis a sua música associada ao Roda Viva atual. Como nunca existiu um contrato formal do compositor com a TV Cultura, o pedido foi aceito imediatamente.

Roda Viva deixa de ser tema 2

             A entrevista do presidente interino Michel Temer ao Roda Viva, no dia 14 de Novembro, desencadeou a ação do músico. Após a exibição do programa, um grupo de intelectuais, somado ao coletivo Jornalistas Livres, assinou um manifesto pedindo a retirada da canção da trilha do programa. Chico Buarque havia liberado de maneira informal o uso da canção para a abertura do programa a pedido do amigo Fernando Faro (que morreu em Abril) que na época era diretor da TV Cultura. A música “Roda Viva” é um marco na vida do país. Foi composta por Chico Buarque em 1967 para a peça teatral homônima que tinha a direção de José Carlos Martinez Corrêa e passou muito tempo sob a censura da ditadura militar.

 

Mortes de crianças indígenas

             Um programa lançado esta semana pelo Ministério da Saúde, pretende reduzir em pelo menos 20%, a mortalidade das crianças indígenas brasileiras até 2019. Dados do próprio Ministério apontam que a mortalidade infantil nas aldeias alcança 31,28% por cada mil nascidos vivos, mais que o dobro da média geral nacional que é de 13,8%. Metade das mortes das crianças indígenas acontece antes de completarem um ano. A maior parte dos óbitos, 65% é por doenças e causas evitáveis, como problemas respiratórios, nutricionais e parasitários. O foco do novo programa é atuar principalmente no combate a esses problemas. Para o Ministério essas mortes são preocupantes, uma vez que podem ser prevenidas com uma estrutura relativamente simples. Estes óbitos mostram ou que o pré-natal não foi feito com qualidade, ou que o acompanhamento da criança não está sendo feito. Outro problema considerado é que as mães indígenas estão deixando de amamentar os bebês muito cedo, em torno de quatro meses, quando o tempo mínimo preconizado é de seis meses. Enquanto a taxa de desnutrição nacional em crianças até cinco anos é de 1,9%, entre os índios, na mesma faixa etária é de 8,8%.

 

Promoção de concursos

                O governador Renan Filho assegurou esta semana que cumprirá sua palavra na realização de alguns concursos públicos no ano de 2017. São certames para o preenchimento de vagas na Polícia Militar, no Corpo de Bombeiros e na Secretaria de Educação, principalmente em função de aposentadorias de seus integrantes. Ainda existe a possibilidade, (vai depender de avaliação) de se realizar um concurso para a Secretaria da Fazenda.

 

 

O perdão pelo aborto

              O Papa Francisco concedeu aos sacerdotes da Igreja Católica, a liberdade de absolverem ou não, as pessoas que cometeram o aborto e procuraram a Igreja para se redimir. A orientação foi publicada na carta apostólica “Misericórdia et Misera” divulgada pelo Vaticano. A carta estabelece uma serie de novas instruções para que a misericórdia seja adotada como prática diária entre os católicos. Assim os sacerdotes ficam livres para perdoar as pessoas que praticaram o aborto. Isso permite que milhares de mulheres e de médicos que cometeram ou participaram de aborto, possam voltar a comungar na Igreja.

O combate ao Aedes

            A guerra ao mosquito Aedes aegipty em Alagoas, começará no próximo dia 02 e se estenderá até junho do próximo ano e contará, além de agentes da Secretaria Estadual de Saúde e das secretarias municipais, de 200 militares das Forças Armadas e também da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. Um drone será utilizado para vasculhar locais abandonados e imóveis fechados, além de quatro veículos Doblô, que serão entregues à campanha também no dia do lançamento. As ações terão início nos orgãos públicos das três esferas de governo (federal, estadual e municipal) para dar o exemplo de acabar com possíveis focos ou criadouros do mosquito, que agora, além de transmitir a dengue, é responsável pela infestação do vírus da Zika e da febre chikungunya.

O combate ao Aedes 2

            O coordenador da ação no estado é o capitão CB Claudio Silva de Melo, que destaca que o trabalho das Forças Armadas será o de combater diretamente os criadouros, as larvas e localizar os ovos do mosquito. As secretarias de Saúde, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros darão a sustentação necessária para o desenvolvimento das ações, explicou o capitão Claudio. Ele citou ainda o papel fundamental do drone: “Esse equipamento poderá captar imagens aéreas dos locais fechados e de difícil acesso. Atualmente há mais de mil imóveis abandonados em Alagoas sendo 475 somente em Maceió. A meta é alcançar todos até o final da campanha” disse o militar.

 

 

  • Os municípios que serão beneficiados com as atividades desenvolvidas na 5ª edição do Governo Presente, promovido pelo governo do Estado nos próximos dias 2 e 3 de Dezembro já se preparam adequadamente.
  • Nos dois dias, várias ações da área da saúde serão ofertadas, como aferição da pressão arterial, e do peso e altura para o levantamento do Índice de Massa Corpórea.
  • Outro teste que será feito para toda a população, será o de glicemia, que mede o açúcar no sangue e previne (ou constata) o diabetes.
  • Estes testes são importantes para que a população tenha consciência dos riscos da obesidade, do sedentarismo e da má alimentação.
  • Também será realizada uma campanha de vacinação contra doenças imunopreveníveis, além de reduzir a demanda reprimida dos Testes do Olhinho, Pezinho e Coraçãozinho, colaborando com o diagnóstico das doenças e agravos relacionados às crianças com menos de três anos de idade.