Blog do Dresch

22 de setembro de 2016

Colégio Tiradentes inaugurado em Arapiraca

                   Inaugurado na última terça feira, em Arapiraca o segundo Colégio Tiradentes da Polícia Militar, Unidade do Agreste, em solenidade que contou com a presença do governador Renan Filho e do vice-governador e Secretário de Educação Luciano Barbosa. A escola está localizada no bairro do Bom Sucesso e atenderá também aos estudantes do bairro do Planalto e do Povoado Maçaranduba, cuja população não dispunha de uma escola pública de qualidade. Assim como o Colégio Tiradentes de Maceió, o Colégio Militar de Arapiraca será gerido por uma parceria entre a Polícia Militar e a Secretaria de Estado da Educação, que ficará responsável pela direção pedagógica.

A segunda escola militar 2

                   Segundo o diretor Wilany Félix, da 5ª Gerência Regional de Educação “esta escola militar terá um papel importante no atendimento aos estudantes de três bairros, que antes precisavam se deslocar para outras unidades. Agora terão uma escola militar com qualidade e eficiência”. A unidade dispõe da mesma estrutura de outras escolas que estão sendo edificadas no estado: 12 salas de aula, biblioteca, laboratórios de informática e de química, salas administrativas, recreio coberto, banheiros e quadra poliesportiva. Toda a normativa para inscrições dos alunos e funcionamento da escola para o ano letivo de 2017 será publicada em edital a ser divulgado em Outubro.

Ajustes nas despesas estaduais

                   O ministro da Fazenda Henrique Meirelles reiterou mais uma vez que os governos estaduais precisam fazer ajustes nas despesas públicas e não esperar ajuda da União. “O problema é quando o governador vê na União a solução do seu problema” disse ele em palestra na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. Para Meirelles, se o governo federal socorrer os estados a crise econômica pode se agravar. “Temos que ter cuidado para não matar o paciente tentando trata-lo. Os estados devem ajustar as despesas como a União está tentando fazer” disse o ministro. Sobre a política de juros e de câmbio Henrique Meirelles voltou a defender a autonomia do Banco Central. “Precisamos garantir a autonomia do BC porque isso é fundamental. Juros e câmbio são questões do próprio Banco Central. Não cabe ao ministro da Fazenda dizer o que o BC deve fazer, principalmente em público” ironizou. Ele reafirmou que existe uma retomada na confiança da sociedade no desempenho econômico do país. Para o ministro isso está começando a mudar, tanto da parte dos empresários como também dos consumidores em geral. “O primeiro sinal é mostrar para a população que as despesas públicas serão controladas. A segunda é dar um horizonte de previsibilidade. Ajustes de curto prazo tendem a ser malsucedidos” explicou.

 

Super produção de ovos

                   Segundo o IBGE, a produção brasileira de ovos de galinha bateu recorde no segundo trimestre deste ano, chegando a 757,51 milhões de dúzias, o maior número produzido nos últimos 29 anos. Mesmo assim, essa oferta maior do produto não contribuiu para baixar o preço do mesmo, que ficou mais caro 15,28% no Brasil. Produtores ouvidos pela reportagem se queixam dos altos custos dos insumos, em especial do milho, utilizado na ração das galinhas. O milho representa mais de 60% da alimentação das galinhas de granja, e o Brasil continua a importa-lo da Argentina e dos Estados Unidos.

Super produção de ovos 2

                   Além do preço do milho, sua importação é feita em dólar, o que onera ainda mais os gastos. E este ano a produção brasileira de milho e até a de Alagoas foram afetadas por poucas chuvas. Outro fato que tem impactado é a utilização dos ovos para consumo humano, e ovos destinados à fertilização para criação de pintos. Segundo o IBGE 78% da produção vão para o consumo e 22% são destinados à fertilização. Em Maceió a média do preço da dúzia de ovos nos supermercados fica entre R$ 4,20 a R$ 5,50.

Edital do Bolsa Atleta

                Ainda sob o estímulo dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, o Ministério do Esporte anunciou que o edital das inscrições do Programa Bolsa Atleta será publicado no próximo mês de Outubro. Só para se ter uma ideia da importância do programa, dos 289 atletas que participaram da Paralimpíada, 262 (equivalente a 90,68%) tinham o patrocínio do Programa. O Programa concede bolsas que variam de R$ 370 a R$ 15 mil, englobando desde atletas de jogos escolares a atletas de alto rendimento. O objetivo agora é alinhar o programa para ficar cada vez mais próximo dos atletas.

Edital do Bolsa Atleta 2

            O Bolsa Atleta deposita o recurso direto para o atleta e esse é o diferencial do programa. “Ele atende a todas as modalidades olímpicas e paralímpicas, mas a grande diferença é que ela não vai para o gestor da modalidade, mas sim para o atleta. O programa foi criado em 2004 com a finalidade de beneficiar os atletas de alto rendimento” explica Mosiah Rodrigues, coordenador geral do programa. Para ele, o balanço dos jogos é bastante positivo, porque os atletas tiveram condições de se prepararem para chegar à competição na melhor condição possível” disse Mosiah. O Brasil terminou em oitavo lugar nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro com 72 medalhas, sendo 14 de ouro.

 

 

  • O Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) começou a enviar as cartas a 1.641 milhão de beneficiários do auxílio-doença e aposentados por invalidez que não se submeteram à perícia nos últimos dois anos.
  • Ao todo são 530 mil auxílios-doença e 1.181 milhão de aposentadorias por invalidez em todo o país, que terão de agendar uma data e se submeterem a uma nova perícia.
  • Em Alagoas os números são de 16.065 que recebem o auxílio-doença e 18,291 aposentados por invalidez.
  • Após o recebimento das convocações, terão cinco dias para fazer o agendamento. Os peritos receberão um abono de R$ 60 por perícia, e poderão inclusive adotar o procedimento aos Sábados.
  • A base para que essa reavaliação fosse feita, resultou de um levantamento realizado ano passado, quando se detectou irregularidades em pagamentos de1,6 milhão de auxílios-doença, no mês de Maio de 2015, em 57 das 104 gerências do INSS em todo o país.
  • Outro aspecto levado em conta pelo INSS diz respeito ao grande número (500 mil) de benefícios concedidos ou reativados por meio de ação judicial, sem perícia médica ou com perícia feita há mais de dois anos.