Roberto Baia

18 de outubro de 2016

Indígenas de luto

O embaixador da Cultura Afro-indígena do Brasil, Tiago Nagô, se diz consternado com o brutal assassinato do líder histórica da aldeia indígena Xukuru Kariri, João Natalício dos Santos Xukuru-Kariri. Ele que era um líder de grande importância dos índios do nordeste e estava à frente para retomar as terras indígenas de Palmeira dos Índios, foi assassinado no último dia 11, a facadas, na porta da casa onde vivia, na aldeia Fazenda Canto, Terra Indígena Xukuru-Kariri, a 7 km da cidade de Palmeira dos Índios.

Seu João, como era chamado, participou no dia 10 da abertura do II Seminário Pedagógico: A Caminhada dos Guerreiros e Guerreiras Xukuru-Kariri, que trouxe a memória de Maninha Xukuru-Kariri, morta há dez anos.

 

Disputa de terras

Tiago Nagô aguarda ansioso a investigação do caso. Ele acredita que a motivação do assassinado de João Natalício deve-se a briga por terras, visto que a área da aldeia, onde ele residia, é um espaço de retomada. ”A região tem um histórico de violência por conta da luta pela terra. Seu João era uma liderança antiga do povo. O indígena explica que a aldeia Fazenda Canto é composta pelos 72 hectares demarcados em 1952, onde Seu João morava, e pela retomada realizada nos últimos anos e parte da demarcação em curso pela Funai, mas paralisada”, diz Tiago Nagô.

 

Busca por justiça

“Afirmo que, dentro das minhas possibilidades, ajudarei para que este absurdo não passe sem que os responsáveis sejam punidos. Estive á alguns meses atrás com esta liderança e pessoa incrível, e posso afirmar: Este homem não fazia nada mais na vida, além de lutar para que o seu povo pudesse se emancipar do estado, pois acreditava e com razão que garantido a terra teria condições (os indígenas Xukurús kariris), de se alimentar e alimentar a seu povo com isto libertar-se das amarras do sistema podre, massacrador e corrupto ao qual o brasileiro indígena não índio esta sujeitado”.

 

Tratamento de câncer

Audiência pública com o tema “Quem tem câncer, tem pressa” está sendo realizada hoje, terça-feira (18), na sede do Ministério Público Federal em Alagoas (MPF/AL). Instituições públicas, órgãos de fiscalização e sociedade civil são convidados a debater os avanços e dificuldades para garantir o acesso universal e igualitário às ações e serviços de prevenção e tratamento de pacientes oncológicos no estado de Alagoas, através do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

Garantia de tratamento

A reunião faz parte do Inquérito Civil nº 1.11.000.000568/2013-14, que tramita na Procuradoria da República em Alagoas (PR/AL), visando garantir o diagnóstico e o tratamento eficazes no caso de neoplasia maligna. Duas audiências públicas sobre o assunto aconteceram nos anos de 2014 e 2015. Desde então reuniões bimestrais têm ocorrido para acompanhamento das medidas adotadas pelos órgãos públicos envolvidos.

 

Greve de 24 horas

Os Policiais Civis de Alagoas realizam amanhã, quarta-feira, dia 19, uma paralisação durante 24 horas. A categoria estará reunida na frente Central de Flagrantes, no Farol, a partir das 8 horas. “A interrupção das atividades acontece em represália ao descaso do Governo do Estado diante das reivindicações feitas pela categoria uma vez que nas duas últimas reuniões de negociações, o secretário de Planejamento e Gestão (Seplag), Christian Teixeira, não apresentou nenhuma nova proposta”, informou a assessoria de Comunicação do Sindicato dos Policiais Civis.

 

Aguardam proposta

 

Os policiais civis pretendem realizar três paralisações neste mês de outubro, caso o governo não avance na questão do reajuste do piso salarial. Existe a possibilidade de deflagração de greve por tempo indeterminado, que será avaliada na próxima assembleia geral da categoria. Os policiais civis aguardam que o governo do Estado apresente uma proposta que atenda o pleito da categoria. Uma nova assembleia geral extraordinária foi marcada para esta sexta-feira (21), a partir das 13 horas, no Sindicato dos Urbanitários.

 

Palco Aberto 1

Ocorre no próximo sábado (22) a sétima edição do Projeto Palco Aberto. A programação já está definida e pretende tornar as noites de quinta-feira dos alagoanos mais movimentadas. Será uma “Festa boa na Capital”. A programação irá até o dia 15 dezembro, o único dia que ocorrerá no sábado será a abertura, que ficará por conta da Banda Malacada.

 

Palco Aberto 2

O projeto é uma criação do Instituto Boibumbarte de Cultural, que ao longo de sua existência, o Projeto Palco Aberto já publicou 3 CDs, e um DVD_ comemorativo pelos cincos anos de Projeto.  Contemplando 45 compositores e divulgando a música alagoana em outros estados e países. O evento será no Espaço Cultural Linda Mascarenhas, a partir das 19 horas. Então, como diz a produtora Cultural e diretora do Instituto Boibumbarte, Susie Cysneiros: “Simbora ouvir música alagoana”!

 

Transição de gestores

Uma parceria entre a Associação dos Municípios Alagoanos – AMA – e o Ministério Público Estadual vai regulamentar o processo de transição entre os atuais e os futuros gestores. A ideia é garantir o diálogo, a transparência e evitar demandas judiciais.

 

…A criação de comissões foi uma recomendação do MP durante o Ciclo de Palestras sobre Final de Mandato, promovido pela Associação, em agosto.

… A partir da sugestão, a AMA elaborou um passo a passo didático para os gestores levando em conta a resolução nº 03 do Tribunal de Contas do Estado e uma resolução expedida pelo MP que foi publicada hoje no Diário Oficial.

… Em reunião com os promotores José Carlos Castro e Karina Padilha, o presidente Marcelo Beltrão enfatizou a importância desse trabalho conjunto e também defendeu a nomeação de pessoas que tenham conhecimento de administração pública para guarda de documentos gerais do Associação.