15 de agosto de 2016

Ciclovias em Maceió.

Muito louvável a atitude da Prefeitura Municipal de Maceió (PMM) em cada vez mais evoluir na construção de ciclovias na querida e bela capital alagoana.

Porém.E sempre existe um porém!

Em nada adianta construir metros e mais metros, quilômetros e mais quilômetros de ciclovias se não mantém os metros e quilômetros existentes.

Assim a primeira ciclovia da orla que fica entre o inicio da Pajuçara (Atlantic) e o hotel Jatiúca. São mais ou menos cinco quilômetros. Cheia de buracos e irregularidades que podem causar acidentes graves.

Iniciaram até um reparo, porém só iniciaram. Depois pararam e deixaram buracos enormes cheios de areia ou com depressão grande que vão produzir acidentes até mesmo fatais.

Vou citar alguns locais para ver se sensibilizo as autoridades.

Ao lado dos campos de tênis. Ao lado do espaço multishow . Por trás da ferinha do artesanato. Na primeira balança de peixe que fica antes do espaço do skate.  E assim por diante.

Sei que a prioridade é maior para os trabalhadores que se deslocam em suas bikes para a labuta diária, porém os amantes do ciclismo como atividade física e lazer, e ainda os turistas que alugam bicicletas e triciclos merecem atenção com certeza.

Entre “os sete coqueiros” e o posto sete, encontramos irregularidades que com a menor intensidade de chuva ficam alagadas. Inclusive uma delas perto do logotipo de Maceió onde vários turistas e locais fazem suas fotos de recordação.

Não sou engenheiro, porém acredito que falta uma forma de escoamento de água como um cano ou elevar a depressão que a retém.

Outro vicio de construção é que o cimento dilata com o calor do sol. Assim entre um bloco e outro deve ter um espaço que poderá ser preenchido por um pedaço de madeira, isopor ou vidro para evitar a elevação e quebra do mesmo.