Blog do Dresch

4 de novembro de 2016

Maceió sedia debate sobre perícia oficial

                   Aberta ontem no Centro de Convenções a XXX Reunião Nacional dos Dirigentes de Orgãos Periciais Forenses, com a presença de dirigentes gerais dos órgãos periciais estaduais, pela perícia da Polícia Federal e de especialistas e técnicos qualificados da área. Para o perito-geral de Alagoas, Manoel Melo, é uma grande honra para o Estado sediar um evento desta natureza, proporcionar um debate amplo, especializado, contando ainda com palestras, apresentações de trabalhos, mesas redondas com diversos profissionais da perícia criminal brasileira. O Encontro Nacional será concluído hoje com as deliberações finais.

 

Estupro: o mal de um país

                   Um número estarrecedor faz parte das informações oficiais do Anuário produzido através do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Foram registrados, em 2015, uma média de cinco estupros por hora no Brasil, num total de 45.460 casos no ano. Pior de tudo é que este número deve estar subnotificado, e os casos de estupro devem ser bem maiores do que os registrados em delegacias de todos os estados. Um estudo feito em 2013 pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) constatou que somente 10% dos casos chegavam ao conhecimento das autoridades. Com base nesta constatação, estima-se que possam ter acontecido entre 130 mil a 450 mil estupros no Brasil no ano passado. Para especialistas da área, as vítimas têm vergonha, medo do agressor (porque quase sempre o conhecem) além do atendimento ás vítimas ser precário e mal conduzido. Em número absolutos, São Paulo lidera a estatística com 9.265 casos, cerca de 20% do total nacional. Mas a incidência do crime por 100 mil habitantes coloca o estado abaixo da média nacional (índice de 20.9, contra 22,2 do país). O Acre teve a maior taxa de estupros proporcionalmente à população: taxa de 65,2 casos por 100 mil habitantes.


Impunidade preocupa ONU

                   Nos últimos dez anos, mais de 800 jornalistas foram assassinados por cumprir a sua tarefa de informar ao público. E apenas 10% destes crimes tenham levado à condenações. A impunidade encoraja os criminosos, e ameaça toda a sociedade, principalmente aos jornalistas. Este texto faz parte de um comunicado da Organização das Nações Unidas (ONU) pelo Dia Internacional pelo Fim da Impunidade dos Crimes contra Jornalistas. Mais uma vez, o relator especial da ONU para a liberdade de expressão, David Kaye, encaminhou um pedido aos países para que tomem medidas de proteção que garantam a integridade dos profissionais de comunicação.

Impunidade preocupa ONU 2

                   O Brasil figura em 9º lugar na lista de impunidade da ONU, com 15 jornalistas assassinados com absoluta impunidade na última década. De acordo com a organização Repórteres Sem Fronteiras, com quatro jornalistas mortos este ano, o Brasil é o quarto país do mundo com mais mortes destes profissionais em 2016, ficando atrás do México, que contabiliza 12 assassinatos, da Síria (7 mortos), do Iêmen (5 mortes) e empatado com o Iraque com 4 homicídios de jornalistas. Ainda no Brasil, entre Maio de 2013 e Setembro de 2016, foram contabilizados 300 casos de agressões a jornalistas durante cobertura de manifestações de rua.

A poupança alternativa

                  Os bancos e outras instituições financeiras buscam novos caminhos alternativos para estimular a poupança. Enquanto o poupador resgata o dinheiro para buscar alternativas mais rentáveis, ou para pagar contas, os bancos fazem sorteios e criam fórmulas para evitar novos saques. De Janeiro a Setembro deste ano, os saques da poupança chegaram a R$ 50 bilhões. Na caderneta de poupança o correntista é estimulado a juntar dinheiro, mas todos sabem que em termos de investimento está longe de ser um bom negócio. A poupança rende 0,5% mais TR ao mês, abaixo da inflação e bem menos que outros investimentos.

Eletrodomésticos em baixa

                A multinacional norte-americana fabricante de eletrodomésticos Whirlpool, dona das marcas Brastemp e Consul no Brasil, estima que neste ano de 2016, o país terá uma retração de 10% a 12% no mercado de eletrodomésticos em comparação a 2015. A multinacional teve na América Latina vendas líquidas de US$ 800 milhões no terceiro trimestre deste ano, ante US$ 751 milhões um ano antes. Excluindo os efeitos cambiais, a companhia conseguiu aumentar em 2% as vendas no continente.

Eletrodomésticos em baixa 2

                Em todo o mundo a Whirlpool registrou no terceiro trimestre do ano um lucro líquido de US$ 238 milhões, um ganho de 1,3% sobre o mesmo período em 2015. Na mesma base de comparação, a receita caiu 0,5%, ficando em US$ 5,25 bilhões. Em unidades vendidas, a empresa aumentou as vendas em 2,9%, para 17,95 milhões de itens. O lucro operacional da companhia atingiu US$ 370 milhões entre Julho a Setembro. Na América do Norte, a Whirlpool teve vendas liquidas de US$ 2,9 bilhões entre Julho e Setembro. Excluindo os efeitos não recorrentes, o crescimento foi de 3% nesses períodos de comparação.

 

  • Com o aval da Secretaria da Fazenda e apoio do Governo do Estado, a Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) assina hoje um acordo da sua dívida com a Eletrobrás Distribuição Alagoas.
  • O ato de assinatura do acordo está marcado para as 11h na sede da Secretaria da Fazenda.
  • A dívida da Casal com a Eletrobrás, alcança mais de R$ 250 milhões em valores atualizados, e que poderá ser paga em um período de 20 anos.
  • O acordo é de vital importância para a recuperação da companhia alagoana, bem como do seu equilíbrio financeiro. O acordo estabelece ainda, que todas as ações judiciais da Eletrobrás contra a Casal, assim como os processos da Companhia contra a concessionária, em qualquer esfera judicial, serão suspensas a partir da assinatura entre as partes.
  • A partir do acordo espera-se que a relação entre Casal e Eletrobrás seja pautada pelo respeito e pelo reconhecimento do trabalho de cada um, uma vez que na intransigência de ambas, a população sempre é sacrificada.