Roberto Baia

30 de setembro de 2016

Segurança armado

O candidato a Prefeitura de Palmeira dos Índios, Júlio Cezar, teve sua arma de fogo apreendida pela polícia, quando estava entrando no Cartório Eleitoral, por conta de uma reunião com os 3 candidatos daquele município. A arma, uma pistola automática e um pente com 10 balas, estavam com um dos seus seguranças.

Júlio já tinha sido advertido pelo juiz eleitoral, que baixou recentemente uma portaria proibindo todos os candidatos portarem qualquer tipo de arma.

 

Em sua defesa

Júlio Cezar ainda se excedeu ao discutir com o magistrado e um militar de alta patente. Ele alegou sua condição de militar, cargo que esteve na ativa pouco tempo e logo se aposentou, valendo-se de uma brecha na lei, apesar de muito novo para a aposentadoria. Mesmo assim, o magistrado e o oficial, lembraram que só os militares da ativa, em serviço, juízes e promotores estão autorizados a portarem armas.

 

Processo

Por fim, o processo de número 371.12.2016.6.02.0010 foi instaurado por descumprimento da portaria que gerou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), n° 04/2016, para o candidato do PSB, por descumprimento da Lei.

Lembrando que o grupo político, que Júlio Cezar acusará de ter cometido um atentado contra a sua vida, está atualmente, em seu palanque.

Pode uma coisa dessas???!!!

 

Chegou a hora

Os eleitores terão a oportunidade de eleger, neste domingo, 2, o novo prefeito da segunda cidade mais importante de Alagoas: Arapiraca. Quatro candidatos disputam a cobiçada cadeira, que hoje é ocupada pela médica Célia Rocha.

Ricardo Nezinho (PMDB), Rogério Teófilo (PSDB), Lindomar Ferreira (Psol) e Tarcizo Freire (PP) serão submetidos ao voto popular. Arapiraca possui, segundo dados do IBGE de 2010, 135.993 eleitores.

 

Apenas um

Apenas um dos quatro candidatos, com o respectivo vice-prefeito, terá a responsabilidade de governar a cidade por um período de quatro anos, a partir do dia primeiro de janeiro de 2016.

Que o nosso eleitor saiba escolher o melhor. E vamos às urnas.

 

Ânimos acirrados 1

E os ânimos se acirraram entre os candidatos Tarcizo Freire e Lindomar Ferreira após o debate promovido pelo Portal 7 Segundos e a OAB/Arapiraca. O clima esquentou quando Lindomar acusou o candidato Freire de usar o Complexo Equoterapia para proveito político. Em sua defesa, Tarcizo disse que “Lindomar passava cheques sem fundos, além de não pagar a ninguém”.

 

Ânimos acirrados 2

E o candidato do Psol chegou a denunciar em redes sociais que foi intimidado de forma grosseria após o encerramento do debate. “Ele se dirigiu até a minha cadeira, empurrou os papéis do terreno, dizendo que não era público. Se eu tivesse dado corda, ele teria me dado um murro”, disse Lindomar.

“Nas filmagens dá pra ver todo procedimento que ele fez. Tá tudo filmado e alguém deve ter tirado foto. Eu fui agredido por esse candidato”, completou Lindomar.

 

Diálogo permanente

O juiz eleitoral Alberto Saturnino de Almeida, da 55ª Zona Eleitoral, que abrange as cidades de Arapiraca, Lagoa da Canoa e Feira Grande, abriu um diálogo permanente com os candidatos a prefeitos e a Câmara Municipal com a finalidade de garantir que o pleito seja realizado dentro da Lei e sem surpresas negativas que tragam prejuízos aos eleitores e os próprios candidatos.

 

Preocupação

O juiz não esconde que a sua maior preocupação é com a cidade de Lagoa da Canoa e para manter a ordem tem feito reuniões com os candidatos na sede do Cartório Eleitoral, em Arapiraca.

“Que os candidatos se respeitem e tratem-se apenas como adversários e não inimigos”, recomendou o juiz Alberto Saturnino para  lembrar que às vezes quem está na oposição hoje pode se tornar um aliado no futuro próximo.

 

 

Pediu reforço

O promotor da 26ª Zona Eleitoral, Sílvio Azevedo, reforçará a fiscalização neste domingo, durante as eleições em Marechal Deodoro e na Barra de São Miguel com o objetivo de prevenir e reprimir possíveis ilegalidades, tais como transporte irregular de eleitores, propaganda eleitoral irregular, compra de votos, entre outros.

 

 

… Segundo o promotor eleitoral, durante todo o dia, inclusive na apuração, haverá cerca de cem voluntários engajados com objetivo de coibir ações ilegais, em contato direito com o Ministério Público Eleitoral, Polícias Civil e Militar, Guarda Municipal e Polícia Federal. Esses colaboradores do Ministério Público estarão em todos os locais de votação.

 

… Sílvio Azevedo esclarece que, “com o objetivo de coibir eventuais tumultos nas seções eleitorais, terão acesso aos locais de votação somente os eleitores da respectiva seção eleitoral e, estritamente, o tempo necessário para depositar seu voto, devendo o eleitor retirar-se logo em seguida”.

 

… Ele ressalta que os fiscais e advogados das coligações, bem como aqueles eleitores que estão a serviço da Justiça Eleitoral, terão acesso livre aos respectivos locais de votação.