Roberto Baia

25 de setembro de 2016

Palmeira dos Índios

O deputado estadual Edval Gaia Filho (PSDB), em entrevista para uma rádio local, foi firme ao dizer que não confia no trabalho da candidata Verônica Medeiros. “Eu não tenho a mínima condição de votar na doutora Verônica Medeiros, por vários motivos, dentre eles porque ela não tem provado ainda que é capaz de tomar conta de uma Prefeitura como Palmeira dos Índios, até porque foi secretária e não fez uma boa gestão na Secretária de Saúde”, destacou.

 

Caminhos políticos

Na mesma entrevista, Edval Gaia Filho comentou sobre seu rompimento com o atual gestor, James Ribeiro (PMDB) e o apoio à candidatura de Júlio Cezar (PSB).  O deputado também falou sobre as mudanças que a política proporciona para explicar os novos caminhos. Com propostas diferentes do que sempre acreditou há pelo menos 25 anos das que acreditou junto com seu cunhado o atual prefeito de Palmeira dos Índios, James Ribeiro.

 

Escolha ruim

Ainda segundo o deputado estadual, Edval Gaia Filho divergências de ideologia política na escolha do candidato a prefeito de Palmeira dos Índios contribuíram para que ele tomasse um posicionamento diferente. Na sua avaliação havia nomes melhores para fazer o melhor para o povo palmeirense.

 

Porto de Pedras

A pedido da Promotoria de Justiça Eleitoral de Porto de Pedras, a Polícia Federal desencadeou, na última quinta-feira (22), uma operação de combate a crimes eleitorais no Município. Foram expedidos mandados de busca e apreensão, além de mandados de condução coercitiva, que resultou na prisão de dois suspeitos.

 

Abuso de poder

Segundo o promotor da 12ª Zona Eleitoral (Passo do Camaragibe, Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres), Thiago Chacon, o Ministério Público Eleitoral em Alagoas foi acionado por moradores locais, que denunciaram abuso de poder econômico no processo eleitoral, a exemplo de doações de materiais de construção em troca de voto pelo candidato a prefeito Henrique Vilela, da coligação “Unidos para um Futuro Melhor”.

 

Combate a corrupção

“Nosso trabalho de combate à corrupção nas eleições municipais segue em andamento, com diligência até o total desfecho do caso e tomada de providências judiciais enérgicas”, disse o representante do Ministério Público Eleitoral em Porto de Pedras. O procedimento preparatório da Promotoria de Justiça corre em sigilo para garantir a apuração dos fatos sem interferência dos investigados.

 

Rio Largo

Uma operação do Ministério Público Estadual (MPE), Polícia Civil e Militar cumpriu mandatos de busca e apreensão de documentos em Rio Largo. A operação foi realizada após denúncias recebidas de que recursos da prefeitura estariam sendo utilizados para fazer campanha de um candidato a prefeito

 

Rio Largo 2

Segundo informações, durante a operação, os agentes foram até um posto de combustíveis que abastece os veículos da prefeitura, visitarem residências de funcionários do município e órgãos públicos e a sede do comitê eleitoral do candidato. Uma nota fiscal de posto de gasolina e um talonário foram apreendidos durante a ação.

 

 

Rio Largo 3

“Recolhemos um talonário e a nota de um abastecimento realizado no posto, que foi fruto da denúncia. Nesta nota, consta que o carro abastecido foi um Fiesta, no entanto, um vídeo mostra que o veículo abastecido foi um ônibus”, informou o promotor eleitoral de Rio Largo, Wesley Fernandes, responsável pela ação. O promotor completou informando que no talonário foram encontrados vários recibos de vinte reais.

 

 

Presídio do Agreste

Na manhã de ontem, os desembargadores do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), e desembargador da 16ª Vara Criminal de Maceió, inspecionaram o Presídio do Agreste, em Girau do Ponciano. A visita teve o objetivo de averiguar reclamações dos presos e se a Lei de Execução Penal está sendo cumprida.

 

…Os detentos reclamaram do abuso de poder de alguns agentes, de punições indevidas e também da estrutura do presídio. Segundo o juiz José Braga Neto, as acusações serão apuradas e as medidas necessárias serão tomadas.

 

…A distribuidora alagoana de gás natural, a Algás, tem ampliado cada vez mais suas redes de gasodutos no Estado. A obra, iniciada no começo deste mês, compreende a duplicação do gasoduto Pilar-Marechal Deodoro.

 

 

…Segundo informações da Companhia, o projeto deve aumentar o fornecimento de gás natural nessa região, potencializando sua capacidade de fornecimento a clientes como Pointer e Braskem e até atraindo a instalação de novas indústrias no Polo José Aprígio Vilela, em Marechal Deodoro.

 

Sidinéia Tavares_ Interina