Blog do Dresch

18 de novembro de 2016

Presidente da Câmara (também) critica a PEC 55

                 Além das diversas manifestações em todo o país, ocupação de escolas de universidades, as críticas contra a Proposta de Emenda Constitucional que estabelece o congelamento dos investimentos do governo por 20 anos, ganharam um apoio importante e até surpreendente: O presidente da Câmara de Vereadores de Maceió, Kelmann Vieira (PMDB) manifestou-se contrário à PEC 55, considera que ela pune a população e a classifica como um ato irresponsável. Para ele o Congresso Nacional surpreende com mais demagogia. O resultado é isso que estamos vendo com a população saindo as ruas, ocupando os espaços e manifestando o seu descontentamento.

Presidente contra a PEC 2

              Kelman Vieira, eleito para mais um mandato, disse entender o sentimento da população e criticou duramente o que considera “desmandos de Brasília”. Para ele “a população já sofre demais com a carga tributária, com tudo que acontece em Brasília e agora o governo quer conter os gastos, sobrecarregando a população. Acredito que com a pressão popular o Congresso terá de rever esta medida, e espero que nem seja aprovada no Senado” afirmou o Presidente da Câmara Municipal e vereador por Maceió.

 

Fronteiras preocupam vizinhos

                   Cada vez mais é necessário que os países latino-americanos com fronteiras comuns, trabalhem em cooperação no combate aos crimes e à violência. Essa foi a conclusão (óbvia) da reunião que contou com a presença de Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai. Os crimes são cada vez mais transnacionais, tráfico de pessoas, de drogas, contrabando de mercadorias e de armas. Esse enfrentamento deve ser transnacional, segundo o ministro das Relações exteriores do Brasil, José Serra. O Ministro da Justiça, Alexandre Morais disse que a taxa de homicídios na fronteira tem ligação direta com as taxas do continente. Segundo ele, a América Latina tem 8% da população mundial, mas registra mais de 30% dos homicídios do planeta. O Brasil colocou à disposição dos países vizinhos o Centro de Cooperação Policial, utilizado na Olimpíada e também o “laboratório de lavagem de dinheiro” criado para sufocar organizações criminosas deixando as mesmas sem recursos financeiros. O Ministro da Defesa Raul Jungmann defendeu a ampliação da participação das Forças Armadas na fronteira, possibilitando o trabalho conjunto entre os países.

Direita afronta instituições

                   Uma vergonha nacional. Assim pode ser definida a invasão da Câmara dos Deputados, por um grupo de 60 pessoas, que subiram na mesa da presidência e gritaram palavras de ordem pedindo a volta dos militares ao poder, saudando o juiz Sérgio Moro, e gritando que a bandeira brasileira jamais será vermelha. A polícia legislativa marcou bobeira e não impediu a invasão. Depois de algum tempo, tentou dissolver o movimento e acabou “prendendo” cinco manifestantes. Os demais, impediram a realização da sessão, insultaram os parlamentares e até cantaram o hino nacional. Uma presepada!

Direita afronta instituições 2

                   Os manifestantes baderneiros entraram no Salão Verde (de acesso ao plenário) como visitantes. Quebraram a porta de vidro, empurraram três seguranças e invadiram o plenário. Alguns deputados tentaram conversar com o grupo, mas o diálogo era impossível. Os manifestantes disseram ter uma pauta de reivindicações em que pedem o fim dos supersalários, fim da corrupção, intervenção militar no país, e queriam a presença de um general para negociar a saída deles do plenário. Após terem sido retirados por forças policiais, alguns foram levados para a delegacia, sendo que dois dos integrantes portavam armas.

Presídio reforça segurança

                   O Presídio do Agreste, localizado no município de Girau do Ponciano, está reforçando as medidas de segurança, para assegurar a custódia dos 847 detentos que cumprem pena no local. A rede de monitoramento por câmeras foi ampliada, e agora mais de cem equipamentos estão instalados em pontos estratégicos da unidade. O presídio considerado de segurança máxima, possui ainda bloqueadores de celular que impedem o contato de presos com pessoas do lado de fora. No local ainda existe uma “equipe” de 12 cães, adestrados para revistas nas celas, controle de distúrbios e identificação de materiais ilegais.

A história se move para trás

                 O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou, na visita eu faz a diversos países europeus, que se sente responsável pelo processo de transição de governo com a equipe do presidente eleito Donald Trump. “Eu não me sinto responsável pelo que Trump diz ou faz. Mas me sinto responsável pelo processo de transição de governo. Acho que o Partido Republicano está errado, mas vou trabalhar com eles” afirmou Obama. A respeito do que levou as pessoas a votarem em Trump, Obama disse que, em períodos de estresse, as pessoas optam por mudanças. “A história não se move em linha reta. Ela faz ziguezagues. Às vezes se move para a frente; outras, para trás” concluiu profeticamente

 

 

  •  A morte repentina do cartunista e artista plástico Hércules Mendes, de 78 anos, em função de complicações de um procedimento pós-operatório de cirurgia de vesícula, entristeceu seus amigos e Alagoas.
  • Era um cara do bem, que tinha um histórico profissional especial, com mais de 50 anos trabalhando a cultura com capacidade de quem era, reconhecidamente, um dos maiores cartunistas do país.
  • Seu traço limpo, seu humor cáustico e refinado, agora estarão a serviço das atividades celestiais.
  • A prisão de metade do PMDB do Rio de Janeiro, inclusive com dois governadores (Garotinho e Sérgio Cabral), vários secretários de governo e assessores especiais, justifica a situação caótica que o Rio vem atravessando.
  • A crise econômica, que sacrifica e penaliza funcionários públicos, pequenos empresários e o povo mais pobre, tem um viés político, que envolve corrupção, desvios e malfeitos com o dinheiro público.
  • A Cidade Maravilhosa merecia gestores e representantes (vide Eduardo Cunha, Jorge Picciani e outros) de melhor qualidade e com melhores intenções.